Mirko “Cro Cop” Filipovic anuncia aposentadoria definitiva do MMA.

Dias depois de vencer o Torneio Peso-Absoluto do RIZIN, a lenda croata do esporte fala sobre o torneio, sobre sua saúde e anuncia aposentadoria definitiva dos esportes de combate e planos para o futuro.
(Foto: MMA Weekly)

“Agora é para valer”. Estas foram as palavras de Mirko Cro Cop Filipovic quando, há poucas horas, anunciou sua aposentadoria definitiva dos esportes de combate. O croata de 42 anos dá adeus aos ringues após 16 anos de contribuição ao MMA, 21 ao Kickboxing e cartéis de 35 vitórias, 11 derrotas, 2 empates e 1 No Contest no MMA e 23 vitórias e 8 derrotas no Kickboxing.

Mirko venceu o Torneio Peso-Absoluto do RIZIN na virada do ano, derrotando quatro oponentes em um intervalo de 4 meses (finalizando um oponente em Setembro e nocauteando três oponentes em dois dias, em Dezembro) e retornou à Croácia esta noite. Em entrevista à emissora croata NOVA TV, Mirko deu os motivos para sua retirada definitiva dos ringues:

“Este é definitivamente o último torneio que participo. Tenho problemas de saúde. Cheguei, definitivamente, no final da minha carreira. Há a possibilidade de uma luta de despedida, mas isto depende exclusivamente de meu joelho, onde tenho um problema sério e dificuldades para recuperar. E se eu chegar a fazer uma última luta, que seja em território japonês, onde a grande maioria de meus fãs estão.”

Mirko Cro Cop após vencer o Torneio Peso-Absoluto de 2016 do RIZIN. (Foto: MMA Core)

Mirko Cro Cop após vencer o Torneio Peso-Absoluto de 2016 do RIZIN. (Foto: MMA Core)

Na entrevista, Mirko também mostrou um bocado de arrependimento em retomar sua carreira nos ringues mesmo após lesionar seu joelho diversas vezes. O croata diz que sente dores constantemente e chama de “inferno” a situação que passa com os frequentes problemas na cartilagem do joelho:

“Devia ter prestado mais atenção aos ligamentos do meu joelho… A cartilagem já está destruída. Fiz tratamentos, cirurgias, infiltrações, punções…Ia ao médico uma vez por semana… Nunca mais quero passar por este inferno.

Sinto que dei meu melhor, e embora eu já tenha anunciado aposentadoria várias vezes, agora é para valer. Já consegui tudo que queria neste esporte e creio que deixei minha marca.”

Mirko Cro Cop golpeia Roy Nelsonem 2011, pelo UFC 137, em uma de suas três passagens pelo UFC. (Foto: MMA Mania)

Mirko Cro Cop golpeia Roy Nelson em 2011, pelo UFC 137, em uma de suas três passagens pelo UFC. (Foto: MMA Mania)

 

Mirko também falou sobre a preparação para o Torneio do RIZIN, sobre o trabalho de reabilitação, os combates em dias próximos e o que passou até finalmente sagrar-se o vencedor e como se sentiu revivendo antigas alegrias das épocas de PRIDE.

“Foi um momento muito especial, foram noites de muita festa e lembranças muito felizes. Memórias de bastidores, todas aquelas pessoas que estiveram comigo na época do PRIDE… É muito bom tê-los em volta.

Eu fui até o limite da minha dor… Foi, sem dúvida, a preparação mais difícil da minha carreira e também a mais dolorosa, por causa dos problemas que eu já tinha e que vêm se arrastando. Mas me sinto muito feliz, feliz por minha equipe e apesar deste esporte ser individual, não teria tido este êxito se não fosse por todos eles. Eles deram tudo de si e contribuíram para esta vitória. Agradeço-lhes de coração.”

Mirko Cro Cop com seu cinturão do Torneio Peso Absoluto de 2006 do PRIDE e o do K1 (Foto: MMA Mania)

Mirko Cro Cop com seu cinturão do Torneio Peso Absoluto de 2006 do PRIDE e o do K1 (Foto: MMA Mania)

Cro Cop falou sobre seus planos para o futuro e projetos com o esporte que ele pretende dar início na Croácia. Além disso, pretende descansar, curtir a cidade onde reside (Privlaka) e aproveitar para matar a saudade da família e dos amigos:

“Continuarei envolvido com o esporte. Algumas organizações estrangeiras me contataram, talvez trabalhe com eles, vamos ver… Talvez abra uma rede de academias, trabalhe com a formação de novos atletas. O esporte sempre será parte da minha vida.

Neste momento, estou descansando. Em breve, ficarei dez dias na minha cidade. Não vejo a hora de encontrar com meus parentes, amigos com os quais cresci, curtir minha família, socializar e jogar um pouco de baralho com os colegas…”

 

Categorias
EntrevistasEspeciaisLutasMMAMMA InternacionalRizin FFUFC

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    quatro × cinco =

    RELACIONADO POR