EXCLUSIVO: Nocaute na Rede entrevista a multi campeã de Jiu Jitsu, Michelle Nicolini.

Um dos maiores nomes do Jiu Jitsu feminino na história, a multi campeã Michelle Nicolini conversa com o Nocaute na Rede antes de seu confronto pelo One Championship, na Sexta (11).




Agora pela tarde, a equipe de produção de conteúdo do Nocaute na Rede obteve acesso a essa multi campeã da arte suave. Atleta que detém de inúmeros títulos no circuito do Jiu jitsu, e que atualmente busca sua ascensão no MMA profissional. Trata-se da brasileira renomada no GrapplingMichelle Nicolini. 



Nicolini, atualmente com 34 anos e operando pela gigante académica Evolve MMA, detém de 8 títulos mundiais no Jiu Jitsu e ja foi campeã do Abu Dhabi Combat Club Wrestling Submission. Sua faixa preta vem diretamente das mãos  do renomado Robert Drysdale, um dos principais nomes da Checkmat JJ. Michelle migrou pro MMA à algum tempo e vem se preparando na academia asiática Evolve MMA , equipe reconhecida mundialmente pelo seu oferecimento de elite no quesito material humano e treinadores para Muay Thai e Jiu Jitsu.

nicolini

Michelle enfrenta lutadora egípcia na sexta feira (foto arquivo pessoal)


NR: Você acha a sua rivalidade com a Mackenzie equiparável a Roger x Jacaré?

Nicolini: Pelo que sei entre Roger e Jacaré a rivalidade era somente ali mesmo no tatame, assim como eu com a Mackenzie, não levo nada para fora do tatame. Quem está em seu melhor dia vence e pronto. Fizemos grandes duelos, mas Roger e Jacaré eram incríveis quando lutavam.. rs

 

NR: Você se sente pressionada por ser uma das melhores do jiu-jitsu da história e também treinando na melhor academia de striking do mundo, as pessoas esperam mais de você naturalmente, quais seus sentimentos sobre isso?

 

Nicolini: Olha pode ser que esta pressão exista na cabeça de pessoas que nunca lutaram e não entendem de lutas. Eu e nem ninguém que está aqui do meu lado me acompanhando estamos com esta mentalidade. Quero mais do que ninguém estrear no One Championship com uma bela vitória, mas honestamente, o que vou levar comigo para o cage na próxima sexta-feira é toda a experiência que tenho em competições, tentar lutar bem tranquila e fazer o que treinamos mais! Não esperem me ver dar cotoveladas voadoras ou chutes rodados, porque mesmo treinando em um dos melhores times de striking do mundo, não se faz milagres aqui (risos) Desejo aprender muito ainda com eles mas preciso de tempo.

 

NR: Apesar de ser naturalmente uma grappler, e hoje ter migrado pra uma academia muito focada na parte de striking, como anda os treinamentos da parte em pe na Evolve MMA, e qual Kru você usa com mais frequência ?

Nicolini: Eu tenho aprendido muito com os meninos do Muay Thai, assim como aprendo todos os dias com os outros lutadores mais experientes do que eu. É muito trabalho em equipe por aqui. O Kru Aeq é quem vem trabalhando comigo. Gostei desde o início da maneira que ele colocava os pads para mim. Mas todos me ajudam, e faço aulas extras com os outros krus também. 

 

 

NR:Você começou na capoeira, e depois de alguns anos nesse esporte, você mudou para o JIu Jitsu, o que essas duas artes te trazem hoje no MMA?

 

 Nicolini:  Pratiquei capoeira há muito tempo atrás, na época que comecei no jiu jitsu eu achava que a agilidade e o alongamento da capoeira me favoreciam. Hoje em dia, acho que é um conjunto bem maior de habilidades. Raciocínio, auto controle, estratégias, velocidade e força nos movimentos.. e acho que muito mais..

 

NR: Como foi os tempos que você treinou com o Drysdale e o Cavaca? e como isso agregou ao seu jogo?

 



Nicolini: Bom, o Robert me ensinou tudo. Aliás, ele que me colocou no jiu jitsu. Nunca nem tinha ouvido falar disso até ele sugerir que eu fizesse um treino. Tudo eu aprendia vendo ele fazer, e também me inspirava nele como atleta. Levava tudo muito a sério, era muito dedicado e eu queria ser a melhor aluna dele então me esforçava bastante. Não gostava de perder, fui me tornando competitiva.. com o professor Cavaca, treinei de 2011-2013, ele deu uma lapidada no meu jogo, peguei mais confiança em lutar por cima e aprendi algumas chaves de pé que gosto muito.
NR: Ganhar o primeiro ADCC teve que impacto pra voce? ja que tinha batido na trave em 2011…

Nicolini: O ADCC era um grande objetivo para mim. Desde que Robert ganhou em 2007 eu queria lutar também, mas perdia nas seletivas, e não conseguia ser convidada. Perdi em finais de seletivas, batia na trave era uma frustração. Enfim consegui minha vaga em 2011 e pude participar na Inglaterra. Só de estar lá eu ja estava feliz. Me senti muito nervosa e acabei perdendo a final p Kyra. Em 2013 fiz o camp no Cavaca e ele organizou um time que me ajudou e consegui ser campeã. Foi a realização de um sonho!

 

NR:Muito obrigado por todas suas palavras Michelle, no fim deixe-me uma mensagem para todo mundo que torce por você !

Nicolini: Galera, sexta-feira dia 11/11 a partir das 7hs da noite (horário de Cingapura) vou representar o Brasil no One Championship. Conto com a torcida de todos. Sem esquecer minhas raízes vou buscar levar a luta para o chão. Me acompanhem e desde já agradeço todas as mensagens  de o apoio de vcs!! Obrigada minha família, meu time Checkmat, Leo Vieira por todos os conselhos, academia THFC Santos, Dr Caique Turano meu nutricionista, Tatamifightwear e Evolve MMA. Obrigada desde já. Vou dar meu 110% no cage. Física e mentalmente preparada 👊🏼👊🏼

Treine na Evolve MMA: WWW.EVOLVE-MMA.COM

 

Trabalho realizado em conjunto pela produção de conteúdo do site: Douglas Bernardi, Gabriel Cestari, Ygor Romerito e Lucas Timbo. 




IBlackbelt
Categorias
EntrevistasEspeciaisJiu JitsuLutasMMA Internacional

Jornalista - seguidor dos esportes de combate desde 2006 - Fã de Shogun e Mousasi.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    dez − três =

    RELACIONADO POR