A segunda chance de ouro para Miesha Tate

Uma das mais queridas e aclamadas lutadoras do mundo, ex-campeã do Strikeforce e com bom retrospecto no wrestling colegial. Chama a atenção pelo seu charme, sua beleza e pelo...
Miesha Tate (Foto: UFC.com)

Miesha Tate (Foto: UFC.com)

Uma das mais queridas e aclamadas lutadoras do mundo, ex-campeã do Strikeforce e com bom retrospecto no wrestling colegial. Chama a atenção pelo seu charme, sua beleza e pelo que faz dentro do Octógono. Ela também tem atuações expressivas no jiu-jitsu sem quimono, títulos em outras organizações de MMA, já foi eleita a lutadora do ano, em 2011, mas, infelizmente, nunca recebeu o destaque que merecia no esporte. Essa é Miesha Tate, que vai em busca de sua consagração no próximo sábado, quando será, novamente, a desafiante pelo cinturão peso-galo do UFC.

O começo nos esportes

Retrato raro de Miesha Tate em seus tempos de Wrestling (Foto: Bleacher Report)

Retrato raro de Miesha Tate em seus tempos de Wrestling (Foto: Bleacher Report)

Miesha Theresa Tate nasceu no dia 18 de agosto de 1986 na cidade de Tacoma, estado de Washington, Estados Unidos. Miesha sempre teve mais afinidade com os garotos de onde morava e de sua escola. Por isso, ao invés de optar pelo basquete universitário, ela foi para o wrestling. No colegial, ela treinava somente com os homens e assim foi até a sua graduação pela Central Washington University. Ela foi campeã estadual de wrestling em 2005. Ainda na faculdade, ela descobriu o MMA e decidiu que tentaria treinar a modalidade. Acabou se apaixonando pelo jiu-jitsu, onde ela possui a faixa-roxa, e decidiu se aventurar nas artes marciais mistas.



As primeiras lutas de MMA

Quadro comparativo da segunda luta de MMA de Miesha (Foto: Reprodução/Youtube)

Quadro comparativo da segunda luta de MMA de Miesha (Foto: Reprodução/Youtube)

Na primeira luta que fez, Miesha ainda não tinha muito conhecimento do que poderia fazer dentro de um ringue. Acabou perdendo para Elizabeth Posener na oportunidade, e essa foi a sua única derrota no MMA amador. Em contrapartida, ela venceu cinco vezes neste período. Logo após veio a profissionalização. Ela começou a carreira participando de um torneio no evento HookNShoot, em 2007. Se chegasse a final, ela faria três lutas na mesma noite. Ela até venceu a primeira, contra Jan Finney, mas na segunda foi nocauteada por Kaitlin Young. Depois disso, ela conquistou mais cinco vitórias. A última dessa sequência foi em 2009, contra Lizbeth Carreiro, que lhe rendeu o título de campeã peso-galo do evento FCF, em abril de 2009, na categoria peso-galo (até 61kg).

A chegada ao Strikeforce e a conquista do cinturão

Miesha com seu cinturão do Strikeforce (Foto: yellmagazine.com)

Miesha com seu cinturão do Strikeforce (Foto: yellmagazine.com)

Depois de conquistar o cinturão do FCF, Tate foi convidada para lutar no Strikeforce, extinto evento norte-americano que revelou grandes lutadores. Logo em sua estreia, ela enfrentou Sarah Kaufmann, mas foi derrotada e demitida da organização. Voltou para o FCF, defendeu seu cinturão e, novamente, foi convidada a lutar sob o banner de Scott Coker. Dessa vez, as coisas deram certo para Miesha: Venceu na reestreia, contra Zolia Frausto, e foi campeã do GP peso-galo feminino da organização batendo, na final, Marloes Coenen em julho de 2011. Em apenas quatro anos de carreira, Miesha Tate conquistou dois cinturões. Chamava a atenção dos fãs pelo desempenho e pela beleza, mas ainda faltava algo para que ela ficasse em evidência na mídia.

O início da rivalidade com Ronda Rousey

Miesha Tate era campeã quando enfrentou Ronda Rousey pela primeira vez (Foto: newsmma.wordpres.com)

Miesha Tate era campeã quando enfrentou Ronda Rousey pela primeira vez (Foto: newsmma.wordpres.com)

Miesha era o centro das atenções do peso-galo feminino mundial na atualidade, mas outra jovem atleta também estava surgindo forte no Strikeforce. Era Ronda Rousey, que estava finalizando todas as adversárias rapidamente com sua famosa chave de braço. Ronda provocou muito Miesha, abusou do trash talking e conseguiu ser a primeira desafiante ao cinturão que Tate acabara de conquistar. Miesha não gostou nada do fato, dizendo que Ronda sequer fez por merecer a chance. Rousey rebateu dizendo que a, então campeã, tinha feito uma luta “entediante” para conquistar o título sobre Coenen. Miesha Tate ainda afirmou que a organização só deu o title shot para Ronda Rousey “por ela ser bonita”. Depois de muita briga e troca de sutilezas, as duas se enfrentaram em março de 2012 e Ronda não deu chances para Miesha, a finalizando com uma chave de braço no primeiro round. Finalização essa que acabou mal para Tate, já que ela teve o braço quebrado pois demorou para dar os três tapinhas que indicariam a desistência dela do combate.

Final do Strikeforce e a chegada ao UFC

Miesha Tate (de rosa) teve uma estreia pra esquecer no UFC (foto: UFC.com)

Miesha Tate (de rosa) teve uma estreia pra esquecer no UFC (foto: UFC.com)

Sua última luta no Strikeforce foi contra uma das pioneiras do MMA feminino, a veterana Julie Kedzie. Miesha levou dois knockdowns no combate, mas reverteu a situação e a finalizou, fechando em grande estilo sua passagem na extinta organização. Depois disso, o Strikeforce foi incorporado ao UFC, e a categoria peso-galo foi criada. Ronda Rousey chegou como campeã e Miesha Tate teria que fazer uma luta para se credenciar como a próxima desafiante de sua antiga rival. A oponente era Cat Zingano. Invicta, com bom wrestling e tinha o jiu-jitsu afiado pelo seu falecido marido, Maurício Zingano. A luta entre as duas foi bem controversa, desde antes das duas entrarem no Octógono. Cat acusou o namorado de Miesha, Bryan Caraway, que também é lutador do UFC, de ter dado uma cotovelada em sua cabeça nos bastidores. Quando chegou a hora da luta, as duas deram tudo o que tinham. Tate foi melhor no primeiro round, acabou a luta por cima e, quando o assalto acabou, ela levantou botando a mão no rosto de Zingano, que ficou irada. Mas, depois disso, Cat melhorou muito no combate e venceu Miesha por TKO no terceiro round, colocando “água no chopp” nos planos do Ultimate de casar uma nova luta entre Ronda e Miesha.

The Ultimate Fighter 18 e revanche contra Ronda Rousey

Ronda e Miesha foram técnicas do TUF (foto: moviepilot.com)

Ronda e Miesha foram técnicas do TUF (foto: moviepilot.com)

A luta entre Cat e Miesha, além de ser uma luta que alçaria uma delas para a disputa de cinturão, também daria a oportunidade de comandar uma das equipes do Reality Show “The Ultimate Fighter”, ao lado de Ronda Rousey. Zingano venceu mas não pôde assumir o posto devido a uma grave lesão no joelho. O UFC escolheu Miesha Tate para ser a substituta, já que teria o apelo midiático da rivalidade entre ambas para dar audiência ao show. Durante todo o programa, o que se viu foram farpas trocadas de todos os lados, brigas e ofensas de Miesha para Ronda e vice-versa. No reality, quem se deu melhor foi Miesha. Apesar de ter perdido o “desafio dos técnicos” – e ter sido severamente ofendida pela rival, Rousey, em sua comemoração -, ela emplacou os dois campeões nas divisões peso-galo feminino e masculino. Entre as mulheres, Julianna Peña foi a campeã. Já entre os homens, Chris Holdworth foi o vitorioso. Os dois bateram atletas do time de Ronda na final (Jessica Rakoczy e Davey Grant, respectivamente). Depois do TUF, Ronda e Miesha voltaram a se encontrar no octógono no final de 2013. Até hoje, Tate foi a atleta que ficou mais tempo com Rousey dentro de um cage. Ela sofreu um grande castigo no primeiro e no segundo round, sendo quase finalizada. Mas no terceiro, ela não resistiu e bateu pouco antes do primeiro minuto. Novamente, ela perdeu para a sua maior rival.

Sequência de vitórias e a nova disputa de cinturão

Miesha Tate no media day do UFC Japão (foto: mmamania.com)

Miesha Tate no media day do UFC Japão (foto: mmamania.com)

Depois de duas derrotas consecutivas, uma delas pelo cinturão, Miesha Tate precisava se reerguer na organização que lhe contratara com grande status, mas onde ela não havia se saído bem. Mas as coisas começaram a mudar a partir de abril de 2014, quando ela enfrentou Liz Carmouche, ex-desafiante ao cinturão. Apesar da luta ter um resultado que foi contestado por algumas pessoas até hoje, Miesha saiu com a vitória na decisão dividida. Em setembro do mesmo ano, ela foi ao Japão encarar Rin Nakai, que é uma lutadora famosa no país e que faria sua estreia no UFC. Tate não teve dificuldades e, mesmo fazendo uma luta burocrática, conseguiu a vitória por decisão unânime. Em janeiro de 2015, ela enfrentou outra antiga postulante ao título: Sara McMann. Apesar de começar a luta não muito bem, inclusive levando knockdown de uma lutadora que tem em sua essencia o wrestling, ela mostrou coração para virar o combate e vencer por decisão majoritária dos jurados. O combate mais recente de Miesha foi contra Jessica Eye e foi aí que ela chamou a atenção, tamanha a evolução que mostrara naquele embate. A sua trocação foi bem trabalhada e ela conseguiu ser superior à oponente, uma striker, tanto em pé quanto no chão. Miesha enfileirou quatro adversárias e pediu uma nova chance de enfrentar Ronda. Porém o Ultimate optou por Holly Holm, o que fez Tate até pensar em se aposentar. Mas, como todos sabemos, Holm chocou o mundo, derrotou Rousey de forma devastadora e incontestável e abriu brecha para uma nova desafiante surgir, uma vez que Ronda se mostrou abalada pela perda do título e se afastou das lutas por tempo indeterminado.

O próximo duelo: Holly Holm

Holly Holm e Miesha Tate na coletiva de imprensa do UFC 196 (Foto: UFC.com)

Holly Holm e Miesha Tate na coletiva de imprensa do UFC 196 (Foto: UFC.com)

Miesha e Holly se conhecem, mas não no mundo das lutas: Elas contracenaram juntas em um filme, chamado “Fight Valley”Cris Cyborg também fez parte do elenco. Por isso elas se respeitam bastante. Mas, depois da derrota de Rousey, Tate buscou a todo o momento a luta pelo cinturão. E conseguiu. Ela terá a segunda chance de se sagrar campeã do UFC. Não era pra menos. Tate tem, atualmente, a maior sequência de vitórias da divisão e com essas vitórias, provou que pode ser, sim, campeã. Como? O plano de jogo dela não poderá envolver muita trocação, uma vez que Holm é multi campeã no Boxe e no Kickboxing. Além disso, Miesha tem desvantagem na altura e no alcance, o que dificultará o desenvolvimento de sua trocação durante o combate. O mais provável é que ela tente derrubar e usar seu wrestling e jiu-jitsu para finalizar Holly no chão e chocar o mundo, já que ela não é a favorita nas casas de apostas.

Miesha Tate tem, assim como Holly, potencial para ser uma das grandes estrelas do UFC. Mas passará pelo maior teste de sua carreira no próximo sábado. Se ela vencer, se colocará em rota de colisão contra a sua antiga rival, Ronda Rousey, desta vez como campeã. A tarefa não será fácil, mas ela tem plenas condições de conseguir.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH



Categorias
LutasMMA femininoMMA InternacionalUFCWMMA

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

18 − 17 =

RELACIONADO POR