Quatro motivos para não perder o UFC 234

Evento acontece hoje a noite em Melbourne, Austrália.
Poster oficial do evento

Fevereiro começou e o UFC realiza seu primeiro evento numerado do ano, trata-se do UFC 234, que acontece hoje à noite em Melbourne, Austrália. O evento tem como luta principal a disputa de cinturão peso-médio entre o campeão Robert Whittaker e o desafiante Kelvin Gastelum. O Nocaute na Rede listou aqui quatro motivos para você não perder o card dessa noite.

1. Os prospectos.



O card da noite traz nomes consagrados do MMA, mas também vem com grandes promessas esporte. É o caso de Devonte Smith, Nadia Kassem e Jim Crute. Devonte e Jim entraram para o UFC através do Contender Series, evento onde Dana White busca novos lutadores para o Ultimate, e já estrearam com boas vitórias. Com um cartel invicto de 5-0, Nadia também estreou no octógono com vitória sobre Alex Chambers na divisão peso-palha feminino; hoje a australiana sobe para o peso-mosca para enfrentar Montana De La Rosa.

2. A volta de Anderson Silva.

Após um ano de suspensão por doping, Anderson Silva retorna ao octógono no co-evento principal da noite. Spider enfrenta o Nigeriano Israel Adesanya. Há quase dois anos sem lutar, a ultima apresentação de Silva foi quando venceu Derek Brunson por decisção, em Fevereiro de 2017. A dúvida é se Anderson, depois de um longo hiato e aos 43 anos, e tendo um adversário apontado como grande nome da nova geração de lutadores, consegue se apresentar da mesma forma que fazia quando dominava a divisão peso-médio do UFC.

3. Israel Adesanya.

O Nigeriano está com tudo. Está invicto na carreira com 15 vitórias, já soma 4 triunfos no Ultimate, sendo o mais recente com um nocaute impressionante sobre Derek Brunson. Israel é apontado por muitos como próximo desafiante ao título peso-médio, porém terá pela frente o maior nome da história da divisão.

4. A disputa de título entre os dois maiores pesos-médios da atualidade.

Robert Whittaker e Kelvin Gastelum são sem dúvidas atualmente os dois maiores nomes da divisão peso-médio do UFC. A trajetória de ambos os lutadores é similar: Os dois são campeões de edições passadas do The Ultimate Figher, tentaram se consolidar entre os meio-médios sem obter grande êxito e subiram de categoria. Após serem treinadores do TUF 28, a disputa de cinturão entre os dois tem tudo para ser a luta mais empolgante da divisão de 185 libras dos últimos tempos.



IBlackbelt
Categorias
LutasMMA Nacional

Pernambucano/Cearense, estudante de publicidade.
Sem Comentários

Responder

*

*

oito + vinte =

RELACIONADO POR