EXCLUSIVO: Nocaute na Rede entrevista o renomado coach de Jiu Jitsu, Sergio ‘Babu’ Gasparelli.

Treinador bastante renomado na parte do grappling e que ja treinou atletas como Anderson Silva e Rashad Evans, Serio 'Babu' Gasparelli conversa com o Nocaute na Rede.

Agora pela tarde, nossa equipe de produção de conteúdo do Nocaute na Rede conseguiu acesso a esse renomado coach de Jiu jitsu Brasileiro, treinador que ja esteve como coaching de grappling nas gigantes académicas Black House, Brazilian Top Team e Blackzilians, e que ja ajudou na preparação do jogo de chão de astros do MMA como Anderson Silva, Rashad Evans e Kazushi Sakuraba. Trata-se do brasileiro grappler Sergio ‘Babu’ Gasparelli. 

Gasparelli, faixa preta de Jiu Jitsu de Sergio Penha, linhagem que vem diretamente do pioneiro Carlos Gracie Sr, também detêm da condecoração de preta no Judo e mais um treinamento de anos na Luta Livre. Esses 3 elementos ajudaram ‘Babu’ a formar seu estilo de grappling e ate ser reconhecido pelo proprio Anderson Silva como “A Enciclopédia do Jiu Jitsu”.



maxresdefault

NR: Quais são as diferenças que você enfrentou de um camping para outro entre Brazilian Top Team Blackhouse, e a Blackzilians? 

Babu: Na Brazilian Top Team, eu fui lutador (de jiu-jitsu e submission), depois passei a ser instrutor la, e depois professor. Então eu estava sempre sobre a visão dos mais experientes da casa… Já na Blackhouse e Blackzilians, ambas eu fui diretamente como treinador de chão, então eu tinha que responder sozinho por esta área.

NR: Como era a jornada de coach e atleta? Já que você teve essas duas funções no início da Brazilian Top Team.

Babu: Conseguia conciliar numa boa, pois fazia do trabalho meu lazer e diversão… treinar para mim, até hoje, sempre é um prazer, diversão e poderia dizer até que seria meu vicio.

NR: De todos os caras que você já treinou, qual é o que você mais lembra, e mais tem saudade de voltar a fazer o trabalho?

Babu: Bom, sem demagogia ou pisando em ovos, digo para você que sou um cara de sorte no âmbito da luta, principalmente quando me refiro ao lado treinador/coach, pois, todos os que treinaram, todos os que participaram de alguma forma no treinamento, me ajudaram a evoluir no que busco ser. Desde os primórdios, e digo lá quando fui para o Japão dar aulas na academia Kingdown onde treinavam: Sakuraba, Yoji Anjo, Kanehara, Takada, Yamamoto, Nakayama,… Até a Blackzilians, eu fui muito feliz, consegui sempre passar o que me propus a ensinar e sempre com excelentes resultados!!! E posso afirmar todos os atletas/lutadores que tive o prazer e honra de trabalhar, só me deram alegrias, TODOS!!!

NR: Como foi seu treinamento de Jiu Jitsu e Luta Livre? o quão isso agregou nas suas habilidades de coach?

Babu: A Luta-Livre chegou na minha vida através do meu amigo e irmão Hugo Duarte, tive a honra de conhecer, conviver, graduar e viver a experiência de ser um faixa preta de Jiu-jitsu, formado pelo Prof. e Mestre Sérgio Penha (e ter paralelamente a isto, treinar com o Prof. e Mestre Ricardo de la Riva, e também o Prof. Jorge Vanzillota), que para muitos seria um complicador e até um desmerecimento ao Jiu-jitsu, para mim foi um aprendizado enorme, um acumulo de mais informações extremamente pertinentes ao que eu queria, ou seja, poder ter soluções para repassar aos que eu treinava. Tive a oportunidade de ver a luta de chão por óticas diferentes, mas com a mesma perspectiva, a finalização, a definição do combate através de Chaves, golpes!! Fantástico isso, graças a Deus pude vivenciar isto “in loco”.

NR: Com o seu conhecimento variado em diversas artes, como você avalia os russos vindos hoje em dia Com o jogo de quedas e chão muito ortodoxos?

Babu: A chegada dos Russos era inevitável, diria até que tardou… Trata-se de um país com fortes características militares, com raízes ligadas à luta. Da antiga URSS ficou a o legado do esporte e dentre estes a luta. A luta olímpica é um exemplo forte desta cultura… Temos o Sambo, luta ainda pouco conhecida entre nós, mas que é extremamente eficaz (e vem provando isto desde os tempos do PRIDE). Acredito que seja um somatório de fatos: o povo aguerrido, com histórias de guerra, conquistas e resistências; uma cultura de sobrevivência; a prática do esporte de luta; a luta como raiz; e também não podemos esquecer que falamos na verdade não só da Rússia, mas sim do Leste Europeu… Acredito que em pouco tempo, acredito que este ano ainda, teremos um campeão do maior evento de MMA do mundo vindo de lá!

NR: Como foi o seu Projeto no Gabão e como se desenvolveu o seu trabalho lá nesse pais?

Babu: Na verdade, fui para o Gabão dar aula para a família do presidente do país, e também para as forças especiais de lá…! Passei um ano, entre Brasil e Gabão, onde fui seis vezes para lá, juntamente com meu amigo e treinador de Muay thai Diógenes (treinador do Anderson Silva me acompanhou na Blackzilians).

NR: Muito obrigado pelas palavras ao nosso site, pelo seu tempo. No fim deixe uma mensagem pra essa galera toda que te acompanha. 

Babu: Obrigado vocês pela oportunidade, e qualquer coisa estou à disposição sempre!!!!

TREINE COM SERGIO BABU: Av. Venezuela #131 – 10 andar – Pça. Mauá, Centro da Cidade, Rio de Janeiro.

Este trabalho foi realizado pela equipe composta por Douglas Bernardi, Gabriel Cestari, Lucas Timbo e Ygor Romerito. 



Categorias
EntrevistasJiu JitsuLutas

Jornalista - seguidor dos esportes de combate desde 2006 - Fã de Shogun e Mousasi.
Sem Comentários

Responder

*

*

dezesseis − 10 =

RELACIONADO POR