Cinco motivos para assistir o UFC 249, com duas disputas de título, retornos, revanches e brasileiros no card

O evento tem como lutas principais Tony Ferguson encarando Justin Gaethje, pelo título interino dos Leves, e o retorno de Dominick Cruz, que enfrenta o campeão dos Galos Henry Cejudo
Foto: Tony Ferguson, Getty Images/ Justin Gaethje, Getty Images/ Henry Cejudo, Sarah Stier - AFP/ Dominick Cruz, sherdog.com

Após sobreviver a uma turbulência de acontecimentos negativos, o UFC 249 vai realmente acontecer. O evento ocorre no próximo sábado (9), a partir das 19h15 (horário de Brasília) e será o primeiro de três eventos da franquia que ocorrerão na VyStar Veterans Memorial Arena, em Jacksonville, Flórida (EUA).

A equipe do Nocaute na Rede pontuou 5 motivos que fazem do UFC 249 uma edição imperdível.



1 – Duas disputas de título

Devido aos acontecimentos causados em consequência da pandemia do COVID 19, o Ultimate se viu obrigado a realizar uma série de mudanças para esta edição. Uma delas foi a substituição do atual campeão Peso-Leve, o russo Khabib Nurmagomedov, que colocaria o título em jogo contra Tony Ferguson, pelo americano Justin Gaethje. Com Khabib impossibilitado de abandonar o solo russo, Tony e Justin se enfrentam pelo título interino da categoria.

Tony Ferguson encarando Justin Gaethje, pelo título interino dos Leves

Tony Ferguson encara Justin Gaethje, pelo título interino dos Leves. Foto: The Sun

Antes da luta principal da noite, veremos outro combate por disputa de título. Desta vez, o que está em jogo é o cinturão linear dos galos, que pertence ao californiano Henry Cejudo. Para se manter dono da coroa, Cejudo enfrenta Dominick Cruz, que é considerado um dos maiores campeões da categoria dos 61kg.

 

2 – Dois brasileiros em ação

O Brasil conta com duas participações nesta edição do Ultimate. Uma delas é o retorno ex-campeão dos pesados, Fabrício Werdum, que estava afastado desde março de 2018, quando foi nocauteado por Alexander Volkov, em Londres.  Werdum cumpriu dez meses de suspensão por doping e, liberado, retorna diante do russo Alexsei Oleinik.

Fabrício Werdum estava afastado desde março de 2018. Foto: TribunaPR

Outro brazuca que também sobe ao octógono neste sábado, é o capixaba Ronaldo Jacaré. O brasileiro enfrenta o jamaicano Uriah Hall, em um confronto que marca o seu retorno para categoria peso-médio (até 84kg), onde o brasileiro se manteve entre o TOP 5, até subir para os meio-pesados.

 

3 – Duas revanches

Filho de mãe Brasileira e pai Chileno, o atleta Vicente Luque, nascido na cidade Westwood, Nova Jersey, também integra o time de atletas que sobem ao octógono no UFC 249. Luque encara o já conhecido Niko Price, pelo card preliminar do evento. A luta se trata de uma revanche, onde sua primeira edição ocorreu no dia 28 de outubro, de 2017, pelo UFC Fight Night 119. Na ocasião, Luque conquistou a vitória aplicando um estrangulamento em seu oponente ao final do segundo round.

Outro reencontro marcado para este sábado, será o dos atletas Anthony Pettis e Donald Cerrone. Ao contrário de 2013, quando ambos se enfrentaram pela categoria peso-leve, desta vez o confronto ocorre na divisão dos meio-médios. No último embate, Pettis nocauteou o Cowboy por com um chute, ainda no primeiro round.

No último embate, Pettis nocauteou o Cowboy por com um chute, ainda no primeiro round. Foto: Esther Lin para MMA Fighting

 

4 – Duelo de Titãs

Se existe algo que agrada os amantes do MMA, é um duelo entre pesados. Isso ocorre porque a chances de nocaute neste tipo de combate é muito alta. E para este sábado, o card do UFC 249 apresenta um dos combates mais aguardados da categoria. De um lado, Ngannou “The Predator”, número 2 do ranking, com 1,93m de altura, 2,11m de envergadura, e oito vitórias por nocaute no Ultimate. De outro, Jairzinho: número 6 do ranking, 1,93m de altura, 1,98m de envergadura e um cartel 10-0, com quatro nocautes no UFC.

O confronto é resultado de um pedido de Jairzinho Rozenstruik. Foto: Futebol Interior

 

5 – A incerteza do amanhã

Infelizmente a humanidade vem passando por tempos sombrios e a frase “ninguém sabe o dia de amanhã” descreve exatamente o momento atual. A pandemia do coronavírus alterou a maneira como nós vivemos, e na esfera esportiva a situação não é diferente. Mesmo que o Ultimate já tenha confirmado mais três edições, o futuro é cheio de incertezas. Um exemplo disso é a própria edição de número 249, que em meio a este turbilhão de acontecimentos, já passou por mudanças como cancelamento, adaptações em relação ao público, combates que caíram e até mesmo atletas que perderam seus familiares. A edição de sábado terá um gostinho especial porque representa um sopro de esperança para os atletas, organizadores, jornalistas, entusiastas do esporte e todos aqueles que fazem a modalidade ser tão especial.

UFC 249

CARD PRINCIPAL (23h15, horário de Brasília):
Peso-leve: Tony Ferguson x Justin Gaethje
Peso-galo: Henry Cejudo x Dominick Cruz
Peso-pesado: Francis Ngannou x Jairzinho Rozenstruik
Peso-pena: Jeremy Stephens x Calvin Kattar
Peso-pesado: Greg Hardy x Yorgan De Castro

CARD PRELIMINAR (19h30, horário de Brasília):
Peso-leve: Donald Cerrone x Anthony Pettis
Peso-pesado: Alexey Oleynik x Fabricio Werdum
Peso-palha: Carla Esparza x Michelle Waterson
Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Uriah Hall
Peso-meio-médio: Vicente Luque x Niko Pride



Categorias
LutasMMAMMA InternacionalUFC
Sem Comentários

Responder

*

*

13 + onze =

RELACIONADO POR