Especial UFC 212: O que esperar da luta de José Aldo x Max Holloway | Nocaute na Rede

Especial UFC 212: O que esperar da luta de José Aldo x Max Holloway

Luta que vale a unificação de título Peso Pena do UFC, que acontece neste sábado, no Rio de Janeiro
José Aldo x Holloway (Foto: Poster Oficial)

Em nosso especial do UFC 212, o Nocaute na Rede trás uma análise sobre o que esperar da luta principal do UFC 212, no Rio de Janeiro. Trata-se da luta entre os dois campeões do Peso Pena do UFC (até 65,8 Kg), sendo o campeão linear o brasileiro José Aldo contra o campeão interino o havaiano Max Holloway.

Primeiro campeão e único na categoria dos penas, até ser derrotado para o irlandês Conor McGregor, José Aldo ponha em jogo seu cinturão linear reconquistado no UFC 200, ao derrotar (pela segunda vez) o ex-campeão dos leves e ex-desafiante ao título dos penas, Frank Edgar. Lutador de 30 anos, Aldo coleciona um cartel de 28 lutas, sendo 26 vitórias e apenas 2 derrotas na carreira. Faixa preta de Jiu-Jitsu, José Aldo tem destaque em sua trocação agressiva, onde renderam 14 vitórias por nocaute, sendo apenas 2 vitórias em ser cartel por finalização. Com poderosos Low Kicks, socos potentes, velocidade na movimentação, esquivas, contragolpes, combinações no boxe com o Muai Thay, tudo isso destaca o brasileiro em um dos lutadores mais completos do MMA Mundial e um dos maiores lutadores Peso Pena do UFC.

Vindo de 10 vitórias seguidas, sendo a última pra cima do ex-campeão dos Leves, Anthony “Showtime” Pettis, Holloway é detentor do cinturão interino dos Penas, conquista esta pra cima de Pettis, em sua última luta. Lutador de apenas 25 anos, Max é um dos lutadores que, assim como seu rival (José Aldo) na luta deste sábado, mais habilidosos da categoria. Com um cartel de 20 lutas, coleciona no total 17 vitórias e apenas 3 derrotas, sendo a última derrota para o atual campeão dos Leves, o irlandês Conor McGregor, em janeiro de 2013. De lá pra cá, só venceu com grandes performances no Ultimate ao derrotar os maiores nomes da categoria dos penas como Cub Swanson, Jeremy Stephens e Ricardo Lamas. Lutador muito tático e com excelente condicionamento físico, Holloway se destaca também em sua durabilidade e na imprevisibilidade. Apesar de ser um lutador que luta na base destro (ortodoxa), não é surpresa encontrar Holloway em base de canhoto (Southpaw), levando o seu adversário a não obter fácil a distância e precisão em acertá-lo.

 

Max Holloway venceu Anthony Pettis na luta principal do UFC 206 / Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

 

O que esperar desta luta?

Ambos os lutadores são os melhores strikers da atualidade da categoria dos Penas, e é natural que a luta se passe na maior parte do tempo em pé, tendo destaque na movimentação tática de ambos os atletas e na busca da melhor precisão dos golpes para obterem a vantagem na pontuação dos juízes laterais. Holloway leva vantagem na altura, mas ambos se equivalem na envergadura, e nisso é provável que, embora Holloway lute fora de seu território, tende a ser o “agressor” nesta luta e partir para encurtar e pressionar o brasileiro com jabs e cruzados ou também tentar aplicar diretos e chutes na linha de cintura do brasileiro, de forma a minar e obter vantagem no condicionamento físico. Já para o brasileiro, poderá optar, de início, por cadenciar a luta e buscar pontuar nos contragolpes e também usar mais os chutes nesta luta, uma vez que Holloway, diferente de seus últimos adversários (maioria Wrestler’s), não tem características forte no grappling e partir para as quedas, o que fazia Aldo não aplicar tanto os seus fortes chutes. Ao falar do contragolpe do brasileiro, vale destacar que o havaiano é também um bom contra golpeador, e isso é um ponto que poderá ser a vantagem para aquele que conseguir obter melhor uso do golpe de encontro.

Nesta luta, será comum ver Holloway trocando bastante de base, ora destro, ora canhoto, tudo para tentar confundir o brasileiro na luta em pé na hora de defender e atacar, mas também para caso Aldo consiga ter bons aproveitamentos nos seus potentes chutes, tenha como esconder a perna que vier a sofrer danos, para manter o nível do combate contra o brasileiro.

No grappling, caso a luta transcorra nesta área, Aldo leva vantagem sobre seu adversário. Faixa preta de Jiu Jítsu, o brasileiro poderá levar vantagem também em conseguir levar o oponente ao chão, graças a sua característica mobilidade em cinturar e força em não só defender as quedas como também para aplicá-las, como foi contra Chan Sung Jang (o “Zumbi Coreano”).

A probabilidade desta luta terminar por decisão é alta, já que ambos são lutadores de muita resistência. Nesta área, Holloway leva um pouco de vantagem sobre Aldo, tendo em vista que nunca foi nocauteado e não demonstra sentir golpes quando é acertado.

Nas bolsas de apostas, há um grande equilíbrio para aquele que vencer a luta, onde Aldo leva uma pequena vantagem sobre Holloway. Esse equilíbrio reflete muito na luta, podendo ter grandes reviravoltas do início ao fim, trazendo muitas emoções para o público presente na HSBC Arena e para o telespectador no duelo deste sábado no UFC 212.

 

UFC 212

3 de Junho, no Rio de Janeiro – HSBC ARENA

CARD PRINCIPAL (a partir de 23h, horário de Brasília):

Peso Pena: José Aldo x Max Holloway (Disputa de Cinturão)
Peso Palha Feminino: Cláudia Gadelha x Karolina Kowalkiewicz
Peso Médio: Vitor Belfort x Nate Marquardt
Peso Médio: Paulo Borrachinha x Oluwale Bamgbose
Peso Meio-Médio: Erick Silva x Yancy Medeiros

CARD PRELIMINAR (a partir de 19h30, horário de Brasília):

Peso Galo: Raphael Assunção x Marlon Moraes
Peso Médio: Antônio Cara de Sapato x Eric Spicely
Peso Galo: Johnny Eduardo x Mathew Lopez
Peso Galo: Iuri Marajó x Brian Kelleher
Peso Palha Feminino: Viviane Sucuri x Jamie Moyle
Peso Meio-Médio: Luan Chagas x Jim Wallhead
Peso Galo: Marco Beltran x Deiveson Alcântara

 

IBlackbelt
Categorias
EspeciaisLutasMMAMMA InternacionalUFC
Sem Comentários

Responder

*

*

RELACIONADO POR