Alex Cowboy promete dar show e manda aviso para Donald Cerrone

Após a lesão de Tim Means, o brasileiro Alex ‘cowboy’ Oliveira foi chamado às pressas para enfrentar o ‘cowboy americano’ Donald Cerrone, no próximo dia 21 de fevereiro.  “O...

Após a lesão de Tim Means, o brasileiro Alex ‘cowboy’ Oliveira foi chamado às pressas para enfrentar o ‘cowboy americano’ Donald Cerrone, no próximo dia 21 de fevereiro. 

(Foto: Reprodução/ Instagram)

(Foto: Reprodução/ Instagram)

“O mestre me telefonou para falar que tinha uma luta para mim. Perguntei quem era o adversário, e ele respondeu: “Cerrone”. Eu falei: “Estou dentro, 77kg, tranquilo. Fecha o pacote e vamos ver no que vai dar”. É a principal luta da noite, contra um cara que tem nome para caramba, dois cowboys batendo de frente. É muito importante para mim fazer uma grande luta. Aceitei na hora. Não falo muito, sou mais de fazer. Eu sempre quis enfrentar o Cerrone. É um cowboy americano, eu sou o brasileiro. Quero bater de frente para ver o que acontecerá. Fico feliz de lutar contra ele. Vai ser uma luta dura e espero que acabe no terceiro round. Ele é duro, mas eu também sou”, contou como foi que recebeu a notícia para fazer esta luta.



Alex contou também o que espera de seu combate contra o ex desafiante ao cinturão dos pesos leves.

“Vai ser um duelo muito bom, são dois caras explosivos, que estudam a luta e saem na porrada. Ninguém vai economizar energia, é porrada o tempo todo. O público vai ficar vidrado. Temos que dar sempre show, senão o Dana White não gosta (risos). Vou laçar o Cowboy americano e fazer o que fazemos de melhor, que é dar show. Como diz o Dana White, conte sempre com um Cowboy. Seja o Cerrone, seja eu. Estou sempre treinando, eu não paro. Estou treinando para “tampar” na porrada. Eu respeito o Cerrone para caralho, mas, lá dentro, só um pode sair com o braço erguido. E esse cara sou eu”, analisou o atleta da TFT.

Na continuação de sua análise, o ‘cowboy brasileiro’ declarou que sabe que caso a luta passe do terceiro round, a vantagem será de Cerrone, que já estava se preparando adequadamente para um combate de 5 rounds.

(Foto:Marcelo Barone)

(Foto:Marcelo Barone)

“Essa vantagem existe porque ele estava treinando para cinco rounds, eu estava só mantendo o treino em dia. A oportunidade é uma só: quando vem, você tem que agarrar. Estou ciente de que é um cara duro, mas vou dar meu máximo lá em cima. Quero fazer o trabalho certinho para terminar o quinto round do jeito que entrei no primeiro”, continuou a análise.

Sobre seu oponente, Alex declarou saber que é um cara duro e muito técnico, mas também mandou um alerta.

“O Cerrone é duro, técnico, mas estou pronto. É um cara que improvisa em cima da hora. Estou vendo que ele vai sair na porrada, chutar bastante, se eu deixar, ele vai me levar para o chão, por saber que é meu ponto fraco. Ele não pode deixar a minha mão ou meu chute entrarem também, porque eu bato forte”, avisou o lutador.

No dia do combate, caso a vitória venha, o lutador brasileiro já sabe como comemora.

“ai ter muito peixe, uma cervejinha e um uísque. Está bom demais (risos)”, concluiu Alex Oliveira.

(Foto: Reprodução/ MMA Mania)

(Foto: Reprodução/ MMA Mania)

Alex Oliveira tem 27 anos e um cartel com 17 lutas, 13 vitórias (9 nocautes, 2 finalizações e 2 por decisão), 2 derrotas (1 finalização e 1 por decisão), 1 empate e 1 ‘no contest’. O lutador fez sua estreia no UFC em março de 2015, quando fez uma espetacular exibição, mas ao final do combate, terminou sendo finalizado por Gilbert Durinho. Após a estreia, lutou mais 3 vezes e venceu todas, sendo 1 por finalização, 1 por decisão e a última por nocaute. Até o momento, apenas em sua última luta, contra Piotr Hallmann, é que Alex fez uma ‘camp’ completo. Nas outras 3 vezes anteriores que esteve no octógono, foi sempre chamado de última hora, mas sempre fez bonito. Que dessa vez não seja diferente.

Por sua vez, Donald Cerrone é um atleta que transborda experiência. O lutador tem 32 anos e um cartel com 36 lutas, 28 vitórias (5 nocautes, 15 finalizações e 8 por decisão), 7 derrotas (2 nocautes, 1 finalização e 4 por decisão) e 1 ‘no contest’. Cerrone havia perdido pela última vez em agosto de 2013, para Rafael dos Anjos. Após isso, engrenou uma sequência que chegou a 8 vitórias consecutivas, até que em sua última luta enfrentou o mesmo Rafael dos Anjos, dessa vez em luta válida pelo cinturão peso leve. Cerrone fora nocauteado com menos de 1 minuto de combate e decidiu então seguir rumo aos pesos meio médios, buscando “novos horizontes”.

 Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH



Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede, sonha em seguir carreira na área esportiva; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral (principalmente MMA, futebol e basquete); Praticante de MMA e muay thai;
Sem Comentários

Responder

*

*

um × 3 =

RELACIONADO POR