EXCLUSIVO: Entrevista com o atual campeão peso médio do UFC, Robert Whittaker

Atual detentor de cinturão até 84kg no Ultimate Fighting Championship, o campeão Robert Whittaker é o nosso entrevistado da semana
Robert Whittaker

Com uma das maiores sequências de vitórias da sua carreira como lutador profissional de MMA, chegando em uma unificação de cinturão com o seu compatriota Israel Adesanya, o campeão Robert Whittaker (20v-4d) está na beira do estrelato da categoria dos pesos médios do Ultimate, caso defenda com sucesso seu reinado no próximo final de semana, sábado, 5 de outubro.  A unificação de seu reinado linear começa com a moral de 9 vitórias consecutivas no UFC, tendo enfrentado adversários perigosos do ranking de melhores da categoria, nomes como Ronaldo Souza, Derek Brunson e Yoel Romero por duas ocasiões, foram alguns dos superados pelo australiano. No último degrau do estrelato, o campeão Robert tem pela frente o striker de elite e invicto, Israel Adesanya, e antes dessa bela luta que pode ser concorrente a embate do ano, Whittaker conversou conosco sobre diferentes temas: Wrestling para a luta com Adesanya, sobre o brasileiro que sobe rapidamente nos rankings Paulo Borrachinha, sobre a preparação de unificação de cinturão e até possivelmente uma subida a LHW. 

Whitakker defende seu reinado semana que vem, diante de Israel Adesanya – Foto: UFC

NR: Apesar de você ter um histórico de lutar somente em pé e ser um ótimo agressor, você também é um ótimo defensor de quedas e tem um background no Wrestling de nível de seleção, isso pode ser um fator determinante na luta contra o striker Israel Adesanya ?



Whittaker:  Meus treinadores tem me preparado para onde for que a luta vá. Mas nos dois somos strikers de elite e gostamos de ficar em pé, então fica difícil ver essa luta de outra maneira, pelo menos no inicio da luta. Dito isso, se Israel decidir que quer me levar para o chão, eu estarei vencendo a batalha, então claro que usarei minha luta em pé para manter ele desconfortável. Minha luta em pé também é um dos meus pontos fortes, então uso meu wrestling para manter a luta em pé, mas caso necessário, ficarei feliz de usar isso para levar a luta ao chão. No entanto, vou ganhar da maneira que eu puder contra alguém como o Israel, que é perigoso em todos os lugares. Talvez eu surpreenda a todos e derrube na primeira rodada com o wrestling… Quem sabe, veremos o que ele acha que pode acontecer (Risos)”

NR: Embora você já conquistado vitórias sobre nomes como Ronaldo Souza, Derek Brunson e Yoel Romero, alguns ainda consideram Israel Adesanya favorito nesse confronto, o mesmo acontece algumas com Borrachinha devido a vitoria sobre Romero. Ambos são lutadores que gostam de falar muito, você acha que sua maneira calma e respeitosa faz as pessoas te subestimarem?

Whittaker: No topo do UFC todos são muito perigosos e qualquer um pode vencer em qualquer momento da luta. É um jogo de milímetros. Tudo o que posso fazer é me concentrar em ser o melhor possível naquela noite. Se estou preparado e sou espancado por alguém, estarei bem com isso. Não me preocupo com o que as pessoas fazendo ou falando sobre mim. Eu sou o campeão porque trabalho duro e faço as pequenas coisas da maneira correta. Se alguem me derrotar, então merece sim ser o campeão. 

NR: Como você está se preparando para essa mega luta com Adesanya? Você preparou algo diferente e quem tem te ajudado nessa parte de emulação de striking? 

Whittaker: Eu não fiz nada de diferente para esta preparação que não tenha feito anteriormente. Meus treinadores e eu nos concentramos em melhorar minhas habilidades em cada sessão de treino. Quando a luta começa, meu trabalho é executar o plano de jogo da melhor maneira possível. Não importa se é Kelvin, Yoel, Paulo ou Adesanya, todos apresentam problemas e desafios diferentes, mas não consigo controlar o que nenhum deles fazem. Obviamente, meus treinadores estudam minha oposição e procuram fraquezas e hábitos, mas no geral não me preocupo tanto com isso. 

NR: Até agora, você enfrentou tops diferentes da categorias do médios e dos meio-médios do UFC, qual foi a luta mais difícil até agora?

Whittaker: A luta mais difícil é sempre a próxima e eu me concentro apenas nisso. Eu não penso e comparo lutas, não olho para além da próxima luta ou oponente na minha frente. No momento, estou pensando em Israel como a mais difícil, estou me preparando para a guerra.

NR: O que você acha do reinado de Jon Jones nos meio pesados? Um pouco mais a frente, você se torna um reinado longo e estabelecido, então vê como possível uma super luta? 

Whittaker: Jon é um dos maiores lutadores de todos os tempos, eu tenho um enorme respeito por ele e pelo que ele conseguiu no UFC. É difícil pensar em um lutador que seja mais naturalmente talentoso do que ele, quase não tem fraquezas. Se eu finalmente for para a LHW, e Jon ainda for campeão, seria uma honra enorme lutar com ele. Quero as lutas mais difíceis e testar minhas habilidades sempre contra os melhores, e quando falamos assim, não existe ninguém melhor que ele. 

NR: Obrigado pelo seu tempo Roberto, me deixe uma mensagem para todo o publico que vai ter acompanhar e obrigado pelo seu tempo. 

Whittaker: Obrigado pelo seu apoio, espero fazer um ótimo show para vocês no UFC 243. Sou melhor do que eu já fui ontem e espero essa como a maior luta da minha carreira. Obrigado Brazil!



Categorias
EntrevistasEspeciaisLutasMMA InternacionalUFC

Jornalista - seguidor dos esportes de combate desde 2006 - Fã de Shogun e Mousasi.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    13 + 12 =

    RELACIONADO POR