Análises, resultados e bônus – A leitura do UFC FN 98: Dos Anjos vs. Ferguson

Kauê Macedo analisa os principais combates do UFC FN 98
Foto: Reprodução - UFC Network




A Cidade do México recebeu seu terceiro evento do UFC em toda sua história, dessa vez, o primeiro evento que não envolvia uma disputa de cinturão dos pesos pesados.

O evento não teve nenhum nome muito famoso, mas foi composto por vários lutadores fora dos holofotes que tem um nível técnico altíssimo, como Tony Ferguson, Rafael dos Anjos, Ricardo Lamas, Beneil Dariush e Rahis Magomedov.



Foi uma grande noite de lutas e com combates excelentes, que proporcionaram tanto emoção quanto admiração de qualidade técnica e tática.

Deixando a introdução de lado, vamos ao que interessa.

 

Rafael dos Anjos x Tony Ferguson

Na luta que mais eu mais aguardava na noite, Rafael dos Anjos e Tony Ferguson fizeram uma luta sensacional, que foi decidida nos detalhes e ganhou o prêmio de melhor da noite.

Rafael começou o primeiro pressionando bastante, trabalhando os chutes baixos, acertando ótimas combinações com as mãos e ainda caiu por cima, onde trabalhou o controle posicional por cima e usou o ground and pound. No segundo round, foi Tony Ferguson quem pressionou mais, além de ter controlando a distância, onde acertou bons golpes e conseguiu atordoar Rafael, conseguindo um 10-9 a seu favor. O terceiro round foi o mais parelho até então, ambos os lutadores foram agressivos e acertaram bons golpes, mas Rafael teve uma leve vantagem e levou o 10-9. Ferguson cresceu bastante no quarto round, acertando bons golpes e pressionando mais, tendo vantagem clara na pontuação. Para quem pontuou os rounds anteriores igual a mim (e aos juízes), sabia que o quinto e último round era o que decidiria a luta, e Ferguson foi bem nele, controlando a luta da media pra longa distância, encurralando RDA contra a grade e acertando mais golpes que o brasileiro, conseguindo mais um 10-9 e garantindo a vitória por 48-47.

Vitória importantíssima de Tony Ferguson, que se torna um potencial próximo desafiante ao cinturão, seu único problema será disputar a vaga com Khabib Nurmagomedov, que eu considero o melhor peso leve do planeta, que luta ainda nesse mês, contra Michael Johnson no card preliminar do UFC 205, que acontece em Nova Iorque.

Rafael dos Anjos, por sua vez, soma a segunda derrota consecutiva e fica muito longe de uma disputa de cinturão, e agora terá que correr atrás para se recuperar e se manter no topo da elite da categoria mais forte do MMA.

 

Diego Sanchez x Marcin Held

A co-luta principal foi muito interessante, uma batalha técnica e tática entre o veterano Diego Sanchez e Marcin Held, prospecto produto do Bellator.

Marcin Held começou o primeiro round bem, sendo levemente superior na trocação, pressionando e controlando a distância, defendendo a tentativa de queda de Sanchez com sucesso e quase conseguindo uma finalização por estrangulamento, que foi bem defendida por Diego da forma mais grosseira (no bom sentido) possível.

No segundo e terceiro round, Sanchez foi completamente dominante, deixando a trocação de lado e investindo na luta agarrada, onde controlou o polonês, que é um grande grappler, por quase dez minutos com controle posicional, passagens de guarda, ground and pound e defesa de finalizações. Performance espetacular do veterano, que mostrou que não está para brincadeira e impôs muito respeito em cima de um adversário do nível de Marcin Held.

 

Ricardo Lamas x Charles do Bronx

Outra grande luta, com reviravoltas e belo nível técnico.

Ricardo Lamas é muito superior no wrestling e conseguiu quedar Charles do Bronx com facilidade, fechando com 100% de precisão. Mas apesar de ser superior nessa área, era inferior no chão, onde acabou passando um belo perrengue. Lamas conseguiu usar o controle posicional por cima e trabalhar o ground and pound, mas Charles conseguiu se virar por baixo e raspou e reverteu posições repetidas vezes, conseguindo chegar as costas de Lamas, encaixando um mata leão perigosíssimo que quase finalizou o norte americano, que foi salvo pelo gongo num round plausível de 10-8.

No segundo round, Lamas conseguiu cair por cima de novo e Charles respondeu no chão. Houve troca de posições até que Lamas, grande oportunista que é, encaixou uma bela guilhotina e finalizou o brasileiro, que bateu para uma guilhotina pela segunda vez consecutiva.

Vitória espetacular de Ricardo Lamas, que é um grande lutador, mas não é um monstro como os tops de sua categoria (como José Aldo, Frankie Edgar e Chad Mendes). Ele é bom em todas as áreas, consegue trocar bem contra a maioria da categoria, assim como consegue quedar e finalizar a maioria, é um belo porteiro do top 5 (no bom sentido) e é muito bom vê-lo voltando as vitórias. Charles, por sua vez, apesar de não ter lutado mais, está com sérios problemas, porque vai cair mais ainda no ranking e existe um grande possibilidade dele ter de começar a lutar no peso leve, o maior mar de tubarões do UFC.

 

Martín Bravo x Claudio Puelles

Na final do The Ultimate Fighter: Latin America 3, o mexicano Martín Bravo conseguiu uma grande performance em frente a sua torcida. Bravo colocou muita pressão no adversário, deixando Puelles encurralado contra a grade e, com o tempo, foi acumulando dano e disparando combinações até conseguir o nocaute no segundo.

Martín Bravo e Claudio Puelles são dois lutadores muito jovens e que se destacaram pelos seus países nos regionais da América Latina, mas temo que o nível técnico dos dois esteja muito abaixo da média do UFC. Só o tempo dirá se estou ou não equivocado.

 

Beneil Dariush x Rashid Magomedov

Essa era a segunda luta que eu mais aguardava no card inteiro, e, curiosamente, foi minha segunda favorita. Ela não me decepcionou (principalmente porque levei em consideração o fato da performance dos lutadores estar abaixo do normal devido a altitude da Cidade do México) e foi muito tensa e com alto nível técnico em todos os rounds.

O mais interessante dessa luta foi a parte tática de Dariush, respondendo ao altíssimo nível técnico de Magomedov com muita pressão, controlando o centro do octógono, mantendo o adversário contra a grade, fazendo a manutenção de distância e trabalho boas combinações, além de abafar o russo no clinch e garantir a pontuação a seu favor em todos os rounds.

Luta muito linda e de nível técnico excelente, como já era esperado por parte desses dois.  

 

Alexa Grasso x Heather Jo Clark

Alexa Grasso começou a luta de forma meio tímida, em ritmo lento, provavelmente testando timing e distância. Heather Jo Clark também estava com um ritmo lento, mas esteve melhor no começo da luta do que em todo o resto. Quando viu a brecha, Alexa explodiu muito bem e disparou ótimas combinações, variando golpes como socos e joelhadas, no corpo e na cabeça. Grasso dominou boa parte da luta, mostrando grande superioridade na trocação, acertando muito mais golpes que a adversária (120 de 200 x 74 de 127), e teve um sistema defensivo eficiente o suficiente para não ter problemas nas outras áreas, defendendo todas as tentativas de queda de Jo Clark. Grasso venceu todos os rounds e levou a luta por decisão unânime.

 

Segue todos os resultados e bônus oficiais do evento:

Tony Ferguson venceu Rafael  dos Anjos por decisão unânime (48-47, 48-47 e 48-47)

Diego Sanchez venceu Marcin Held por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-27)

Ricardo Lamas venceu Charles do Bronx por finalização aos 2m13s do R2

Final do TUF – Martín Bravo venceu Claudio Puelles por nocaute técnico a 1m55s do R2

Beneil Dariush venceu Rashid Magomedov por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)

Alexa Grasso venceu Heather Jo Clark por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)

Erik Perez venceu Felipe Sertanejo por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

Joe Soto venceu Marco Beltrán por finalização a 1m37s do R1

Max Griffin venceu Erick Montaño por nocaute técnico aos 54s do R1

Douglas D’ Silva venceu Henry Briones por nocaute técnico aos 2m33s do R3

Sam Alvey venceu Alex Nicholson por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-28)

Marco Polo Reyes venceu Jason Novelli por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

Enrique Barzola venceu Chris Avila por decisão unânime (30-26, 30-26 e 30-26)

Bônus de luta da noite: Tony Ferguson x Rafael dos Anjos

Bônus de performance da noite: Ricardo Lamas e Douglas D’ Silva

 

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH






Categorias
LutasMMAMMA InternacionalOpiniãoOpiniãoUFC

Jornalista freelancer. Matérias publicadas em Nocaute na Rede, Correio Paulista, Medium, Shion Magazine, NetFighter e Pitaco Esportivo. contato: [email protected]
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    dezessete − 13 =

    RELACIONADO POR