Após se manter invicto no MMA nacional, Altamiro Pereira agora quer se destacar em eventos internacionais

Após brilhar em eventos locais, lutador tem passado por algumas das maiores Organizações do Brasil, como Thunder, Imortal e Wocs, saindo vitorioso em todos elas
Altamiro comemora vitória, por nocaute, no Thunder Fight 11 (Foto: Reprodução)

Após realizar 3 combates em 2018, sendo duas vitórias e um empate, Altamiro “Miro” Pereira, atleta de 31 anos e um dos destaques da categoria peso-galo nacional em 2018, quer realizar “voos” ainda mais altos em 2019.

“Nesse ano espero lutar, se possível, mais do que em 2018. Graças a Deus consegui não ser derrotado em nenhum dos combates do ano passado e assim me mantive invicto. Nesse novo ano, espero, quem sabe, disputar um cinturão a nível nacional e ir ainda mais longe, fazer um combate e me destacar em eventos internacionais”, declarou com exclusividade ao Nocaute na Rede.



Após iniciar 2018 com um empate no RS Impacto Fight 2, “Miro” venceu duas lutas consecutivas, ambas por decisão unânime, no Imortal FC 9 e WOCS 53 respectivamente. No cartel, são 7 lutas e 7 vitórias, sendo 3 nocautes, 1 finalização e 3 por decisão.

Em sua última luta, vitória por finalização no WOCS 53 (Foto: Click Esporte)

SOBRE ALTAMIRO PEREIRA

Nascido em 17 de outubro de 1987, casado e pai de uma menina, Altamiro iniciou sua trajetória no MMA em 2013, tendo que conciliar uma vida corrida entre os treinos e o trabalho.

Após vencer no Imortal FC 9, Altamiro comemora (Foto: Reprodução)

“Eu conheci os professores Handerson Martins e Ivaldo Alves em 2013. Foi ali o início de um sonho. Um sonho que não tem sido fácil, mas eu nunca esperei que fosse. As 4:30 da manhã eu levanto e saio pra dar uma corrida. Às 7 horas vou pro serviço e quando termina já vou direto pra academia, começando a treinar às 19 horas. Treino MMA, muay thai, jiu jitsu e só vou chegar em casa por volta de 23:30. No outro dia, reinicio todo esse processo. Acho que essas dificuldade da vida tem me tornado cada vez mais forte”, declarou o atleta da TFT Maranhão.

Além dessa rotina cansativa, “Miro” ainda tem outra batalha diária. Sua filha, Maria Clara, sofre de mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, uma malformação congênita da coluna vertebral de crianças, onde as meninges, a medula óssea e a raízes expostas ficam expostas. “Miro” utiliza a filha como forma de inspiração para buscar cada vitória.

Altamiro e a filha, Maria Claro (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)

“Antes de cada batalha a ser travada, me fortaleço ao olhar para minha filha, uma guerreira que não desiste nunca, que já passou por várias cirurgias e sempre volta sorrindo, com a esperança de um dia poder andar. Há 7 anos ela vem lutando contra essa doença e com a ajuda de alguns aparelhos, já consegue dar alguns passos. Apesar das dificuldades, vejo ela cada dia mais forte, então eu não posso decepcioná-la. Sempre buscarei essa inspiração nela e darei o melhor de mim”.

Além de ter o cartel invicto e ser dono do cinturão profissional peso-galo do Bradar Fight, “Miro” é dono de títulos no jiu jitsu, boxe (amador), muay thai (amador). Foi também premiado pelo “Oscar do MMA” maranhense como “Melhor Atleta de MMA 2017” e “Melhor Luta de Boxe 2017”.

“Miro” com o cinturão peso-galo profissional do BFC (Foto: Reprodução)



Categorias
Imortal FCLutasMMA NacionalThunder FightWocs

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

dez + 5 =

RELACIONADO POR