Em homenagem a Muhammad Ali, veja as dez melhores lutas de sua carreira.

O mundo foi abalado com a triste notícia: o maior boxeador de todos os tempos havia falecido. Muhammad Ali nos deixava após lutar bravamente durante pouco mais de 30...

O mundo foi abalado com a triste notícia: o maior boxeador de todos os tempos havia falecido. Muhammad Ali nos deixava após lutar bravamente durante pouco mais de 30 anos contra o Mal de Parkinson. Ali mostrou ao mundo um boxe refinado, técnico, preciso e rápido. E não parou por aí, pois a sua influência ultrapassou o quadrilátero onde costuma travar suas batalhas. Como se não bastasse ser o maior entre todos os pugilistas, Ali foi além: lutou contra o racismo, se dedicou a ações de cunho humanitário, recebeu a nomeação de Mensageiro da Paz pela ONU, foi condecorado com a Medalha Presidencial da Liberdade, maior honraria civil dos EUA e foi um dos responsáveis pela popularização do boxe pelo mundo, servindo de inspiração para que muitos garotos começassem a trilhar o caminho da Nobre Arte.

E é assim que Muhammad Ali deve ser lembrado! Então, se prepare, leitor, pois a equipe do Nocaute na Rede escolheu as 10 mais importantes lutas de Muhammad “The Greatest” Ali, seguindo como critério a plasticidade do nocaute e o nível do adversário.



Se você é fã de boxe de extrema qualidade, aqui vai:

10) Muhammad Ali vs Oscar Bonavena. – 7 de dezembro de 1970 – Ali fazia a sua segunda luta após ter sido suspenso pela recusa em lutar na Guerra do Vietnã. Pegou um argentino cascudo, que batia muito forte e que tentava, a todo custo, encurtar a distância com Ali. Prevaleceu o jogo de pernas, o controle de distância e a precisão de golpes de Muhammad. Nocaute técnico no 15° round.

9) Muhammad Ali vs Zora Folley – 22 de março de 1967 – Foi a última luta de Ali antes de ser suspenso e ter seu título retirado após se recusar a embarcar para o Vietnã. Ali começou “dançando” por todo o ringue, mostrando um excelente jogo de pernas e procurando a distância. Folley começa a desferir golpes, porém era frustrado pelas esquivas do campeão. Ali começa a conectar seus golpes com volume e precisão. No momento que seu adversário coloca dois jabs em sua direção, Ali contra golpeia com um direto por cima do jab e leva Folley a lona. Começava naquele momento a surra que só foi interrompida após o árbitro abrir contagem em nova queda de Folley que, desequilibrado, não conseguia ficar em pé. Nocaute no 7° round.

8) Muhammad Ali vs Floyd Patterson – 22 de novembro de 1965 – 2° defesa de cinturão de Ali após conquistar o título diante de Sonny Liston (antes disso, nocauteou Liston na revanche). Patterson foi considerado por muitos como um dos melhores pugilistas de todos os tempos, sendo o primeiro bicampeão mundial da história dos pesos pesados. Foi, ainda, aos 17 anos, medalhista de ouro nas Olimpíadas de 1952, em Helsinki, Finlândia, lutando, na ocasião, nos pesos médios. Patterson foi treinado por Cus D’ Amato, famoso pelo estilo de guarda conhecido como “Peek a Boo”. D’ Amato foi mentor e principal treinador, na década de 80, de Mike Tyson. A luta foi equilibrada, com Patterson rápido e ofensivo. Aos poucos, Ali foi conseguindo impor seu jogo. Floyd começou a sentir a mão pesada de Ali. Cansou e começou a recuar, perdendo a ofensividade inicial. Passou a se movimentar em pêndulos mas era frustrado pelas ações de Ali. No 12° round, em luta prevista para 15 assaltos, o árbitro, observando o cansaço extremo de Patterson, interrompeu a peleja, declarando Ali vencedor por nocaute técnico.

7) Muhammad Ali vs Brian London – 06 agosto de 1966 – Ali estava voando nessa luta! A sequência de golpes aplicada por Muhammad que culminou com o nocaute de seu adversário, no 3° round, foi uma das mais impressionantes já vistas em uma luta. Tão rápido que nem parecia um peso pesado.

6) Muhammad Ali vs Chuck Wepner – 24 março de 1975 – O mundo do boxe testemunhou um dos caras mais “casca grossa” a pisar num ringue. Chuck Wepner, não obstante a sua inferioridade técnica, caçou Muhammad incansavelmente pelo ringue e aguentou muita porrada! Chegou até mesmo a derrubar Ali. No 15° round, Ali encerrou a peleja com um nocaute após aplicar um direto devastador que atingiu o rosto de Wepner. Uma curiosidade: Sylvester Stallone estava no ginásio assistindo esta luta e ficou tão impressionado com a resistência e valentia de Wepner que criou o roteiro para o filme “Rocky” baseado no lutador. O filme foi indicado a 10 Oscars e arrecadou, só nos EUA, aproximadamente 118 milhões de dólares.

5) Muhammad Ali vs Richard Dunn – 24 maio de 1976 – A luta ocorreu na Alemanha e Ali tinha a sua frente o inglês Richard Dunn. O lutador britânico foi ofensivo e cercava Ali, conseguindo conectar alguns poucos, porém duros, golpes. Mas a capacidade incrível de Ali de se adaptar a qualquer adversário não tardou a aparecer. O campeão achou brecha para encaixar fortes diretos em seu adversário e, em um desses golpes, o inglês foi a lona. Dunn voltou com “sangue nos olhos” mas já era tarde. Ali o mandou ao solo por mais algumas vezes até o árbitro encerrar a luta no 5° round e declarar Muhammad vencedor por nocaute técnico.

4) Muhammad Ali vs Cleveland Williams – 14 de novembro de 1966 – Essa luta eu vou definir em uma palavra: massacre!

3)Muhammad Ali vs Sonny Liston I – 25 de fevereiro de 1964 – Era a 20° luta do garoto de 22 anos Muhammad Ali, recém convertido ao Islamismo. Seu adversário era Sonny Liston, um cara que simplesmente massacrava seus oponentes. Aliado a isso, havia o temor das pessoas em relação a Liston: o lutador era ex-presidiário e tinha fortes relações com a máfia. Liston tinha conquistado o título diante de Floyd Patterson, após aplicar um nocaute no 1° round. Para quem não conhece o Liston e queira ter uma ideia: ele era o Mike Tyson da época, não tão veloz, mas extremamente forte e agressivo.  As casas de apostas davam 7 x 1 para Liston. Ninguém acreditava que aquele garoto provocador e tagarela pudesse desbancar Sonny do seu trono. Todos se enganaram. Ali se movimentava com fluidez, escapava dos golpes de Liston (que havia lesionado o ombro ainda no 1° round) e conectava bons socos . No intervalo do 4° para o 5° round, algo escorreu da testa do campeão e atingiu seus olhos. Era uma espécie de linimento, utilizado para tratar a lesão de Liston. Ali ficou praticamente cego durante o 5° round mas aguentou a pressão do adversário. No 6° assalto, voltou com força total e colocou golpes duros em Liston. Quando soube que seu adversário não voltaria para o 7° round, Ali comemorou efusivamente: “Eu sou o Rei do Mundo, sou o maior!”. Outra característica dessa luta foi o thrash talking de Ali, que ficou famoso pelo pensamento veloz e tiradas engraçadas.

2) Muhammad Ali vs Joe Frazier III – “Thrilla in Manila” – 1° de outubro de 1975 – A luta foi realizada nas Filipinas e foi a terceira e última peleja entre os dois (até então, uma vitória para cada lado). Foi considerada por muitos especialistas como uma das maiores lutas de todos os tempos. Frazier era um cara muito técnico, forte, rápido, com excelentes esquivas e incansável. Fora isso, foi o primeiro pugilista a derrotar Ali. Foi uma das maiores rivalidades existentes no Boxe. Ambos trocaram porrada de maneira frenética por 14 rounds, num calor de 40°. No 15° assalto, o técnico de Frazier, Eddie Futch, impediu que seu lutador voltasse pois temia pela saúde e pela integridade física de Frazier que, revoltado, implorava para voltar.

1) Muhammad Ali vs George Foreman – “Rumble in The Jungle” – 30 outubro de 1974 – Uma das lutas mais importantes da história do boxe mundial. Foi realizada no antigo país do Zaire (atualmente República do Congo). O presidente do país ofereceu uma quantia vultuosa de dinheiro para que a luta acontecesse lá. Nesse contexto, surgiu o famoso empresário de boxe, Don King. Ali era mais velho que Foreman. Seu adversário estava invicto e era o campeão mundial. Um fato que deve ser lembrado: Foreman é um dos caras mais fortes a pisar na Terra! Suas lutas acabavam quase sempre pela via rápida. Ninguém ficava de pé diante da potência dos golpes de George Foreman. Ele era um monstro! E óbvio, Ali novamente era o azarão. Ali ganhou o público africano enquanto Foreman era tido como um símbolo da alienação norte-americana. A torcida apoiava em massa Muhammad Ali. Os torcedores gritavam “Ali, Boma Ye!” (algo como, “Ali, mate-o!”). A luta foi a mais estratégica e cerebral de todos os tempos. Considerando a vantagem de seu oponente, Ali ficou nas cordas, se esquivando dos golpes poderosos de Foreman, contra golpeando e clinchando, forçando o seu adversário a se cansar cada vez mais. No oitavo assalto, diante de um Foreman exausto, Ali aplicou uma sequência de golpes precisas, terminando com um cruzado de esquerda e um direto. Ali era o novo campeão! Uma curiosidade: o próprio Foreman admitiu, anos mais tarde, que enquanto castigava seu adversário com seus potentes golpes, Ali clinchava e falava, a todo o momento: “Como é, cara, isso é tudo o que você tem? Bate tão forte quanto uma menininha!”. Não, Ali não era louco. Tudo fazia parte da estratégia…

Luta Bônus: Muhammad Ali vs Superman – HQ de 1978 – O vilão Rat’Lar ameaça destruir a Terra caso o maior lutador do planeta não enfrente o maior lutador dos Scrubbs, raça de alienígenas da qual é líder. Rat’Lar ordena que Muhammad Ali e Super-Homem subam no ringue para definir quem é o maior representante da Terra. O Superman, obviamente, estava sem seus superpoderes e foi vencido por Ali, no 4° round.

Nem o Superman pode contra Muhammad Ali!

Nem o Superman pode contra Muhammad Ali!

 

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: 
https://on.fb.me/18HEkvH



Categorias
Boxe Nacional e InternacionalLutas

Entusiasta da Nobre Arte e do MMA desde tenra idade. Posso me gabar de ter nascido em uma geração que acompanhou as lutas de Mike Tyson, Maguila, Holyfield, Foreman, Roy Jones Jr, Popó, entre outros e de ter acompanhado os primórdios do MMA (antigo Vale Tudo), desde o chute de Gerard Gordeau em Teila Tuli, o massacre que Rickson Gracie promoveu no Japão, até os dias de hoje, com atletas marciais completos como Jon Jones. Nasci em Curitiba, terra da Chute Boxe e de valorosos guerreiros e espero trazer um pouco dessa experiência para os leitores do Nocaute na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    treze − 3 =

    RELACIONADO POR