UFC 223 Parte 2: Brasileiro Renato “Moicano” Carneiro tem duelo duríssimo e sem favoritismo contra Calvin Kattar | Nocaute na Rede

UFC 223 Parte 2: Brasileiro Renato “Moicano” Carneiro tem duelo duríssimo e sem favoritismo contra Calvin Kattar

Anthony Pettis luta pela sua recuperação dentro do UFC diante de Michael Chiesa; Al Iaquinta x Paul Feder promete ser grande luta
(Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Neste sábado, o Barclays Center, no Brooklyn, em Nova Iorque, vai sediar a 223ª edição do Ultimate Fighting Championship com a luta principal entre Khabib Nurmagomedov e Max Holloway pelo peso-leve (até 70,3kg). Entretanto, iremos analisar esse confronto mais para frente. Por enquanto, vamos focar em três lutas que precederão as principais. O brasileiro Renato “Moicano” Carneiro encara Calvin Kattar pelo peso-pena (até 65,7kg) e precisa vencer para se recuperar na organização. Segundo as cotas do Oddsshark.com, Carneiro é o azarão, já que sua vitória está pagando R$2,15 para cada real investido contra R$1,74 do oponente.

Em péssima fase, o talentoso Anthony Pettis sobe no octógono a fim de encarar o norte-americano Michael Chiesa, que também precisa se recuperar, já que vem de derrota. A luta acontece pelo peso-leve e tem favoritismo de Chiesa. Também pelo peso-pena, Al Iaquinta e Paul Feder têm tudo para fazer uma excelente luta, muito pautada no equilíbrio. Vamos às análises!

(R$2,15) Renato “Moicano” Carneiro x Calvin Kattar (R$1,74) – peso-pena (até 65,7kg); Palpite: vitória de Moicano

O brasileiro Renato “Moicano” Carneiro está no UFC desde 2014, mas só fez quatro lutas pela organização, sendo três vitórias e uma derrota. Sem subir no octógono desde julho de 2017, quando perdeu por finalização para Brian Ortega, um dos melhores da categoria, Carneiro reinou por muito tempo no MMA dentro do Brasil.

Com um total de 12 lutas na carreira profissional, sendo 11 vitórias (cinco por finalização e seis por decisão), Moicano é um especialista na luta de solo, mas peca em eficiência na hora da trocação. Ex-campeão interino do Jungle Fight, o lutador é um dos brasileiros com maior expectativa dentro do UFC, mas para avançar na carreira vai precisar melhorar seu Muay Thai.

Renato Carneiro Moicano

(Foto: Inovafoto)

Aliás, o pouco poder em cima é a grande desvantagem de Renato com relação ao striker Calvin Kattar. Aos 30 anos, o norte-americano natural de Boston é perigosíssimo na trocação. São sete nocautes na carreira em um total de 18 vitórias. Ele também já triunfou por finalização em três oportunidades e por decisão oito vezes.

Sem saber o que é perder desde fevereiro de 2010, Kattar vem de 10 vitórias seguidas, mas com apenas duas sendo pelo UFC. Ele treina na academia Carlos Neto BJJ a fim de aprimorar seu jiu-jitsu, arma que ele mais peca e que vai ser o melhor caminho para a vitória de Moicano. Com mais ritmo de luta, já que subiu no octógono em janeiro desse ano, Calvin é o favorito no Oddsshark.com.

Calvin Kattar

(Foto: Mike Lawrie/Getty Images)

Meu palpite é de vitória de Renato Moicano porque acredito que sua maior experiência contra atletas mais cascudos acabará fazendo a diferença. Porém, é preciso que o brasileiro tenha muita cautela para não tentar medir forças com Kattar, que é bem forte para a categoria. O ideal é cozinhar, levar para o chão e trabalhar a luta no solo, onde ele se cria muito bem. No entanto, deixo claro que investir seu dinheiro em Calvin não é nada absurdo.

(R$1,74) Michael Chiesa x Anthony Pettis (R$2,15) – peso-leve (até 70,3kg); Palpite: vitória de Pettis

Aos 31 anos de idade, Pettis é um atleta muito experimentado dentro do UFC, onde atua desde 2011, depois de reinar no extinto WEC. Ele é muito talentoso, um verdadeiro showman. Porém, vive uma fase tenebrosa e está muito em baixa. Para se ter uma ideia, ele tem 20 vitórias e sete derrotas no cartel, sendo que cinco desses revés foram nas suas últimas sete lutas.

Entretanto, ele é muito respeitado e já venceu nomes como Jim Miller, Charles Oliveira, Donald Cerrone, Joe Lauzon e Ben Henderson (duas vezes). Sua sequência é ruim, mas ele já foi o detentor do cinturão da categoria e, apesar de tudo, é o 12ª no ranking do peso-leve. O cara tem moral principalmente por seu estilo de luta muito plástico oriundo do taekwondo.

UFC 223 Anthony Pettis

(Foto: Kyle Terada-USA TODAY Sports)

Pettis soma nove vitórias por nocaute, sete por finalização e quatro por decisão dos juízes, sendo que das suas sete derrotas cinco foram por decisão e apenas uma foi por nocaute e outra por finalização. Apesar dos pesares ele é um cara osso duro de roer, sem dúvidas. Vale ressaltar que as cinco derrotas nas suas últimas sete lutas, que configuram a má fase, foram para cinco caras de altíssimo nível (Dustin Poirier, Max Holloway, Edson Barboza, Eddie Alvarez e Rafael dos Anjos).

Com favoritismo nas cotas do Oddsshark.com, não tem a história que o seu oponente tem, mas já venceu nomes de peso e ocupa o 8º lugar no ranking da categoria. Com 30 anos ele soma 17 lutas em seu cartel, sendo 14 vitórias e três derrotas. Dez de duas vitórias foram por finalização e quatro foram por decisão, ao passo que já foi finalizado duas vezes e nocauteado em uma oportunidade.

Chiesa fez sua última luta em julho de 2017, quando foi tecnicamente finalizado por Kevin Lee. Ele é um atleta muito alto para a categoria (tem 1,85m), mas mesmo assim não utiliza muito esse recurso, já que gosta de encurtar a distância para trabalhar no chão.

Michael Chiesa

(Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

Eu acredito muito no talento de Pettis, embora entenda os motivos de Chiesa ser o favorito. Acho que temos que levar em consideração todo o contexto que envolve o momento atual do azarão, assim como é importante salientar sua facilidade na transição inerente ao MMA. Mais completo e com muitos recursos, vou me arriscar apostando em Anthony.

(R$1,95) Paul Felder x Al Iaquinta (R$1,87) – peso-leve (até 70,3kg); Palpite: vitória Felder

Esse duelo coloca frente a frente dois lutadores que amam trocar porrada, portanto, já destaco que há um alto grau de imprevisibilidade aqui. Paul Felder vem de três vitórias consecutivas, incluindo triunfo contra Charles Oliveira por nocaute, em dezembro do ano passado. Paul soma 15 vitórias em seu cartel, sendo 10 por nocaute, quatro por decisão e uma por finalização. Sua última derrota foi em setembro de 2016, e foi apenas a sua terceira na carreira.

Al Iaquinta é pequeno para a categoria, mas também é muito bom na luta em pé. Vindo de cinco vitórias consecutivas, ele está há um ano sem subir no octógono, quando passou por cima do respeitado Diego Sanchez. Ele nunca foi nocauteado e esse duelo pode ser uma grande oportunidade para que isso aconteça. São 13 triunfos (sete por nocaute, cinco por decisão e um por finalização) e três derrotas, sendo todas por finalização.

Os maiores recursos de Felder jogam a favor de si e por isso mesmo ele é o meu palpite para a vitória desse confronto. É um atleta que leva vantagem na envergadura, tem mais recurso de transição e vai ser um tremendo desafio para Iaquinta. Por serem dois nocauteadores se enfrentando, é importante que você saiba que tudo pode acontecer.

Cotas para o UFC 223:

(R$2,15) Renato “Moicano” Carneiro x Calvin Kattar (R$1,74) – peso-pena (até 65,7kg); Palpite: vitória de Moicano

(R$1,74) Michael Chiesa x Anthony Pettis (R$2,15) – peso-leve (até 70,3kg); Palpite: vitória de Pettis

(R$1,95) Paul Felder x Al Iaquinta (R$1,87) – peso-leve (até 70,3kg); Palpite: vitória Felder

(R$1,54) Karolina Kowalkiewicz x Felice Herrig (R$2,60) – peso-palha (até 52kg); Palpite: vitória de Kowalkievicz

(R$1,36) Ray Borg x Brandon Moreno (R$3,35) – peso-mosca (até 56,7kg); Palpite: vitória de Borg

(R$1,59) Joe Lauzon x Chris Gruetzemacher (R$2,50) – peso-leve (até 70,3kg); Palpite: vitória de Lauzon

Categorias
ApostasEspeciaisLutasMMA InternacionalUFC

Louco por MMA Internacional e Nacional. Owner do Nocaute na Rede e Redator dos sites RSEsporte.com e Torcedores.com."1% de chances SEMPRE confiante"
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    4 × 3 =

    RELACIONADO POR