Entrevista exclusiva com Paulo Borrachinha, campeão do Face to Face em destaque no Jungle Fight

Paulo Henrique Costa, mais conhecido como “Borrachinha”, é um dos maiores destaques no peso médio do Brasil. É o atual campeão peso médio do Face to Face, título que...

Paulo Henrique Costa, mais conhecido como “Borrachinha”, é um dos maiores destaques no peso médio do Brasil. É o atual campeão peso médio do Face to Face, título que venceu na semana do seu aniversário e evento onde bateu atletas como Gerson Conceição e o ex-TUF Wagnão Silva. De quebra, no último sábado atropelou Bruno Assis, no Jungle Fight 84.

Borrachinha é um peso médio gigante, com 6’1″ (185cm) de altura, além de ter apenas 24 anos, o que o faz dele um grande prospecto. Até agora, o representante de Belo Horizonte, Minas Gerais, está invicto com 6 vitórias em 6 lutas, todas por KO/TKO no primeiro round.



O garoto é um monstro e vale a pena ficar de olho. Confiram o papo que bati com ele após a vitórias no Jungle do último sábado:

Paulo Borrachinha (Foto: Cortesia da assessoria do atleta)

Paulo Borrachinha (Foto: Dilúvio Criativo)

Borrachinha, você teve duas boas performances no Face to Face, sobre Gerson Conceição e Wagnão Silva, a última inclusive lhe garantiu o cinturão dos médios. Como você avalia suas lutas na organização?

Contra o Gersinho, lutei um pouco ansioso, pelo fato de ter sido a minha primeira luta depois do TUF. Então havia muita pressão pra mostrar que eu poderia ter uma grande performance contra um adversário duríssimo. O Gersinho é um lutador com muita experiência e também especialista em trocação. Eu queria mostrar que posso nocautear até mesmo um especialista na luta em pé. Por conta disto, não lutei com tanta tranquilidade como nas lutas seguintes, mas mesmo assim consegui um nocaute técnico sobre ele e foi importante pra minha auto-confiança. Contra o Wagnão, me senti muito confortável por alguns motivos. O primeiro é que a pressão da luta pós-TUF já não existia. Também estava tranquilo pelo fato de já conhecer muito bem meu adversário, por causa do convívio na casa do TUF, e visto lá dentro que era muito superior a ele em todos os quesitos de uma luta, principalmente na trocação. Por isso “previ” que o venceria por nocaute e me tornaria o primeiro campeão dos médios do Face to Face. Não tinha como ser diferente.

 

No último sábado, você enfrentou o até então invicto Bruno Assis no card principal do Jungle Fight e teve outro desempenho espetacular. O quão longe você pretende chegar no Jungle?

 Eu quero chegar no ponto mais alto possível de qualquer lugar que estiver, e esse lugar hoje no Jungle Fight é o cinturão. Eu o quero e vou pegar pra mim. Já mostrei o que sou e pra que vim dentro do evento. Agora a pergunta é: em quantos mais precisarei bater para pegar o cinto?

Já tem ideia de qual seu próximo adversário e em qual organização vai ser, ou qual adversário/organização você gostaria em seguida?

 Ainda não tenho nada fechado. Temos grandes eventos surgindo no Brasil e fora. Estou ainda em negociação com alguns, mas é certo que vou lutar logo no inicio do ano.

Eu não tenho nenhum adversário que queira enfrentar especificamente. Quero os mais duros. De preferência, algum que consiga lutar comigo mais de um round, porque ate agora eu não vi nenhum.

 

Você ainda continua como campeão no Face to Face, tem intenções de continuar no evento? Se sim, quais seus objetivos?

 Eu permaneço campeão no Face to Face e tenho muito orgulho disto. Eu estou a disposição do evento para defender meu cinto a qualquer momento. Meus objetivos agora são de mostrar que eu sou o melhor peso médio do Brasil e vencer quem aparecer pela frente.

Paulo Borrachinha no Face to Face (Foto: Cortesia da assessoria do atleta)

Paulo Borrachinha no Face to Face (Foto: Face to Face)

Como campeão e se destacando no Jungle Fight, duas das maiores promoções do Brasil, você se estabelece como um dos melhores no país. Você se vê em qual ‘posição’ no peso médio em atuação no Brasil e quem está acima/perto de você?

 Sinceramente não vejo nenhum peso médio em atuação no Brasil que possa me vencer. E também não ligo para ranqueamento. Hoje sou campeão de um grande evento e quero ser o campeão de um outro grande evento. Vencendo e convencendo assim mostro na prática que sou o melhor peso médio do Brasil.

 

Com quais equipes você tem treinado e como está à preparação para as lutas ultimamente?

 Continuo com meus treinadores desde o inicio da minha carreira. Meu irmão biológico e mestre de jiu-jítsu Carlos Borracha e Rubens Dórea do boxe. Meus treinos não param. Vou praticamente emendar um camp atrás do outro, pois planejo fazer no mínimo quatro lutas em 2016.

 

Qual seu maior objetivo em sua carreira como lutador profissional?

 Meu maior objetivo é de motivar pessoas. Provar que quando você quer algo e luta por aquilo, você consegue. Meu sonho como lutador é ser um dia considerado como o melhor lutador do mundo, assim como foram Muhammad Ali, Mike Tyson, Anderson Silva….

 

E por último, quer deixar uma mensagem para seus fãs e aos leitores do Nocaute na Rede?

Quero antes agradecer a todas as pessoas que lotam minhas redes sociais de mensagens de apoio e torcem por mim. Aproveito para dizer que ainda estou só no inicio, muitos nocautes ainda vão vir por aí!  

 

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Kaue Macedo



Categorias
Entrevistas

Jornalista freelancer. Matérias publicadas em Nocaute na Rede, Correio Paulista, Medium, Shion Magazine, NetFighter e Pitaco Esportivo. contato: [email protected]
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    vinte − 4 =

    RELACIONADO POR