ESPECIAL PRIDE FC Nº 1: COMO TUDO COMEÇOU… #DEZANOSSEMPRIDE #PRASEMPREPRIDE

Completamos uma década sem o PRIDE FC, então para matar a saudade confira um especial Nocaute Na Rede dessa lendária organização
(Foto: Venum)

O ano era 1997. O UFC ainda caminhava a passos de tartaruga rumo ao sucesso e o esporte ainda passava por diversas mudanças… No Japão, um empresário chamado Nobuyuki Sakakibara queria criar uma organização de MMA dele, que inicialmente seria usada para promover duelos de arte marcial vs. arte marcial e escolheu como primeira empreitada promover um duelo entre Rickson Gracie, representando o jiu-jítsu brasileiro, contra Nobuhiko Takada, célebre lutador japonês de puroresu (pro wrestling). Escolheram o Tokyo Dome, na capital japonesa, e promoveram o evento através do nome KRS-PRIDE (Kakutogi Revolutionary Spirits) em 11 de Outubro de 1997.

Pôster simples mas lendário do primeiro evento da história do PRIDE. (Foto: GracieMag)

No card, várias estrelas do MMA e do puroresu deram boas vindas ao PRIDE e mais membros do clã Gracie ajudaram a promover o evento. Kimo Leopoldo, Dan Severn, o célebre kickboxer croata Branimir “Branko” Cikatic, Gary Goodridge, Oleg Taktarov e Renzo Gracie figuraram os combates realizados naquela noite e protagonizaram um momento memorável na história do MMA. O combate principal levou os fãs japoneses à loucura. Apesar de lutar em seu país e ser muito querido e respeitado, Takada tinha uma avassaladora desvantagem sobre a popularidade dos Gracies e a vitória de Rickson por finalização aos 4:47 de combate levou Tóquio ao delírio.



Outro grande combate do PRIDE 1: Dan Severn vs. Kimo Leopoldo (Foto: Tapology)

O primeiro evento do KRS-PRIDE atraiu mais de 47 mil espectadores, atenção de emissoras de TV de todo o Japão e procura cada vez mais intensa por mais combates, além de lutadores querendo fazer parte desta nova empreitada. O maior atrativo era a atmosfera digna de filmes de luta orientais, lutadores enaltecidos como verdadeiros gladiadores e um estilo de combate brutal e agressivo, com chutes e joelhadas em adversário caído, chutes tiro-de-meta, pisões e cotoveladas permitidas e rounds com intervalos de tempo maiores do que os do UFC. Todos queriam experimentar o que Nobuyuki tinha a oferecer com seu KRS-PRIDE.

PRIDE FC 1 – KRS PRIDE: GRACIE Vs. TAKADA

OCTOBER 11, 1997 – Tokyo Dome, Tokyo, Japan.

Rickson Gracie venceu Nobuhiko Takada – Finalização (chave de braço) – Round 1 – 4:47
Kimo Leopoldo vs. Dan Severn – Empate (tempo esgotado) – Round 3 – 10:00
Branko Cikatic vs. Ralph White – Sem Resultado* – Round 1 – 1:52
Koji Kitao venceu Nathan Jones – Finalização (americana) – Round 1 – 2:14
Renzo Gracie vs. Akira Shoji – Empate (tempo esgotado) – Round 3 – 10:00
Gary Goodridge venceu Oleg Taktarov – Nocaute (soco) – Round 1 – 4:57
Kazunari Murakami venceu John Dixson – Finalização (chave de braço) – Round 1 – 1:34

ASSISTA O PRIMEIRO PRIDE NA ÍNTEGRA ABAIXO:

O sucesso do evento foi incontestável e em muito pouco tempo, Sakakibara tinha todo o respaldo, apoio e patrocínio para a realização de mais eventos. E foi exatamente o que fez. No ano seguinte, o PRIDE realizou seu segundo evento, visando uma revanche entre Gracie e Takada além de trazer mais astros e lendas do MMA para o seu ringue quadrado. “Emprestando” atletas do UFC e de demais organizações como Pancrase e Shooto, seus cards iam ficando cada vez mais recheados de grandes atletas. O PRIDE 2 aconteceu em 15 de Março de 1998 e teve Mark Kerr, Marco Ruas, Renzo e Royler Gracie, Branko Cikatic, Akira Shoji, Kazushi Sakuraba, dentre muitos outros.

Pôster do PRIDE FC 2, sem a revanche entre Gracie e Takada (Foto: Tapology)

A revanche entre Rickson e Nobuhiko não aconteceu por questões contratuais e financeiras (Rickson pediu um valor alto para a revanche que o PRIDE não pôde oferecer à época) e ao invés disso, quiseram colocar Royce como desafiante de Takada, mas esta luta também não deu certo. O card prosseguiu sem a presença de Rickson nem Royce e a sonhada revanche só aconteceu em Outubro de 1998 no PRIDE 4, vencida novamente por Rickson e novamente por chave de braço no primeiro round. O PRIDE 2 foi novamente um grande sucesso e durante o ano de 1998, Sakakibara realizou eventos gigantes em Yokohama e Tóquio (mais um no Tokyo Dome e um no famoso ginásio Budokan).

Pôster do PRIDE FC 4 (Foto: Tapology)

Dali em diante, o PRIDE realizou diversos eventos pelo Japão e foi ganhando cada vez mais prestígio nacional e internacional. Lendas do esporte continuaram a passar pelos ringues da organização como Don Frye, Wanderlei Silva, Gilbert Yvel, Carlos Newton, Anderson Silva, Fedor Emelianenko, Igor Vovchanchyn, Antônio Rodrigo “Minotauro” Nogueira, Maurício “Shogun” Rua, Ricardo Arona, dentre muitos outros. Tem MUITO mais história para contar sobre essa lendária época no MMA mundial, portanto fiquem ligados no Nocaute Na Rede a semana toda para um Especial PRIDE. Amanhã sai a parte 2! Não perca!

ASSISTA A REVANCHE ENTRE NOBUHIKO TAKADA E RICKSON GRACIE PELO PRIDE FC 4 EM OUTUBRO DE 1998:

 



Categorias
EspeciaisJiu JitsuJudôKarateLutasMMAMMA InternacionalPride

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    dois × um =

    RELACIONADO POR