#FalaCarlão: Quarta feira de reflexão nos Meio Médios

Na última quarta-feira, assistimos a mais um evento do UFC realizado no Brasil, desta vez em Barueri (SP): o UFC Fight Night Maia vs. Shields. Uma luta principal com...

Opiniao-Carlão

Na última quarta-feira, assistimos a mais um evento do UFC realizado no Brasil, desta vez em Barueri (SP): o UFC Fight Night Maia vs. Shields. Uma luta principal com ares de vestibular para uma possível disputa de cinturão. Dois lutadores que têm no jogo de solo seu ponto forte.



Jake Shields, um wrestler de bom nível que incorporou as técnicas da Arte Suave como poucos. Apesar de não ter conseguido apresentações convincentes no UFC, é um lutador de qualidade, que não deve ser subestimado. Já Demian Maia é um atleta com vários títulos do jiu jitsu, considerado por muitos o melhor representante da arte desenvolvida pela família Gracie em atividade no UFC. Buscava manter a boa fase, depois de vencer lutadores de muita qualidade de forma dominante.

Se fizéssemos uma análise prévia de como seria esse combate, apontaríamos Demian como favorito e com reais possibilidades de surpreender Shields com uma finalização. O brasileiro ainda contava com outros fatores que lhe garantiam esse posto de favorito: lutava no quintal de sua casa diante de sua torcida, completamente adaptado ao clima, alimentação, etc. E na comparação de habilidades, mostrava-se superior a Shields na luta em pé.

Porém, o que vimos foi uma luta amarrada, com poucos momentos de brilhantismo e emoção. Shields veio para ganhar, evitou o risco e buscou o caminho mais conservador para chegar à vitória. Nosso Demian, ao contrário, lutou abaixo do esperado, cansou prematuramente e acreditou em seus corners que insistiam em dizer que ele estava ganhando. Teve alguns bons momentos, mas não soube aproveitar as chances quando conseguiu dominar as costas de seu oponente, por exemplo.

Não vou fazer aqui uma caça às bruxas, buscando culpados pela derrota, pois isso seria até desrespeitoso com Shields, que apesar de estar longe de ter vencido com clareza, fez seu dever de casa, lutou com as regras e conseguiu vencer o duelo.

Independentemente de qualquer análise, a única certeza que toma conta de mim é que em uma luta, seja contra Georges St-Pierre, seja contra o desafiante Johny Hendricks, os dois protagonistas da quarta-feira, dia 9 de outubro, não teriam a menor chance se tivessem se apresentado dessa forma.

demianmaia-jakeshields-ufcsp-get

(Foto: Getty Images)

Ainda falando dos meio médios, não poderia deixar de analisar a situação do estreante na categoria Rousimar “Toquinho” Palhares. Toquinho, que enfrentou o duro Mike Pierce, no inicio me pareceu que iria repetir suas últimas aparições abaixo do esperado. Mas, em um belo movimento conseguiu encaixar uma perfeita chave de calcanhar obrigando Pierce a bater, ou melhor, gritar! O brasileiro segurou a posição um pouco além do necessário e, a partir disso, entrou no olho do furacão.

Além de perder o bônus de melhor finalização e, logo em seguida, ser demitido – ou melhor, banido do UFC –, ainda foi bombardeado por críticas, um linchamento digno dos tempos de uma brincadeira muito comum no passado, a malhação do Judas!

Pergunto-me: Toquinho merecia ser punido dessa forma? Certamente o fato de já ter sido punido anteriormente pelo mesmo motivo, pesou bastante para que a opinião de muitos fosse forjada. Pessoalmente, acho que ele merecia, sim, uma punição, visto que seu oponente pegou uma suspensão médica de 180 dias. Acho que deveria ser punido da mesma forma, por tempo igual ao de recuperação de seu adversário. Mas ser demitido? Ser chamado de mau caráter? Não acho justo com ele. Toquinho precisa de ajuda, para buscar dentro de si o real sentido da luta, o equilíbrio do corpo e da mente. Melhor sorte para ele, que consiga se encontrar em outro evento.

No próximo sábado teremos o tão aguardado combate da trilogia entre Cain Velásquez vs Junior Cigano, o tira-teima, uma luta de afirmação para os dois. Quem é o melhor peso pesado do mundo? Posso enumerar as qualidades de ambos, mas em uma luta desse gabarito, os números não são os protagonistas, o que decidirá mesmo é o lutador que tiver estudado melhor os movimentos de seu adversário, o que tiver mais fome de vitória!

Estou muito curioso para decifrar a tática de cada um, como será o comportamento deles diante de tanta pressão. Bom, mas sobre essa luta falarei na próxima coluna.

ENQUETE: Então galera vocês acham que foi merecida a demissão do Toquinho no UFC? Votem na enquete abaixo e não deixem de compartilhar #FalaCarlão !!

[polldaddy poll=7476737]

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta nossa página no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH



Categorias
Opinião

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
2 Comentários nesta publicação.
  • Clarinda
    5 maio 2016 at 19:38
    Responder

    Muito legal o texto Ico, faz a gente ler até o final. Só uma coisa: acho que os Santanas de taxi na China não são clones são os mesmos feitos aqui em São Bernardo do Campo! Se não me engano, a VW exoatrpva eles pra aí…

  • Marcus Silveira
    15 outubro 2013 at 11:25
    Responder

    Analise ótima! Concordo plenamente sobre o infeliz embate de Damian Maia e Shields, uma luta que cansou não apenas Damian, mas a todos nos que acompanhamos os cinco rounds. Quanto a Toquinho, acho que o jogo dele, bem ou mal, se tornou absolutamente previsível, fato é que uma técnica apurada acaba sobrepondo o preparo – em alguns casos – e foi o desfecho dessa luta. Pierce sabia o que ia acontecer e não teve chance. Sobre a demissão – melhor, banimento – acho que foi uma decisão extrema demais. Como bem dito, que tenha sorte em outro evento – quem sabe voltando para sua pátria e ajudando a alavancar ainda mais nosso amado MMA aqui pelo Brasil?

  • Responder

    *

    *

    um × 3 =

    RELACIONADO POR