Bate-papo exclusivo com Vitor Miranda, o ”Lex Luthor”

Vice-campeão do The Ultimate Fighter pelo time de Chael Sonnen, campeão do K-1 na Turquia em 2007 e lutador da Team Nogueira. Este é o perfil de Vitor ”Lex...

Vice-campeão do The Ultimate Fighter pelo time de Chael Sonnen, campeão do K-1 na Turquia em 2007 e lutador da Team Nogueira. Este é o perfil de Vitor ”Lex Luthor” Miranda (10-4), companheiro de treinos de Antonio Pezão, Anderson Silva, Irmãos Nogueira e muitos outros. O Nocaute na Rede teve o imenso prazer de realizar uma entrevista com o mesmo durante visita à cidade natal, Joinville, que fica em Santa Catarina.

Vitor na pesagem do UFC Machida vs Dollaway. Foto: (Gleison Venga, Sherdog.com)

Vitor na pesagem do UFC Machida vs Dollaway. Foto: (Gleison Venga, Sherdog.com)

NR: ”O Minotauro disse que pretende se aposentar no fim de 2015, você gostaria de lutar no mesmo evento da luta de despedida dele?”
Vitor: ”Essa é uma pergunta que não tinha passado pela minha cabeça, seria uma honra, uma grande honra mesmo. É como se ele tivesse passando o bastão, passando o legado dele pros novos atletas da Team Nogueira, isso seria espetacular. Isso independente se for eu ou outro atleta, se fosse lutar no mesmo dia que ele lutasse a sua última luta, seria maravilhoso.



NR: ”Como está a preparação do Anderson Silva para a luta contra o Nick Diaz? Chegou a treinar com ele? Como que está sendo?
Vitor: ”Não treinei com ele pessoalmente, mas ele nos últimos sparrings me passou a imagem de que ele continua o mesmo, o mesmo campeão, com a mesma disposição e treinando com vários sparrings ao mesmo tempo. Todo mundo troca com ele e vai revezando, tá no gás e muito motivado. Acho que a gente vai ver o mesmo Anderson de sempre.

NR: ”Agora um pouco sobre você mesmo. Após o UFC de Barueri o Antônio Cara de Sapato anunciou que vai descer de categoria, caso fosse concedida a oportunidade, tu gostaria de uma revanche com ele?
Vitor: ”Já especularam isso, mas acho que ainda não, ele tá no momento dele, ele venceu o TUF então ele merece campeões do TUF ou caras melhores em relação ao ranking, assim como ele pegou o Patrick Cummins e infelizmente perdeu. Mas na mesma categoria eu ainda tenho que caminhar um pouco mais para um dia se o UFC achar interessante que a gente lute de novo. De preferência eu gostaria de algum norte-americano no TOP 15 da categoria, está cheia de americanos. Caras que eu gostaria de lutar, então não me interessa lutar com ele de imediato, mas como a gente é funcionário do UFC, o que eles pedirem a gente faz.

NR: ”Como foi o tempo que você passou treinando na Flórida, lá na American Top Team com o King Mo e as outras feras?”
Vitor: ”Para falar a verdade, eu fui lá mais para ajudar o Pezão que ia lutar. Eu treinava sim, mas comecei a pegar bem mais pesado assim que voltei ao Rio de Janeiro.

NR: ”O que você sentiu quando estava sendo estrangulado pelo Jake Collier, e como você se sentiu depois da luta? Ele era tido como prospecto pois antes do UFC havia se tornado campeão peso-médio do RFA.
Vitor: ”Eu me senti muito bem, eu era o azarão. E ele realmente provou que é bom conseguindo me anular por alguns minutos mas eu estava muito bem preparado, foi a melhor preparação que eu já tive, se eu não nocauteasse no primeiro eu o nocautearia no segundo. Ele estava cansando e eu estava bem. E eu fiquei feliz por ter pego um adversário bem duro, bem conceituado e daqui para frente vai ser cada vez mais difícil.

Foto da entrevista, Vitor Miranda com Jorge Nojikoski (membro da equipe do Nocaute na Rede). Foto: (Reprodução, Facebook)

Foto da entrevista, Vitor Miranda com Jorge Nojikoski (membro da equipe Nocaute na Rede). Foto: (Reprodução, Facebook)

NR: ”Você já lutou duas vezes com o Fábio Maldonado, na segunda a vitória por pouco não foi sua. Supondo que você faça uma luta no meio-pesado, gostaria de lutar com ele pela terceira vez?”
Vitor: ”Eu acho que não, a gente fez uma luta bem desigual na primeira e na segunda foi muito parelha e eu fui para vencer, estava muito bem treinado. Depois ele foi para o UFC e está fazendo uma carreira brilhante e é um cara que virou meu amigo. A gente passou por boas coisas juntos, então não faz sentido eu buscar esta luta. É óbvio que o UFC têm suas estratégias e se for interessante isto, mas eu particularmente jamais gostaria de lutar com ele. Tem tanta gente boa para eu lutar aí que a gente pode brilhar em paralelo, não precisa um bater no outro para se sobressair.

NR: ”Para encerrar, existe alguém que você quer como próximo oponente na categoria dos médios?”
Vitor: ”Olha, eu estou analisando isso nesta semana e por curiosidade o Chael Sonnen me mandou email perguntando como eu estava e qual seria minha próxima luta e ele falou que eu deveria falar com UFC, manda email e me antecipar, fazer o trabalho para eles. Busque alguém que você queira lutar e ofereça, peça pois eles gostam disso. Eu vou fazer isso, vou analisar, não vou desafiar ninguém. Vou pedir ao UFC um cara que case com meu estilo, que a gente possa fazer uma boa luta, não tenho nenhum nome na cabeça, mas vou procurar alguém que seja interessante e vou falar com eles.

NR: ”Algum recado?”
Vitor: Um abraço para toda a galera.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Jorge Nojikoski



Categorias
EntrevistasEspeciaisLutasUFC

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

14 − doze =

RELACIONADO POR