EXCLUSIVO: Entrevista com o surfista profissional e faixa preta de Jiu Jitsu, Paulo Zulu

Um dos modelos profissionais de grande sucesso no Brasil, faixa preta de Jiu Jitsu e ex surfista profissional, o veterano Paulo Zulu é o nosso entrevistado da semana

Modelo profissional ainda em atividade, surfista profissional no inicio da sua carreira, dono da Pousada Zuzuland em Santa Catarina, o consagrado Paulo Zulu sempre foi muito visto por suas participações em programas de televisão do Brasil como um ícone da beleza e boa forma, mesmo hoje com 56 anos… Porém, Zulu também vem de uma linhagem Gracie de Jiu Jitsu, onde já detêm da faixa preta há muitos anos e carrega essa bandeira esportiva na mesma proporção. Um dos alunos diretamente sobre a tutela mestre de alto grau Toti Jordão, o Pitoco, Paulo detêm mais de 25 anos de experiencia na arte marcial popularizada pela família Gracie. Nessa entrevista da semana no Nocaute na Rede, o atarefado e experiente modelo falou sobre diferentes temas, desde o seu começo no Jiu Jitsu, a preparação que pode ser absorvida do Surf para as lutas, seminários específicos para o publico feminino, a mentalidade de competidor e o que tem feito nos dias de hoje em seu projeto próprio. 



NR: Vamos começar com o seu inicio no Jiu Jitsu, já faz muitos e muitos anos que você começou com seu amigo e mestre Toti, seu mestre conviveu com muita gente grande do Jiu Jitsu Gracie e vem dessa linhagem, como foi seu inicio com ele no JJ ? 

Zulu: Olha, meu começo no Jiu Jitsu com meu irmão e amigo Mestre Toti Jordao, chamado de ‘Pitoco’, foi quando ele começou a fazer esse trabalho na ‘Espaço Vital’, que era academia do lado da minha casa. Ele começou a treinar, na verdade eu era surfista profissional, eu, Marcos Braza e o Leo ‘Chines’, e o Toti já treinava Jiu Jitsu a muito tempo com a familia Gracie (principalmente com o Renzo e Ralph), além de que os irmãos Machado JJ já estavam na ativa e ele, Toti, ia para la. Depois o Toti abriu a própria academia e começaram a treinar direto perto de nos, ai comecei a ve r meus amigos treinando o Jiu Jitsu, comecei a analisar as alavancas, as movimentações desse esporte, e ai então entrei de cabeça junto com eles que eram meus amigos, esse foi mais ou menos assim meu inicio, o resto é historia. 

NR: Nos últimos tempos, vi que você deu um seminário aqui no RS sobre Jiu Jitsu para o publico feminino, com a temática para minimizar lesões e um treinamento mais técnico, nos fale sobre essa experiencia e esse projeto em especifico…

Zulu: Esse projeto de seminários, de passar posicionamentos técnicos para a auto defesa de um assedio leve, sem arma branca ou arma de fogo por exemplo, começou com a iniciativa do Mohammed da Sul Jiu Jitsu, ele me convidou para dar um seminário para umas meninas que eram da academia dele, e ai eu tenho muita posição técnica para essa nuance… o Jiu Jitsu das antigas, tinha muito defesa pessoal antes de fazer posição de chão, você fazia defesa pessoal em pê, e muitos dessas técnicas são ótimas para mulheres. Então comecei à adaptar uns movimentos para esse publico em especifico, principalmente porque tem mulheres que são preparadas e outras que nunca fizeram esse tipo de exercício, então tive que adaptar para fazer uma coisa bem tranquila e fácil de memorizar, para elas aprenderem que em até 2 ou 3 movimentos técnicos, pode se evitar um assedio físico leve ou uma agressão leve, e sair bem da situação. Tento passar que não adianta apenas se desvencilhar, você precisa surpreender com um contra ataque de acordo com o ataque, para o atacante sentir uma certa dor e sentir a vontade de não avançar, então foi muito bacana, tenho uns 20 seminários desse tipo em especifico, fiz em SP, no RJ, no RS, em SC, Curitiba, então o povo deu bastante retorno e podemos ver a mulherada abraçando bem a causa , botamos um foco nisso para ser meio que automático para esse publico, o tipo de movimento. 

NR: Você chegou a competir nesse período de treinamentos no Jiu Jitsu, hoje em dia você já é faixa preta com graus na faixa, mas nos fale sobre sua jornada esportiva nessa área… 

Zulu: Então sou aficionado por Jiu Jitsu, mas nunca quis competir no esporte, sabe? Ai muitos me perguntam: ‘Pow, Zulu você ta muito bem, ta super bem, se da super bem em campeonato’… Só que o meu intuito no JJ, não é vencer um titulo ou uma medalha, é ter o  reconhecimento das pessoas que estão comigo, dos mestres que treino junto, das pessoas que eu estou rodeado. ‘você ta bem, você é um faixa preta bom, você ta super bem, você ta super tecnico…’ Acho que esse feedback do treino é mais valido para mim do que uma medalha, porque o Jiu Jitsu para mim é um jogo de xadrez que eu preciso de um amigo para jogar, então to preocupado em jogar e não em vencer meu companheiro, se o adversário der a chance, acho a brecha e faco xeque mate, mas não vou na pressão de querer ganhar toda hora e pensar que sou o cara, então me permito aprender… gosto de tomar sufoco para aprender sair disso, a vida é um sufoco, então o Jiu Jitsu é isso, ele te ajuda a sair dessa área de pressão em todas as partes que a vida te exerce em subsequencia. Eu também fui competidor no Surf, competi no master mesmo mais velho, então prefiro competir no Surf que posso ser mais agressivo, eu mesmo devo me superar aqui e me arriscar nas horas mais criticas, sou eu contra eu mesmo, devo fazer as maiores manobras e não estou afetando ninguém, já no Jiu Jitsu, eu tenho a preocupação de ficar muito competitivo em campeonato, e ficar agressivo, acabando perdendo uma amizade por exemplo… Como eu nunca competi, não sei se seria um bom competidor, se seria um cara esportivo ou se ia querer vida ou morte… então prefiro ficar treinando e buscando o refinamento técnico da arte marcial propriamente dita. 
NR: Essa foi uma pergunta que fiz ao Ricardo Arona e acho que se encaixa com você também. Vocês tem a mesma particularidade, o Jiu Jitsu e o Surf, você foi profissional no Surf, e na época já misturava o Jiu Jitsu e o Surf, o quanto te ajudava essa preparação do Surf para com o esporte de combate/marcial ? 
Zulu: Olha, acho que a preparação do Surf com o Jiu Jitsu, o que ele mais te da… principalmente porque gosto de surfar bancadas de coral na Indonésia, então ela te deixa preparado para você saber cair de maneira mais leve, não se machucar, saber se proteger bem das lesões e partes vitais. No Jiu Jitsu, você aprende a ser fechado, não deixar nenhum parte do corpo aberta para ser pego em uma chave, como pescoço, braços ou pernas, então o Surf te deixa preparado para a queda, e isso te ajuda bastante em aspectos como equilibro. Além de que é muito bom essa somatória da preparação física do Surf para o Jiu Jitsu, temos muitos aeróbicos que podem ser usados nos dois esportes. 

NR: Nos dias atuais, você tem seu própria negocio com sua pousada temática… Nos fale sobre seus planos atuais e o que tem feito em especifico depois que saiu do trabalho como ator profissional ? 

Zulu: Na verdade, meu trabalho como ator, eu fiz participações, então continuo trabalhando muito bem como modelo profissional, então vivo fazendo publicidade para clientes que acham que minha imagem tem a ver com o produto deles, então sigo trabalhando com isso… Minha imagem continua forte graças a Deus, vejo pelo reconhecimento do publico, uma credibilidade grande, sou um cara que passo tudo que sou mesmo, essa coisa de ser do bem, ser saudável, querer o bem a humanidade, estar positivo, que tudo depende de você, se alimentar bem… To com o cardio bom, to com 56 anos e to inteiro, então é um reflexo positivo, acho que essa qualidade de vida é muito bom para associar a certos produtos. A participação como ator foi fantástico, meu deu um upgrade na imagem, mas nunca estudei suficiente para ser um ator profissional, fiz participações, talvez não foram tao boas, porque não estudei tanto… Mas foi assim, bem tranquilo. Sobre meus planos na pousada, continuam sempre firmes, inclusive to trabalhando nela para deixar bem bonita no verão, tenho uma academia na minha casa, então muitos turistas vem pra cá treinar um pouco, vem com kimono e isso é muito bacana, essa troca de informação no Jiu jitsu, de pessoas de outras academias e outras visões, de outros mestres. Isso é muito importante para a arte marcial e muito bom para o jogo técnico.

NR: Muito obrigado Paulo por todo seu tempo, sinta-se livre para deixar uma mensagem para todo mundo que vai ler sua entrevista.
Zulu: Mensagem que posso deixar para vocês, você tem que desde o inicio, se você gosta muito do Jiu Jitsu,  entender que você começa a aprender e começa a ficar diferente realmente, sua auto estima aumenta, você vê sua capacidade aumentar em compensação com o cara que não sabe e não luta, só que nos dias atuais, você tem que ter muito controle, e o Jiu Jitsu é bom para isso, de ta controle, respeito, disciplina… Hoje em dia qualquer um pega uma arma e te da um tiro, mesmo você sendo o maior casca grossa… Então sempre respeitar o próximo e tentar sempre conquistar amigos. Se você for competidor, ai você pega uma aula separada, pega os mais graduados para sair na porrada e se preparar pro campeonato… agora se você é um aficionado, tenta curtir a arte marcial. O fato do cara passar tua guarda, passar o joelho na barriga, montar, não importa…  O que importa é você curtir, tomar sufoco te ajuda até na parte do Jiu Jitsu defensiva, até para você saber se defender, porque ai vem o cara mais agressivo e você não sabe se defender…. O importante é não ser finalizado, e já aproveitar o sistema defensivo. O importante é deixar tomar sufoco, para perder o medo, até para entender que a vida é assim, uns são bons numa coisa e outros em outra, a vida é assim. O limite é dado sempre da melhor maneira possível para administramos. Oss!
 


Categorias
EntrevistasEspeciaisJiu JitsuLutas

Jornalista - seguidor dos esportes de combate desde 2006 - Fã de Shogun e Mousasi.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    5 × 2 =

    RELACIONADO POR