Demetrious Johnson rasga o verbo contra Dana White “Feche a porra da divisão”

Ao bater o brasileiro Wilson Reis no UFC on Fox 24 em abril deste ano, o campeão peso mosca Demetrious Johnson igualou o recorde de Anderson Silva e chegou...
(Foto: Getty Images)

Ao bater o brasileiro Wilson Reis no UFC on Fox 24 em abril deste ano, o campeão peso mosca Demetrious Johnson igualou o recorde de Anderson Silva e chegou a 10 defesas consecutivas de cinturão. 

Após o combate, muito se perguntava sobre quem seria o próximo adversário, contra quem o ‘Mighty Mouse’ poderia chegar a 11ª defesa de cinturão e assim se tornar o maior de todos nesse quesito. Então foi “colocado na mesa” o nome de TJ Dillashaw, ex campeão peso galo do Ultimate. Dillashaw pediu o combate, disse que bateria o peso da categoria dos moscas, e a Organização aceitou. No entanto, Demetrious não aceitou a proposta, e após Dana White muito falar sobre sua recusa, o campeão então quebrou o silêncio.



“Mick Maynard, matchmaker do UFC nos pesos-moscas e galos, me ligou e ofereceu uma luta contra Ray Borg. Mas disse que Sergio Pettis era um nome mais comercializável, além de vir de uma série de vitórias maior. Mick levou a proposta ao Dana, que negou e disse que eu não tinha escolha: seria Ray Borg. Era determinação de Dana, da empresa e minha única chance de ter PPV nos pesos-moscas. Aceitei, mas não achei justo isso, já que Cody Garbrandt tem dito que quer descer de divisão e lutar pelo título, combate que eu aceitaria. Avisei ao Mick que aceitava enfrentar com Ray Borg, mas queria mais lutas em PPV. Dana e Sean Shelby responderam que me negariam todas as lutas de PPV nos moscas, não me dando outra escolha. Mesmo com tudo isso, decidi aceitar a luta com Ray Borg e engolir a situação injusta e tratamento desprezível de Dana e Sean comigo. Eu queria um motivo para não me darem lutas de PPV no futuro. Sean Shelby me chamou e disse que lutadores menores não vendem e que uma luta contra Cody não seria vendável. Discordei e acho que este seria um combate de apelo popular com um pequeno esforço do marketing da empresa”, escreveu Johnson numa espécie de carta enviada ao ‘MMA Fighting’.

DJ enumerou ainda os motivos pelos quais não está disposto a aceitar um combate contra TJ.

“Quando o Cody machucou as costas, a luta com o Ray Borg caiu e Dana queria que eu lutasse com TJ Dillashaw. Eu discordei por muitas razões: 1) TJ nunca lutou nos moscas e é improvável que ele consiga bater o peso. 2) Eles disseram que uma luta com Cody não seria vendável, então por que um duelo com TJ seria? 3) Dillashaw não é peso-mosca nem campeão de divisão, inclusive, sendo nocauteado por um cara (John Dodson) que venci duas vezes. 4) Ray Borg e eu já tínhamos concordado com a luta, que o UFC exigiu ditatorialmente, enquanto me negava lutas de PPV”, enumerou o #1 p4p do Ultimate.

Por fim, já em entrevista ao programa  ‘The MMA Hour’, Johnson revelou que o Ultimate chegou a ameaçá-lo, dizendo que caso ele não aceitasse o combate contra Dillashaw, a divisão peso mosca seria teria então suas atividades encerradas.

“Eu disse: “Feche a porra da divisão, então”. Porque se alguém pensa em fazer isso, só mostra que eles não têm nenhum interesse em trabalhar com o campeão. Eu nunca deixei de bater o peso, sempre apareci na hora marcada, fiz todas as entrevistas nas semanas das lutas, viajei para a Austrália por causa da divisão. Já fiz muita coisa”, revelou ‘Mighty Mouse’.

Demetrious Johnson tem 30 anos e um cartel com 29 lutas, 26 vitórias (5 nocautes, 10 finalizações e 11 por decisão), 2 derrotas (decisão) e 1 empate. É o atual, primeiro e único campeão peso mosca de todos os tempos no UFC. Já recebeu 7 bônus da Organização (2 “Luta da Noite”, 3 “Performance da Noite”, 1 “Finalização da Noite”, 1 “Nocaute da Noite”. Atualmente é o número 1 do peso por peso e dono da 2ª maior sequência de vitória do UFC (12), estando apenas 1 atrás de Jon ‘Bones‘ Jones (13).



Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

9 + quatro =

RELACIONADO POR