Cantando a verdade, com Agnes Lima: De azarão Cassius Clay à campeão Muhammad Ali

Há 51 anos, no dia 25 de fevereiro de 1964, o então garoto (ainda) Cassius Marcellus Clay Junior, tornava-se  detentor do título mundial dos pesos pesados. Cassius Clay, um...
Foto: espn.uol.com.br

Foto: espn.uol.com.br

Há 51 anos, no dia 25 de fevereiro de 1964, o então garoto (ainda) Cassius Marcellus Clay Junior, tornava-se  detentor do título mundial dos pesos pesados.

Cassius Clay, um garoto de 22 anos, petulante e atrevido, que 4 anos antes havia conquistado a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Roma, por ser detentor de 19 vitórias, 15 nocautes e nenhuma derrota foi credenciado a enfrentar o então campeão Sonny Liston, que vinha de 28 vitórias seguidas.



Mesmo com toda a petulância, um ouro Olímpico e um cartel invicto, Clay vinha como o azarão da noite para o duelo que iria mudar sua vida.

Tendo como ponto forte sua incrível velocidade, Clay surpreendeu a todos, movendo-se de um lado para outro sempre ao centro do ringue, e após o final do sexto round, com a multidão que lotou o Convention Hall, em Miami, Florida, totalmente ao seu favor, foi aclamado como o novo campeão mundial dos pesos pesados.

Dias após essa conquista, Cassius Clay, que converteu-se ao islamismo, deixou de existir mudando de nome e dando vida à maior lenda da história do boxe: Muhammad Ali.

Cá entre nós, além da luta em si, uma coisa que muito me fascina é a forma que Clay administrou esse embate desde o anuncio da luta.

O trash talk do garoto Clay era algo memorável.
Frases como: “Ele é feio demais. O campeão mundial deve ser bonito como eu”, ou “Eu sou o melhor pois falo com Deus todos os dias” ficaram eternizadas pela boca do desafiante que a cada ataque ao campeão ganhava menos adeptos.

Porém Clay era a criatura mais segura que já vi entrar num ringue. Sua certeza de vitória e inteligência em estudar a luta, dominar o ringue, administrar seus pontos fracos e identificar as fraquezas dos adversários fazem com que, pra mim, ele seja o melhor de todos os tempos.

Clay levou o boxe a um outro nível quando entrou naquele ringue contra Liston e se tornou o novo campeão mundial.
Há quem diga que a melhor luta de Ali foi contra Cleveland Williams, mas levando-se em conta que Williams havia sido baleado semanas antes, não estava 100% no ringue.
A melhor luta de Cassius Clay / Muhammad Ali pra mim foi essa, a conquista do primeiro título dos pesos pesados aos 22 anos, banhada a muito trash talk e surpresas.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Agnes Lima



Categorias
Boxe Nacional e InternacionalLutas

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

dezoito + doze =

RELACIONADO POR