Meio-Pesado – (84 a 93 kg) | Nocaute na Rede

Meio-Pesado – (84 a 93 kg)

DANIEL CORMIER

Daniel Cormier (Foto: UFC/Divulgação)

Daniel Cormier (Foto: UFC/Divulgação)

 

Americano de Lafayette, Luisiana, nascido em 1979, Daniel Cormier é o atual detentor do cinturão dos Pesos Meio-Pesados.

 

INÍCIO

Praticante de Wrestling, Boxe e faixa marrom em Jiu-Jitsu, Cormier fez sua estreia no MMA profissional, já no Strikeforce.

Em sua primeira luta, no ano de 2009, Daniel nocauteou seu oponente no segundo round. Sua próxima vitória na mesma franquia não seria diferente, mais um nocaute, dessa vez no primeiro round.

Na sequência Cormier deixou o Strikeforce para ganhar dois cinturões em outros eventos distintos. Já em 2010, Cormier nocauteou Lucas Browne ganhando o cinturão do Xtreme MMA e em seguida, finalizou Tony Johnson garantindo o cinturão do KOTC.

Apenas uma semana depois de sua última vitória, Cormier finalizava Jason Riley no Strikeforce: Houston.

Fazendo sua quinta luta ainda no ano de 2010, Daniel defendeu seu cinturão do Xtreme MMA contra Soa Palelei. Cormier nocauteou seu oponente mantendo seu cinturão dos Pesos Pesados do evento.

Em 2011 Cormier voltava para o Strikeforce para garantir um sequência incrível de vitórias que iria garanti-lo como um dos melhores lutadores do evento.

 

CAMINHO PARA O CINTURÃO DO STRIKEFORCE

Já em janeiro de 2011, Cormier vencia Devin Cole por decisão unânime emplacando sua sétima vitória seguida em sua carreira. Em seguida Daniel venceu Jeff Monson também por decisão unânime em luta reserva do Grand Prix dos Pesados. Com a saída de Overeem do torneio, Cormier foi escalado para lutar contra Antonio “Pezão” Silva pela semi-final do GP. O brasileiro vinha de uma sequência de três vitórias sendo a ultima sobre o maior peso pesado da história, Fedor Emelianenko. Cormier chegou como a grande “zebra” da vez. Mas, não titubeou e nocauteou Pezão ainda no primeiro round. Era chegada a hora, Cormier estava a um passo de se tornar o campeão dos pesados do Strikeforce.

Josh Barnett havia vencido a outra semi-final e encarou Cormeir no dia 19 de maio de 2012. Em uma luta bastante técnica, os dois se mantiveram até o quinto round, terminando com a vitória de Daniel por decisão unânime.

Assista ao ultimo round da luta no vídeo abaixo:

Após a conquista do GP dos pesados, Daniel ainda fez uma luta com Dion Staring em 2013, nocauteando-o no segundo round. Na sequência, com a compra e extinção do evento, Cormier foi para o UFC.

Cormier com o cinturão do Strikeforce (Foto: Kyle Terada/US PRESSWIRE)

Cormier com o cinturão do Strikeforce (Foto: Kyle Terada/US PRESSWIRE)

 

UFC

Em abril de 2013, com um cartel de onze vitórias e nenhuma derrota, Cormier estreava no UFC contra Frank Mir. O adversário vinha de uma disputa de cinturão contra Júnior “Cigano”, ou seja, Cormier já chegou sendo valorizado e tratado como um campeão, enfrentando uma pedreira logo de cara. Em uma luta difícil Daniel venceu por decisão unânime. Na sequência, mais um adversário dificil, dessa vez Roy Nelson. Mais uma vitória por decisão unânime.

Daniel sentiu que podia e seria melhor descer para os pesos meio-pesados. E em fevereiro de 2014 fez sua estreia na nova categoria contra Patrick Cummins que, fazia sua primeira luta no UFC mas, não havia perdido ainda em sua carreira. Daniel logo mostrou a que veio e nocauteou seu oponente com um minuto do primeiro round.

Três meses depois, Daniel enfrentou a lenda Dan Henderson e o finalizou no terceiro round.

A próxima disputa de cinturão seria entre Gustafson e Jones, no entanto o sueco se machucou e deu lugar a Cormier, na sequência Jones sofreu uma lesão e o combate foi remarcado para 3 de janeiro de 2015.

 

O CAMINHO PARA O CINTURÃO DO UFC

Era chegada a hora, a chance da vida de Cormier. No entanto não deu para ele que, perdeu para Jon Jones por decisão unânime.

Após uma série de confusões envolvendo o nome de Jones, como testado positivo para cocaína após a luta com Cormier e atropelar um grávida fugindo sem prestar socorro. O cinturão dos meio-pesados ficou vago. E Cormier teve uma nova chance após sua primeira derrota na carreira. Dessa vez seria contra Anthony Johnson que, acabara de vencer Gustafson.

No dia 23 de maio de 2015, Daniel Cormier se tornou o novo campeão da categoria vencendo Anthony Johson por finalização no terceiro round.

Dono de um Wrestling impressionante e de uma força descomunal. Cormier teria agora mais um grande desafio pela frente. Gustafson, que havia impressionado a todos em sua luta contra Jon Jones em 2013, tinha agora uma nova chance.

Cormier com o cinturão do UFC (Foto: Josh Hedges)

Cormier com o cinturão do UFC (Foto: Josh Hedges)

 

Torcida pro sueco não faltava. Muitos acreditavam na vitória dele. Achavam que iria cansar Cormier como fez com Jones e manter a distância com aquele que é o melhor boxe da categoria. Mas, Cormier surpreendeu a todos e ao invés de amarrar a luta e pressionar Gustafson na grade como todos imaginavam, partiu para a trocação para mostrar a todos que é sim, um campeão completo. Cormier venceu em sua primeira defesa de cinturão, por decisão dividida, em luta apertada e de estratégia arriscada mas que mostrou ao mundo quem é o verdadeiro campeão.

Cormier lutaria contra seu maior rival, Jon Jones, pelo UFC 200: Tate vs. Nunes, mas Jon Jones não conseguiu lutar e o adversário de DC foi o brasileiro Anderson Silva, que foi derrotado pelo americano.

Após finalizar Anthony Johnson no UFC 210: Cormier vs. Johnson II, a próxima luta de Daniel Cormier era a tão aguardada revanche contra Jon Jones. Ela aconteceu no UFC 214: Cormier vs. Jones II, com nova vitória de Jon Jones. Entretanto, Jones foi pego no antidoping mais uma vez, o resultado da luta foi mudado para sem resultado e Cormier foi restituído campeão dos meio-pesados.

Com o cinturão de volta, DC o defendeu contra o lutador em ascensão Volkan Oezdemir no UFC 220. Com uma performance fenomenal, Cormier venceu Volkan por nocaute no 2º round do combate

 

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: http://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: http://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Jefferson Oliva.

Sem Comentários

Responder

*

*

18 − 17 =