Entrevista exclusiva com Vitor Miranda | Nocaute na Rede

Entrevista exclusiva com Vitor Miranda

A história de superação do Lex Luthor do UFC
Vitor Miranda/Fonte: mma4ever

O Nocaute na Rede teve o prazer de entrevistar o lutador Vitor Miranda, natural de Joinvile-SC, peso-médio do UFC. Vitor falou do inicio de sua carreira, de dificuldades na vida pessoal e dos planos futuros dentro e fora da organização. Confira a entrevista.

NR: Quando você começou no MMA? O que te levou a querer treinar e lutar profissionalmente?

Vitor: Eu comecei na luta aos 21 anos, antes jogava basquete. Trabalhava em uma locadora de filmes e gostava muito dos filmes de luta, mas nunca tive coragem de treinar. Então um amigo me chamou para fazer uma aula experimental de Muay Thai e de cara me apaixonei. Então comecei sem pretensão alguma, apenas pelo exercício e por defesa pessoal. Porém fui evoluindo rápido. Com oito meses de treino meu professor já me pôs para lutar e graças a Deus deu tudo certo. Então comecei a ter uma carreira legal no Muay Thai.

NR: Como foi sua transição do Muay Thai para o MMA?

Vitor: Estava chegando no meu auge, começando a lutar no K1. Então o K1 declarou falência. Por sorte, eu estava ajudando o Pedro Rizzo na sua parte em pé. Durante algumas lutas dele eu fazia parte dos seus campings. Então acabei criando alguns contatos, entre eles o Dedé Pederneiras, que me incentivou bastante a migrar para o MMA. E foi que acabou acontecendo.

NR: Quais foram as maiores dificuldades que você enfrentou no MMA?

Vitor: A idade. Não por já estar velho (Vitor atualmente tem 39 anos), mas por ter pouco tempo hábil para me adaptar, também a questão do peso, baixei bastante de peso. Logo nos primeiros treinos de MMA eu já tive uma hérnia treinando jiu-jitsu. Mas graças a Deus deu tudo certo.

NR: Como foi o seu início no UFC?

Vitor: Foi incrível, participei da terceira temporada do The Ultimate Fighter na categoria dos pesados. Ganhei todas as lutas dentro do reality e cheguei até a final. Acabei não levando, mas logo em seguida baixei para os médios e obtive uma sequência maravilhosa de três nocautes.

Vitori Miranda no TUF Brasil 3

NR: Você vem de duas derrotas por decisão. A que você atribui isso?

Vitor: Quando eu estava me preparando para a luta com o Marcelão (Marcelo Guimarães) acabei machucando o ombro, mas por já estar no final do camp eu não deixei a luta e acabei vencendo. Então eu estava muito empolgado e pedi para o meu empresário marcar logo a próxima luta. Uma semana depois o UFC me deu a luta com o Chris Camozzi. Só depois me dei conta de que era uma lesão muito séria, não conseguia nem levantar o braço para dirigir. Acabei optando por não sair da luta e por conta disso sofri a derrota. Meses após a luta com o Camozzi eu acabei tendo que fazer uma cirurgia no ombro. Passei quatro meses em recuperação e resolvi marcar a luta com o Vettori. Voltei pra academia apenas três meses antes da luta, acabou que eu estava sentindo a falta de ritmo e acabei perdendo a luta por isso.

NR: Hoje em dia você é o lutador youtuber mais famoso do Brasil, seu canal tem 170 mil inscritos e uma excelente qualidade de edição e conteúdo. Como você resolveu se aventurar nessa área?

Vitor: No inicio de 2016, estava com um cara me ajudando a fazer um calendário editorial para divulgar a minha próxima luta. Comecei a fazer alguns vídeos, mas não conhecia muito o que era Vlog. Resolvi ir no meu canal para postar algumas coisas e comecei a ver um pouco sobre Vlog. Conheci o Casey Neistat, vi o jeito dinâmico e criativo de ele fazer os vídeos e pensei: Eu consigo fazer isso também!!! Peguei meu celular e filmei o meu dia-a-dia. Comecei a editar, e deu certo.  Postei um vídeo sobre o corte de peso que viralizou e a galera começou a conhecer e se inscrever no meu canal. Esperei que meu canal desse certo, mas não tão rápido e dessa forma tão bacana. Gosto muito de interagir com os fãs, tirar dúvidas, falar sobre coisas que as pessoas têm curiosidade. Encaro como um hobby que gosto muito de fazer.

NR: Você acabou saindo de uma luta recentemente, quais os motivos e os próximos passos dentro do UFC?

Vitor: Acabei saindo dessa luta por estar sem tempo para treinar, por conta da gravidez da minha esposa. Acabou que fiquei com medo de cair no mesmo erro da luta com o Camozzi (não ter tempo hábil para treinar) e como já venho de duas derrotas tive medo de ser a última tacada. Porém agora com minha mulher já estável, eu já conseguindo treinar, quero lutar no UFC Rio, em maio. Não cogito nomes, quem o UFC mandar eu vou ter que arrebentar! Agora não tem desculpa, vou voltar a ser o Vitor de antes.

 

Canal do Vitor: https://goo.gl/xAbjCE

Facebook: https://goo.gl/VT3dt8

Instagram: https://goo.gl/xVwfLt

 

Categorias
LutasMMA Internacional

Pernambucano/Cearense, estudante de publicidade.
Sem Comentários

Responder

*

*

quatro × quatro =

RELACIONADO POR