A caminho do UFC 198: Francisco “Massaranduba” Trinaldo

Aos 37 anos, com 5 vitórias seguidas e vivendo o melhor momento da carreira, Francisco “massaranduba” Trinaldo será um dos representantes brasileiros naquele que é apontado até mesmo como o maior...

Aos 37 anos, com 5 vitórias seguidas e vivendo o melhor momento da carreira, Francisco “massaranduba” Trinaldo será um dos representantes brasileiros naquele que é apontado até mesmo como o maior card da história do UFC, o UFC 198: Werdum vs Miocic, que será realizado no próximo sábado, 14, em Curitiba.

(Foto: Reprodução/ ESPN)

(Foto: Reprodução/ ESPN)

Mesmo sendo eliminado nas quartas de finais da 1ª edição do TUF Brasil, Trinaldo ganhou uma oportunidade de fazer uma luta pelo UFC ao final do programa. Após nocautear Delson “Pé de Chumbo” ainda no 1º round, acabou ficando na Organização.



No início, acabou vivendo uma fase inconstante, chegando a um cartel com 4 vitórias e 3 derrotas dentro do Ultimate. No entanto, após ser derrotado por Michael Chiesa em maio de 2014, no UFC 173: Barão vs Dillashaw, as coisas passaram a ser diferentes e Massaranduba iniciou um novo momento.

Já são 5 vitórias consecutivas. Venceu o brasileiro Leandro Buscapé (que só tinha uma derrota em toda carreira), o mexicano Akbarh Arreola, o norte irlandês Norman Parke (que nas últimas 12 lutas só havia perdido 1 vez), Chad Laprise (Massaranduba foi o primeiro a vencer  – e ainda por cima por nocaute – o campeão do TUF Nations: Canadá vs Austrália, que tinha um cartel de 10-0 na carreira) e a última vitória foi a maior de sua carreira, quando bateu de forma dominante o campeão do The Ultimate Fighter 9, Ross ‘the real deal’ Pearson. Para se ter uma idéia do feito de Trinaldo, dentre os lutadores que estão no top 15 de sua categoria, peso leve, somente Tony Ferguson (7) e Khabib Nurmagomedov (7), possuem uma sequência de vitórias melhor que a sua.

Com a excelente fase e a simplicidade que faz com que o público tanto o ame, Massaranduba foi chamado para integrar o épico card do UFC 198, onde enfrentará o bom e perigoso Yancy Medeiros, lutador quase 10 anos mais jovem que ele. Em caso de vitória neste sábado, o brasileiro pode finalmente conseguir entrar no top 15 da categoria mais disputada do Ultimate na atualidade, peso leve.

Mesmo com a preparação a todo vapor para fazer bonito diante de toda a torcida brasileira e mundial, o lutador da Evolução Thai arrumou um tempinho para conversar com o Nocaute na Rede, falando sobre esse bom momento na carreira, Yancy Medeiros, UFC 198 e um pouco mais. Confiram.

(Foto: Reprodução/ Bleacherreport)

(Foto: Reprodução/ Bleacherreport)

NR – Francisco, na sua última luta você teve uma grande atuação – para grande parte do público, a maior atuação da sua carreira – e venceu o Ross Pearson, chegando então à 5ª vitória consecutiva. Esse atual momento, é o melhor da sua carreira?

Eu sempre falo que a melhor fase é quando a gente vence. Hoje, graças a Deus estou em ótima fase e quero trabalhar para que ela dure bastante.

NR – O que você acha do seu próximo adversário, Yancy Medeiros?

Todos os que estão no UFC são bons, e o Medeiros tem um jogo que casa com o meu. Ele gosta de trocar a distância e evitar o chão, então vou trazer ele para o meu jogo e trabalhar para sair com a vitória.

NR – Como está a preparação para a luta? Chamou algum treinador ou lutador em especial para te ajudar neste ‘camp’ ou está tudo sendo feito só mesmo com a rapaziada da Evolução Thai?

Dizem que time que está ganhando não se mexe. Sempre faço minha preparação com mestre Dida e com o pessoal da Evolução. Se ele achar que precisa trazer alguém para ajudar, a gente traz. Mas tem sido só o pessoal da Evolução mesmo.

NR – Você irá lutar num evento épico, que inclusive é um dos maiores – senão o maior – da história de todo o UFC. O evento contará com grandes estrelas como Fabrício Werdum, Vitor Belfort, Minotouro e por aí vai. Como você se sente em estar dividindo um mesmo card com essas feras todas?

Na verdade, eu só penso na minha luta. Fico focado, nem olho o card. Concentração máxima.

NR – Ainda falando das estrelas do UFC 198, alguma dessas te serve de inspiração?

Não tenho ídolo ou me espelho em alguém. São todos grandes atletas, muitos já foram donos de cinturão mundial, inclusive o Werdum é o dono de um atualmente, então tem muita gente boa, mas procuro focar no meu trabalho mesmo.

NR – Hoje você treina e mora em Curitiba, ou seja, Curitiba é sua casa. Qual a emoção de lutar num evento desse nível diante de toda sua torcida, lutando em casa?

Lutar no Brasil sempre é muito bom. Em Curitiba vai ser uma experiência incrível, a cidade aqui respira MMA e não terei o desgaste de horas e horas de viagem e conexão em aeroportos, e isso já ajuda muito. Espero dar muitos motivos para a torcida gritar meu nome e comemorar.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Autor e escritor: Kaio Teixeira Lima



Categorias
EspeciaisMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

7 + 10 =

RELACIONADO POR