UFC 215: Nunes vs Shevchenko 2 - Resumo, resultados e bônus

UFC 215: Nunes vs Shevchenko 2 – Resumo, resultados e bônus

Evento trouxe algumas boas lutas, além de Cejudo voltando as vitórias, Dos Anjos finalizando rapidamente e Amanda Nunes mantendo o cinturão em luta complicadíssima contra Valentina
(Foto: USA Today Sports)

Nesse sábado, 9, aconteceu o UFC 215: Nunes vs Shevchenko 2. Na luta principal, Amanda Nunes defendeu seu cinturão de forma bem sucedida pela segunda vez, em difícil combate contra ‘BulletValentina Shevchenko. No ‘co-main event’, Rafael dos Anjos teve uma performance excelente e vencendo Neil Magny sem dificuldades. No card principal tivemos ainda o duelo entre 2 ex-desafiantes ao cinturão de Demetrious Johnson, Henry Cejudo x Wilson Reis, os brutais meio-pesados Ilir Latifi x Tyson Pedro, além de um combate entre a inteligência vs raça, Jeremy Stephens vs Gilbert Melendez. Confira o resumão com o que de melhor aconteceu nos principais combates da noite.

(Foto: Reprodução)

Na luta principal, Amanda Nunes x Valentina Shevchenko se enfrentaram pela segunda vez. O combate foi tenso, nenhuma queria dar a outra a menor oportunidade de conseguir sair vencedora do duelo. A leoa foi a caça e passou 5 rounds caminhando pra frente, encurralando a oponente contra a grade. ‘Bullet’, apesar de tudo, se mantinha calma, sempre responde às investidas de Amanda, sempre contragolpeando rapidamente. A luta se desenrolou somente na trocação até por volta da metade do último round, quando a brasileiro buscou o clinch e por duas vezes derrubou a desafiante. No final, vitória de Amanda Nunes por decisão dividida (48-47/47-48/48-47), e cinturão mantido para o Brasil.

Rafael dos Anjos comemora vitória sobre Neil Magny ainda no 1º round (Foto: Getty Images)

Na luta co-principal, Rafael dos Anjos enfrentou Neil Magny em sua segunda luta na divisão dos 77 quilos. O combate começou bem movimentado, Magny já “jabeando”, trabalhando sua grande vantagem na envergadura buscando acertar e ao mesmo tempo manter o adversário na longa distância, enquanto Dos Anjos buscava logo de início a aproximação. Magny então posicionou-se muito mal em uma sua base, e com apenas um chute sem força derrubou o americano. Daí até a finalização foi só questão de tempo. O brasileiro que é faixa preta de altíssimo nível, dominou um pouco a posição, e ao menor vacilo do adversário, encaixou um katagatame, vencendo assim por finalização aos 3:43 do primeiro round.

Henry Cejudo comemora vitória após nocautear Wilson Reis (Foto: Reprodução)

Na terceira luta do card principal, Henry Cejudo enfrentou o brasileiro Wilson Reis. O brasileiro começou melhor do que contra Demetrious Johnson, indo pra cima, inclusive com mais vontade. No entanto, Cejudo veio cheio de fome pra dar fim a sua série de resultados negativos. No primeiro round, Cejudo acertou bons socos e até um chute na cabeça, mas foi no segundo que ele definiu a luta, acertando um bom soco no queixo, levando o brasileiro a knockdown e depois so terminando de castigar no ‘ground and pound’. Aí foi só esperar o árbitro interromper o confronto e decretar a vitória do americano por nocaute técnico aos 0:25 do segundo round. Cejudo volta ao caminho das vitórias após duas derrotas consecutivas.

Numa das quedas, Latifi arremessou Tyson Pedro no solo, e o australiano quase lesionou o braço (Foto: Reprodução)

Na segunda luta do card principal, os meio-pesados Ilir Latifi x Tyson Pedro fizeram um duelo bem técnico, mas um tanto morno. Tyson veio trabalhando na longa distância, aproveitando sua maior envergadura. Porém a todo momento o sueco Latifi conseguia a aproximação, principalmente em contragolpes após chutes aplicados pelo australiano. Latifi também se fez valer bastante de seu wrestling, conseguindo aplicar várias quedas no oponente, todas bem técnicas e algumas bem bonitas. No final, vitória de Ilir Latifi por decisão unânime (29-28/29-28/30-27).

Gilbert Melendez com toda expressão de dor ao ter a perna castigada por Jeremy Stephens (Foto: Getty Images)

Na abertura do card principal, ‘El Niño’ Gilbert Melendez estreou na categoria peso pena, e já enfrentando um oponente dos mais casca grossas da divisão, Jeremy Stephens. Na teoria era um confronto entre a força de Stephens e a técnica mais refinada de Melendez. No entanto, o que se viu foi um Stephens lutando com bastante inteligência, dosando a agressividade na medida certa, que castigou tanto a perna da frente do oponente com ‘low kicks’ que logo começou a “colher os frutos”. Melendez sentiu os chutes na perna – logo a canela ficou com um “galo” enorme – e começou a mancar, além de ter que andar com a preocupação de esconder a perna, ficando boa parte na base de canhoto, para evitar os chutes do adversário. ‘El Niño’ tentou ir pro in fight’, querendo resolver a luta, mas Stephens, que tanto gosta desse tipo de combate, inteligentemente o evitou, e foi levando a luta como já dito anteriormente, com muita inteligência. Melendez foi um guerreiro, caiu várias vezes sentindo dores, mas voltava a ficar de pé, foi inclusive cumprimentado e aplaudido pelo próprio oponente durante a luta devido a sua raça impressionante. No final, vitória de Jeremy Stephens por decisão unânime (30-26/30-26/30-25), saindo assim de uma sequência de duas derrotas. Por sua vez, Melendez chega a quarta derrota consecutiva.

RESULTADOS UFC 215: NUNES vs SHEVCHENKO 2

CARD PRINCIPAL

Galos Femininos: Amanda Nunes venceu Valentina Shevchenko por decisão unânime (48-47/47-48/48-47);
MeioMédios: Rafael dos Anjos finalizou Neil Magny com um katagatame aos 3:43 do 1º round;
Moscas: Henry Cejudo nocauteou Wilson Reis aos 0:25 do 2º round;
Meio-Pesados: Ilir Latifi venceu Tyson Pedro por decisão unânime (29-28/29-28/30-27);
Penas: Jeremy Stephens venceu Gilbert Melendez por decisão unânime (30-26/30-26/30-25)

CARD PRELIMINAR

Galos Femininos: Ketlen Vieira finalizou Sara McMann com um katagatame aos 4:16 do 2º round;
Galos Femininos: Sarah Moras finalizou Ashlee Evans-Smith com uma chave de braço aos 2:51 do 1º round;
Penas: Rick Glenn venceu Gavin Tucker por decisão unânime (20-27/30-25/30-24);
Leves: Alex White nocauteou MItch Clarke aos 4:36 do 2º round;
Pesados: Arjan Bhullar venceu Luis Henrique KLB por decisão unânime (triplo 29-28);
Leves: Kajan Johnson nocauteou Adriano Martins aos 0:49 do 3º round.

BÔNUS

Rafael dos Anjos e Henry Cejudo: US$ 50 mil para cada pelas performances da noite;

Jeremy Stephens x Gilbert Melendez – US$ 50 mil para cada pela “Luta da Noite”

MENÇÃO HONROSA

Como todos sabem, nosso resumo fala sobre as lutas principais do evento. Mas temos o “Menção Honrosa”, que traz aquele lutador ou momento de brilho do card preliminar. 

Quem aparece por aqui primeiro é a brasileira Ketlen Vieira. No 1º round, ela foi derrubada logo no início pela canadense Sara McMann, tomou várias cotoveladas no ‘ground and pound’, e passou o restante do round todo por baixo. No 2º round, Sara começou melhor novamente. No entanto, em um determinado momento elas foram para o clinch, grudadas na grade, e quando parecia que novamente a canadense vice-campeã olímpica de wrestling derrubaria novamente, foi a brasileiro que conseguiu a queda e ficou por cima. Na meia guarda, Ketlen foi buscando abrir espaço, mas sem bater muito. A atleta da Nova União se posicionou para um katagatame, mas ainda estava na meia-guarda, precisando assim passar para o outro lado. Mas a brasileira surpreendeu, e de repente, mesmo na meia-guarda, McMann acabou dando os 3 tapinhas. Vitória de Ketlen Vieira por finalização aos 4:16 do 2º round. Uma belíssima virada, um golpe lindo, técnico e surpreendente. Merece muito aparecer por aqui.

Quem também aparece por aqui é o americano Alex White e suas cotoveladas. O canadense Mitch Clarke começou melhor, movimentando, conseguindo acertar alguns bons socos e chutes, tentando grudar para derrubar o oponente. Os 2 lutadores foram para o ‘clinch’, Alex acertou uma cotovelada, e Clarke devolveu na mesma moeda. Em outro momento, voltaram ao ‘clinch’, e dessa vez o americano foi avassalador. White segurou Mitch com um braço e com o outro disparou fortes cotoveladas, abrindo inclusive cortes e deixando o rosto do rival bem ensanguentado. Posteriormente veio a acertar fortes socos e outras cotoveladas fora do ‘clinch’, até conseguir o nocaute técnico aos 4:36 do 2º round.

BOLA FORA

O “bola fora” do UFC 215 foi o árbitro do confronto entre os pesos penas Jeremy Stephens x Gilbert Melendez, Jerin Valel. Logo cedo, Stephens deixou a perna de Melendez bem machucada por vários ‘low kicks’. Em alguns golpes, Melendez sentia a perna e acabava indo parar no chão. Valel então corria pra cima como quem ia separar a luta, mas não separava, e ficava na frente de Stephens, e depois deixava o combate continuar. Stephens se mostrou irritado com a situação, e chegou a levemente dar um empurrãozinho no árbitro para que saísse de sua frente. Algumas pessoas chegaram a dizer que o árbitro errou em deixar Melendez continuar tanto tempo na luta com a perna machucada daquela forma, algo que eu discordo, mas o erro de fato foi ficar querendo entrar no meio da luta para encerrá-la e depois desistir, ao melhor estilo Yamasaki na luta entre Cody Garbrandt x Augusto Tanquinho, uma verdadeira “bola fora”.

IBlackbelt
Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Pai do Marco Antônio, Praticante de muay thai e MMA, Graduando em radialismo, Editor chefe do Nocaute na Rede, Redator nas seções de MMA nacional e internacional, Instrutor de Trânsito.
Sem Comentários

Responder

*

*

RELACIONADO POR