EXCLUSIVO: Moicano fala sobre luta contra o Zumbi Coreano: “Vamos anular o jogo dele”

O brasileiro ainda projeta confronto contra Volkanovski: “Quando ganhar do Zumbi, quero enfrentá-lo”. (Por Bárbara Monteiro)
Renato Moicano / Foto: AG Fight

No dia 22 de Junho ocorrerá o UFC Greenville na Carolina do Sul, no Bon Secours Wellness Arena nos Estados Unidos. O evento principal da noite contará com o confronto entre Renato Moicano e o Zumbi Coreano, Chang Sung Jung.

O número 5 do ranking da categoria peso-pena gentilmente concedeu entrevista exclusiva ao Nocaute na rede na qual falou sobre sua próxima luta, bem como sobre sua história no mundo das artes marciais e evolução no wrestling:



1) O seu índice de defesa de quedas no UFC é de 76%, considerada uma porcentagem alta no quesito. Você possui ótima defesa de quedas e sempre que você se propôs a utilizar seu wrestling ofensivo, obteve êxito, mostrando boas entradas principalmente de double leg.

Tal habilidade no wrestling já era percebida no início de sua carreira como lutador de MMA. Nos conte um pouco sobre sua evolução no wrestling e se pretende usá-lo mais em seu gameplan?

Em relação a essa parte do wrestling eu sempre treinei muito no Brasil. Principalmente a parte defensiva. Sempre trabalhando bastante a defesa, porquê a gente sabia que quando chegássemos aos eventos internacionais, o que prevaleceria seria essa defesa de queda. Isso porquê os lutadores americanos eram muito wrestlers, então, desde o começo da carreira, nós treinávamos muito isso. Realmente sempre tivemos ênfase nisso. O double leg era mais uma coisa do jiu-jitsu que a gente tinha e treinava. Com o treino de wrestling a gente têm aprendido muitas variações, mas a parte da defesa era muito do que a gente já fazia. Lógico que sempre tem algo a acrescentar, mas trabalhávamos até instintivamente. Trabalhávamos sem tanta qualidade técnica, mas fazendo os movimentos corretos na parte defensiva, com um detalhe ou outro. O que muda bastante é a parte ofensiva. Eles têm muito material aqui, no quesito de wrestling, tanto material humano quanto treinadores. Na American Top Team temos o Mocco, que foi um All American e competiu em Olimpíada. Ele na verdade é uma lenda do wrestling aqui nos Estados Unidos. Tem também o Mike Brown que é muito bom de wrestling. Então, eu penso que a gente vai começar a usar mais o wrestling nas próximas lutas sim, porque é algo que a gente tem treinado bastante.

2) Sabe-se que você tem um excelente jogo de grappling, sendo um faixa-preta de jiu-jitsu de altíssimo nível, inclusive realizando a façanha de finalizar num mata leão utilizando apenas um braço. Nos conte um pouco sobre o seu background no jiu-jitsu, como foi o seu histórico em torneios de jiu-jitsu e grappling?

Jiu-jitsu também é uma parte que treino bastante. Eu treino muito jiu-jitsu, mas não tive tanto gabarito em competições. Eu treino jiu-jitsu desde que eu era bem criança. Comecei com uns 10 anos e nunca parei, mas eu nunca fui um competidor de jiu-jitsu. Eu usava o jiu-jitsu mais como arte marcial, sempre o usei como arte marcial. Eu sempre pensava no vale tudo, tanto que fui para uma escola em Brasília que era bem tradicional em jiu-jitsu e mma. É uma arte que eu gosto bastante apesar de não ter competido tanto.

3) Para continuar sua busca pelo cinturão dos peso pena você terá que passar por um ex desafiante do título. O Zumbi Coreano nunca deixa de entreter os fãs em suas lutas e vem de um prêmio de luta da noite, apesar de perder para Yair Rodriguez no último segundo da luta. Chan Sung Jung é um lutador muito versátil, e se apresenta bem tanto em pé quanto no solo. Como você pretende lidar com a imprevisibilidade do coreano?

A luta com o Zumbi será muito dura. Ele é um cara bem versátil, é duro em pé e duro no chão, mas eu confio muito no trabalho aqui da ATT. Confio no trabalho dos meus treinadores. Estamos fazendo um trabalho sério pra anular o jogo dele e tenho certeza que a gente vai se apresentar bem e vai voltar com a vitória. Sempre lembrando de agradecer a todo mundo pela ajuda aqui na ATT. Agradecer minha família. Agradecer ao Brasil e todos os amigos que tenho aí. Agradecer aos fãs.

Bônus: Em caso de vitória, você teria algum oponente em mente que gostaria de enfrentar?

Eu gostaria, depois que vencer o Zumbi Coreano, de enfrentar o Volkanovski. Seria uma luta que eu gostaria. Ele não vai querer, provavelmente, porque ele vai esperar o título, mas a categoria tá embolada né? Vamos ver! Queria lutar contra ele porque ele venceu o Aldo e eu perdi para ele, mas mesmo assim, eu sou brasileiro e essa é uma luta que eu gostaria muito.

 

 



IBlackbelt
Categorias
EntrevistasEspeciaisLutasMMA InternacionalUFC

Douglas Barcellos, gaúcho de Guaiba/RS.
Sem Comentários

Responder

*

*

3 × um =

RELACIONADO POR