Dominick Cruz recupera o cinturão peso-galo do UFC após duelo intenso contra TJ Dillashaw

A noite em Boston, Estados Unidos, não poderia ter sido melhor para os fãs de MMA, que foram presenteados com grandes finalizações, duelos equilibrados e, claro, a luta cheia...
Dominick Cruz com o cinturão (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Dominick Cruz com o cinturão (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

A noite em Boston, Estados Unidos, não poderia ter sido melhor para os fãs de MMA, que foram presenteados com grandes finalizações, duelos equilibrados e, claro, a luta cheia de energia, intensidade, velocidade e agressividade entre TJ Dillashaw e Dominick Cruz. Representado por dois lutadores, o Brasil teve duas vitórias no evento. Confira tudo o que aconteceu no UFC Fight Night: Dillashaw x Cruz!

Luta principal: (C) TJ Dillashaw x #1 Dominick Cruz

Encarada no intervalo entre Dillashaw e Cruz (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Encarada no intervalo entre Dillashaw e Cruz (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

O que o mundo esperava desse duelo se cumpriu. Muita movimentação, técnica apurada e garra dos dois lutadores, que já travavam uma guerra de palavras antes da luta começar. TJ Dillashaw e Dominick Cruz provaram porque são os melhores peso-galo do mundo. Não é pra menos. Nessa divisão, ninguém consegue acompanhar o rítmo dos dois. A luta não teve tanto estudo. Os dois estavam determinados a vencer de todo jeito e, por isso, o duelo foi tão equilibrado. Na questão da velocidade, Cruz esteve um passo (ou melhor, vários passos) na frente de Dillashaw na maior parte da disputa. Assim, ele conseguia fazer com que TJ ficasse frustrado ao errar golpes e capitalizava em cima disso. Quando a situação apertou em pé, Dillashaw até tentou levar Cruz para o chão, ou prendê-lo na grade, mas nem isso conseguiu. No quarto round, foi a vez de Dominick tentar – e conseguir – derrubar TJ, mas o atleta da Elevation Fighting  Team se levantou e manteve a luta em pé, onde, no fim do combate, conseguiu ser um pouco melhor, especialmente ao aplicar alguns chutes baixos em Cruz. O que mais impressionou foi a mobilidade de ambos os lutadores, que deram um show de footwork (jogo de pernas). No fim das contas, Dominick Cruz venceu por decisão dividida e recuperou o cinturão que era seu até o início de 2014 quando, por conta de lesões, ele foi retirado do posto de campeão. Ele mantém sua grande sequência invicto, que começou ainda lá no WEC, e assume novamente o posto de melhor peso-galo do mundo.



Co-evento principal: #1 Anthony Pettis x #4 Eddie Alvarez

Eddie Alvarez (por cima) derrotou Anthony Pettis. (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Eddie Alvarez (por cima) derrotou Anthony Pettis. (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Gilbert Melendez e Rafael dos Anjos mostraram qual era o caminho para acabar com o show de Anthony Pettis. O primeiro não conseguiu e o segundo o fez de forma incontestável. Quem teve a ingrata missão de ser o adversário do “Showtime” em seu retorno após a perda do cinturão foi o ex-campeão do Bellator, Eddie Alvarez. Ele aprendeu muito bem a lição e, apesar de não ter feito tão bem quanto o campeão atual da divisão – dos Anjos -, fez o suficiente para sair com a vitória, de acordo com os jurados. Durante os três rounds, Pettis buscou ter o domínio do Octógono para poder soltar seus poderosos chutes, mas foi encurralado por Alvarez, que usou bem a grade para amarrar o adversário. Quando conseguia, ele quedava Pettis para aplicar alguns golpes no ground and pound, mas Anthony levantava rapidamente. Mesmo assim, ficava preso sobre o domínio de Alvarez, que impressionou ao ter fôlego para aguentar três rounds pressionando como fez. Eddie Alvarez derrotou Anthony Pettis por decisão dividida e entrou de vez na briga por um title shot contra Rafael dos Anjos ou Conor McGregor.

Em luta cheia de bizarrices, Travis Browne volta ao caminho das vitórias

Enquanto Browne comemora, Mitrione cuida de seu ferimento (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Enquanto Browne comemora, Mitrione cuida de seu ferimento (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Buscando se recuperar das derrotas para Fabrício Werdum e Andrei Arlovski, Travis Browne enfrentou Matt Mitrione, mas a luta não foi das melhores e contou com alguns erros e lesões estranhas. Browne acertou duas vezes o olho direito de Mitrione com seus dedos, o que fez com que uma bola – inchaço – se instalasse próximo ao local atingido. Se isso não fosse suficiente, o árbitro central não tirou nenhum ponto de Travis por essa infração que aconteceu mais de uma vez durante o combate. No terceiro round, Mitrione também teve uma lesão no ombro, após receber uma queda. Lesão essa que o deixou vulnerável perante o ground and pound de Browne, que conseguiu uma vitória por TKO no terceiro round.

Francisco Massaranduba consegue a vitória mais importante da carreira

Massaranduba comemora a vitória (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Massaranduba comemora a vitória (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

O duelo era difícil, mas não desanimou Francisco Massaranduba em momento algum. Ross Pearson, já veterano do UFC, foi o adversário e deu luta dura para o brasileiro. Três rounds de pura trocaçao, poucos momentos no chão e uma leve superioridade de Massaranduba, que aplicou os melhores golpes durante o combate, principalmente as joelhadas no segundo round. Ele venceu a luta por decisão unânime.

Outros destaques do card

Ed Herman (por cima) derrotou Tim Boetsch (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Ed Herman (por cima) derrotou Tim Boetsch (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Além de Massaranduba, Francimar Bodão foi o outro brasileiro a pisar no Octógono montado no TD Garden. Ele derrotou o bósnio Elvis Mutapcic por decisão unânime. A luta entre Paul Felder e Daron Cruickshank foi uma das melhores da noite, com ambos usando toda a sua vasta técnica na luta em pé mas, por ironia, a luta acabou em um mata-leão de Felder. Quem conseguiu um lindo nocaute foi Ilir Latifi. O sueco precisou de apenas 30 segundos para despachar Sean O’Connell com uma senhora pancada e garantir a vitória. Na subida para o meio-pesado, Ed Herman conseguiu uma linda joelhada sobre Tim Boetsch e ganhou um dos bônus da noite. O outro foi para o estreante Luke Sanders, que tirou Maximo Blanco pra nada e o finalizou ainda no primeiro round.

CONFIRA OS RESULTADOS DO UFC FIGHT NIGHT: DILLASHAW X CRUZ
17 de janeiro de 2016, em Boston, Estados Unidos

CARD PRINCIPAL:
Cinturão peso-galo: #1 Dominick Cruz derrotou (C) TJ Dillashaw por decisão dividida;
Peso-leve: #4 Eddie Alvarez derrotou #1 Anthony Pettis por decisão dividida;
Peso-pesado: #6 Travis Browne derrotou #14 Matt Mitrione por TKO no Round 3;
Peso-leve: Francisco Massaranduba derrotou Ross Pearson por decisão unânime;

CARD PRELIMINAR:
Peso meio-médio: Patrick Cote derrotou Ben Sounders por TKO no round 2;
Peso meio-pesado: Ed Herman derrotou Tim Boetsch por TKO no round 2;
Peso-leve: Chris Wade derrotou Mehdi Bahgdad por finalização (mata-leão) no round 1;
Peso-pena: Luke Sanders derrotou Maximo Blanco por finalização (mata-leão) no round 1;
Peso-leve: Paul Felder derrotou Daron Cruickshank por finalização (mata-leão) no round 3;
Peso meio-pesado: Ilir Latifi derrotou Sean O’Connell por nocaute no round 1;
Peso-pena: Charles Rosa derrotou Kyle Bochniak por decisão unânime;
Peso-galo: Rob Font derrotou Joey Gomez por TKO no round 2;
Peso meio-pesado: Francimar Bodão derrotou Elvis Mutapcic por decisão unânime.

BÔNUS DA NOITE
LUTA DA NOITE: TJ Dillashaw x Dominick Cruz
PERFORMANCES DA NOITE: Ed Herman e Luke Sanders

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH



IBlackbelt
Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

cinco × 4 =

RELACIONADO POR