Bolsonaro em nova polêmica no MMA – família Gracie se divide

Apoio de Renzo Gracie gera revolta na família
Deputado Jair Bolsonaro

Mais uma vez o deputado Jair Bolsonaro usa o MMA buscando autopromoção desde que pegou onda no apoio do lutador Paulo Borrachinha que no final de sua luta soltou um “Bolsonaro 2018” na edição do UFC Fortaleza, não parou mais. Voltou tentar aparecer na segunda apresentação do lutador no UFC 212 gerando uma expectativa que o lutador mais uma vez usasse o evento para promover o político e ironicamente, como nos tempos da ditadura que o candidato tanto louva, foi aparentemente censurado, pois foi o único lutador brasileiro que não teve direito a entrevista no final e nem houve menção da TV em relação a presença do famigerado deputado entre o público. Houve bastante discussão na internet sobre esse fato entre pessoas contra e a favor.

A presença do deputado só foi levada ao conhecimento do público em geral devido outra polêmica com o ator Bruno Gagliasso. Como se sabe, ele é envolvido com eventos e novas propostas em MMA, mas também sofreu ataques racistas na internet por ter adotado uma criança negra. Este se retirou do evento revoltado preferindo assistir as lutas em casa como declarou no seu Twitter.



 

Fonte: Twitter Bruno Gagliasso

 A última tentativa do deputado foi com a família Gracie. Ele esteve presente no Rio de Janeiro Gracie Pro, campeonato de jiu-jitsu idealizado por Kyra Gracie, realizado no Parque Olímpico no final de semana do dia 23 e 24 de julho. Alguns membros da família Gracie, incluindo Renzo e seu pai Robson, que expressaram opiniões favoráveis ​​sobre ele. “É o cara que tem que usar a armadura branca da gente”, disse Renzo Gracie. “A gente reconheceu pelo olhar, isso é uma fera. É isso que o Brasil está precisando, é um guerreiro”, acrescentou Robson.

Porém Reyson Gracie postou críticas em sua página no Facebook e comentou no próprio vídeo do Youtube onde Renzo e seu pai apoiaram Bolsonaro no capeonato de jiu-jitsu:

 

Fonte: Youtube

 Além disso no último domingo (30), Reyson compartilhou o que seria um post de Reila Gracie, filha de Carlos, e autora do livro ‘Carlos Gracie: O criador de uma dinastia’, em que dizia: “Repudio veementemente qualquer associação do meu nome e do sobrenome Gracie, representando a família, a usos políticos, principalmente a favor de candidatos homofóbicos, racistas e propagadores da tortura, que não respeitam as mulheres e a Constituição Brasileira”, escreveu Reyson.

Aparentemente Bolsonaro está conseguindo uma briga maior e mais periclitante do que acontece nos ringues dos eventos que ele anda frequentando incessantemente se promovendo, quase ganhando uma dimensão de torcidas organizadas já que suas declarações e posições são quase todas bem polêmicas por assim dizer.



Categorias
Especiais
Um Comentário
  • Vinicius roliM
    30 novembro 2017 at 02:05
    Responder

    Me desculpem mas achei um pouco parcial o texto.
    Pensei que iria ver algo diferente da parte dos Gracie desfavoráveis ao Jair mas felizmente (ou infelizmente) não foi.

    Lamentável alguns preconceituarem algumas atitudes de pessoas com de políticas. Atitudes e não ações.

    Mas foi uma boa informação.

    Oss

  • Responder

    *

    *

    4 × 1 =

    RELACIONADO POR