Exclusiva com campeão: Alexander Volkanovski fala sobre legado e mudança de peso

Kauê Macedo entrevista Alexander Volkanovski
Foto: Reprodução (UFC.com)

Invicto no UFC e campeão peso pena, Alexander Volkanovski vem assombrando a categoria e ostenta uma sequência de vitórias sobre três dos maiores de todos os tempos nos 66kg: Max Holloway, José Aldo e Chad Mendes. Apesar de todos os empecilhos que a pandemia impõe, Volkanovski vem se preparando e defenderá seu cinturão na famigerada Ilha da Luta.

 



Nos últimos dias, conservei com o campeão sobre alguns temas interessantes. Confira abaixo a integra da entrevista.

 

Kauê: Nos últimos meses, a pandemia do coronavírus alterou bastante a forma como as pessoas vivem, inclusive os atletas. Como tem sido sua rotina nesse período?

Volkanovski: Como sempre digo, me adapto. Eu tenho que me adaptar. Há momentos loucos, momentos infelizes – mas não era uma desculpa para eu me sentar e não fazer nada. Ainda há muito que eu poderia fazer. Construindo o máximo de força possível, explosividade e ainda trabalhando na minha forma física. Tentando permanecer positivo e manter o cérebro em movimento, tentar não pensar demais nas coisas e fazer o que eu amo fazer – que é o treinamento.

Kauê: Suas primeiras quatro lutas no UFC foram na Oceania. É um lugar que você se sente mais a vontade para lutar? Futuramente, tem o desejo de defender seu cinturão lá?

Volkanovski: Definitivamente desejo lutar e defender meu cinturão na Austrália. Nada superaria isso. Quando se trata de conforto, eu não me sinto melhor e mais confortável em nenhum outro lugar – onde quer que eu vá, a semana da luta é a semana da luta, não importa onde eu esteja, mas lutar pelos meus fãs e torcedores australianos em casa significa muito, então isso é algo que definitivamente necessário fazer.

Kauê: Nas suas últimas duas lutas, você conseguiu vitórias sobre os dois maiores pesos penas da história do MMA. Acredita que com mais algumas vitórias você se tornará, de fato, o maior lutador da história da divisão? Esse é um objetivo pessoal seu?

Volkanovski: Sim, acho que você poderia dizer que é um objetivo. Não estou aqui para lutar por legados, mas preciso vencer e preciso ser bem-sucedido, preciso que as pessoas se lembrem de mim para que eu possa cuidar da minha família pelo resto da minha vida e fazê-lo sendo o maior peso pena de todos os tempos definitivamente me garantiria um conforto para a vida toda – então esse é um objetivo. Não está muito longe. Derrotei os dois maiores lutadores da categoria (José Aldo e Max Holloway) consecutivamente, ou você pode até dizer três dos maiores lutadores da categorias (refere-se a Chad Mendes) consecutivamente, e, em seguida, se a revanche com Max acontecer, vencê-lo duas vezes, isso me colocaria no topo. Mais algumas defesas de títulos e meu nome definitivamente estará nas conversas do posto de maior de todos os tempos.

Kauê: Nos últimos anos as mudanças de categoria se tornaram muito comuns. Você tem interesse em subir de categoria futuramente e disputar o cinturão dos leves?

Volkanovski: É definitivamente outra opção, 100%. Eu não estou perseguindo outras categorias de peso no momento, mas vou defender meu cinturão na minha divisão. Se vier a mim uma luta que se encaixa no cronograma, como eu gosto de permanecer ativo de qualquer maneira – eu poderia definitivamente lutar em uma luta pelo cinturão do peso leve. Eu me sinto bastante à vontade nessa divisão, já lutei em outras categorias, desde o peso penas até o peso médio, e ainda estou invicto no peso leve também.

Kauê: Atualmente, o peso pena tem diversos contenders em boa fase, como Zabit, Korean Zombie, além do ex-campeão Holloway e do ex-desafiante Ortega. Quem você acha que é mais merecedor de um title-shot no momento (ou quem você desejaria enfrentar)?

Volkanovski: “No momento”. Esse é o ponto chave desta questão. No momento, acredito que Max Holloway merece uma revanche. Existem muitos candidatos ao título, mas não existe um desafiante número 1 definitivo. A maior luta e a que faz mais sentido agora é contra Max Holloway. Muitas pessoas vão duvidar de mim e pensar que não posso fazer o trabalho novamente – vou provar que estão erradas e provar que sou o melhor peso pena do mundo no momento.

Ps: Após a realização da entrevista, o UFC fechou o contrato da luta entre Alexander Volkanovski e Max Holloway para o UFC 251, no dia 11 de julho.

Kauê: Seu nome e nickname faz menção à Alexandre Magno, aka Alexander the Great, um dos maiores conquistadores da história da humanidade. Você tem alguma inspiração especial nele?

Volkanovski: Isso remonta à minha árvore genealógica. Minha mãe é grega e meu pai é macedônio, e pela história você descobrirá que ‘Alexandre, o Grande’ tinha um pai macedônio e uma mãe grega, e é por isso que adotei esse apelido, faz sentido para mim. Ele foi um grande conquistador, e eu conquistei a divisão do peso pena do UFC e vou continuar conquistando por muito tempo, assim como ele fez.

Kauê: Você tem planejado seu retorno para o MMA? Tem alguma data ou oponente em mente?

Volkanovski: Eu quero lutar em breve. Parece que esta Ilha da Luta vai acontecer e eu quero entrar! Dê-me uma luta, eu estou pronto! Vou colocar o cinturão em jogo, só quero ir lá e fazer as minhas coisas!



Categorias
EntrevistasEspeciaisLutasMMAMMA InternacionalUFC

Jornalista freelancer. Matérias publicadas em Nocaute na Rede, Correio Paulista, Medium, Shion Magazine, NetFighter e Pitaco Esportivo. contato: [email protected]
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    onze + seis =

    RELACIONADO POR