Alimentação correta potencializa treinos de artes marciais

O alto gasto energético de atividades físicas relacionadas a lutas faz com que atletas busquem suplementos para aliarem à alimentação do pré e o pós treino
alimentacao treino artes marciais
Crédito da foto: JL G / Pixabay

A dieta de todo atleta é sempre rigorosa e muito bem elaborada. Isso é ainda mais verdadeiro quando se refere a lutadores de modalidades como o judô, jiu jitsu, muay thai, karatê, taekwondo, boxe. Tais lutadores exercem uma rotina puxada de treinos, com alto gasto de energia e esforço muscular. Podemos potencializar ainda mais o desafio de nutrir um atleta adequadamente, quando se trata de um lutador de MMA, tipo de luta que engloba os diversos estilos mencionados acima. Não é só a qualidade do treino que formará um futuro campeão da modalidade. Um atleta de corpo bem nutrido, nas mãos de um bom treinador, tem mais chances de estar entre os melhores do MMA

Normalmente as lutas são disputadas em categorias diferentes, relacionadas à faixa de peso de cada atleta. A alimentação também aparece como fator decisivo quando se trata de controlar o peso do lutador dentro de sua categoria. É vital estar atento ao calendário de competições do atleta que busca se nutrir adequadamente. Na reta final de um período de treinos, quando um combate se aproxima, é normal que os atletas percam até 10 quilos em uma semana.  



A parte preocupante é que essa perda de peso não diz respeito somente à gordura, mas também à massa muscular, o que prejudica a performance. O acompanhamento de um nutricionista que seja especializado em esportes de alto rendimento ajuda a evitar esse problema. O profissional de nutrição vai disponibilizar a programação alimentar ideal, muitas vezes com o auxílio de suplementos importantes. Muitas vezes difícil de ser encontrada no Brasil, a creatina universal importada é um deles. 

Existem diversos suplementos importantes para o atleta, principalmente na fase de treinos de carga, onde é trabalhada a força. Além da creatina, BCAA, Whey Protein e glutamina são alguns desses produtos. No entanto, muitos deles ainda custam caro no Brasil. Alternativas, como sites estrangeiros que entregam no país, estão se popularizando e devem ajudar na evolução dos lutadores brasileiros.  

Por exemplo, o preço do suplemento de beta alanina em sites dessa categoria é mais convidativo do que os praticados no mercado local. É importante frisar que cada atleta pede um tipo de suplemento e a quantidade é determinada de acordo com o calendário de lutas, avaliação física, treino e alimentação. As indicações devem ser sempre feitas por nutricionistas especializados. 

Embora muito particular, a dieta do atleta que luta qualquer estilo deve assegurar a ele energia para gastar nos treinos, a administração da gordura corpórea e a melhora constante da performance, seja no tatame, no octógono ou no ringue. Ingerir pouco carboidrato, e desse pouco, somente carboidratos de baixo índice glicêmico (iogurte sem açúcar, leite desnatado, feijão de soja, queijo, lentilhas e ameixa), proteínas calculadas pelo nutricionista e gorduras compostas de TCM (triglicérides de cadeia média), além das frutas, verduras e legumes, tornarão o período de treinos pré-combate muito mais eficiente.  

Hidratar-se adequadamente também é fundamental. Além das plenas funções biológicas do corpo do atleta, a boa hidratação vai dar a ele mais energia e resistência muscular. Lutadores que estão acima do peso de sua categoria na véspera de combates costumam apelar para práticas pouco ortodoxas em busca da redução de peso, como a banheira de gelo com calor nas axilas ou longas sessões de sauna com roupas de inverno. Isso faz com que a perda de peso se dê junto com a perda de minerais importantes contidos nos líquidos corporais. 

Hidratação adequada 

Um lutador deve ingerir no mínimo 3 litros de água por dia. A depender da fase dos treinos e das medidas do atleta, a dosagem pode ser alterada, sempre para cima. Existe um cálculo médio para a hidratação – recomenda-se um consumo entre 600 ml a 1,2 litro a cada hora de exercício. O ajuste da dosagem vai se dar com a pesagem pré-treino. Se o lutador pesa 85 kg antes do treino e sai com 83,0 kg, então ele deve repor 2 litros de água logo em seguida. Ainda como exemplo, caso o atleta tenha tomado 500 ml durante o treino e a perda de peso tenha sido a mesma, deve-se repor então 2,5 litros de água. 

Antioxidantes são vitais para lutadores 

Para suprir o stress físico e psicológico e os processos inflamatórios no corpo, causados por eventuais lesões, é recomendado o uso de nutrientes, vitaminas e minerais, substâncias que exercem função antioxidante no organismo e agem no combate aos radicais livres gerados durante o exercício. As vitaminas C e E, o betacaroteno e o mineral selênio, encontrado em grande quantidade na castanha, são antioxidantes bastante eficientes. Vários outros alimentos, como o molho de tomate, a melancia, a goiaba, o chá verde e as frutas e verduras quando frescas, possuem função antioxidante no organismo. Isso porque são ricos em substâncias bioativas, como o licopeno, as catequinas e os bioflavonóides. 

Conteúdo por agência emarket



Categorias
LutasMMA Nacional

Louco por MMA Internacional e Nacional - Owner do Nocaute na Rede"1% de chances SEMPRE confiante"
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    19 − 11 =

    RELACIONADO POR