Floyd Mayweather Jr. vs Conor McGregor – O maior crossover entre Boxe e MMA de todos os tempos!

Os fãs de ambas modalidades aguardam ansiosamente pela luta e o confronto tem mobilizado a atenção de jornalistas, especialistas, lutadores e entusiastas, tanto do Boxe quanto do MMA.
A promoção do evento tem sido recheada de trash talking por ambas as partes.

Conseguirá McGregor surpreender o campeão mundial de Boxe, Floyd Mayweather?

Ninguém realmente acreditava que tal embate seria concretizado, não obstante as especulações que giravam em torno disso eram frequentes. Entretanto, as dúvidas que pairavam foram afastadas com a notícia de que o contrato fora finalmente assinado! A luta entre um dos principais nomes do MMA da atualidade contra o invicto e maior boxeador dos últimos tempos finalmente irá ocorrer.

A fim de ilustrar os fatos que cercam o combate mais esperado do ano, faremos uma análise detida desta que já vem sido chamada de “A Luta do Século”. Traremos detalhes técnicos no que tange ao combate em si bem como ilustraremos a matéria com a opinião de especialistas e lutadores a fim de enriquecer o debate.

Data e Local:

O show tem data e local definidos para acontecer: será na T Mobile Arena em Las Vegas, no dia 26 de agosto de 2017.

T Mobile Arena, em Las Vegas. Na ocasião, ocorreria a luta entre Amir Khan e Saul “Canelo” Alvarez.

Não há, ainda, informações atinentes à transmissão da luta no Brasil, embora haja negociações por parte das emissoras brasileiras com a gigante do entretenimento WME- IMG (empresa que comprou o UFC), conforme divulgado no “Blog do Ohata”, pelo renomado jornalista e perito em boxe, Eduardo Ohata

Ingressos:

Os valores variam entre US$ 500 (R$ 1.606 reais) a US$ 10 mil dólares (R$ 32 mil reais), conforme noticiado no sítio eletrônico do Canal Combate.

Peso dos Lutadores:

A peleja entre “Money” e “The Notorius” será realizada na categoria Super Meio Médio, ou seja, até o limite de 154 libras (ou 69,85 kg) e terá a chancela do Conselho Mundial de Boxe (WBC). Lembrando que no UFC, McGregor luta na categoria dos leves (155 libras ou 70,3 kg). Assim, fica fácil vislumbrar que o irlandês não terá dificuldades com a balança.

Ambos, em momentos distintos, quando da pesagem em suas respectivas modalidades. Fonte: CNN

“Money” também não terá problemas com o peso, uma vez que seus últimos embates foram em uma categoria de peso muito próxima desta (com Paquiao, por exemplo, lutou na categoria dos meio-médios – 66,7Kg).

Tal fato é extremamente salutar, haja vista que ambos estarão em um limite onde suas habilidades poderão ser desenvolvidas com maestria, não havendo problemas com a desidratação severa e outros decorrentes da perda excessiva de peso.

Luvas:

As luvas utilizadas serão de 10 onças (283 gramas).

Rounds e Cinturão Especial da WBC:

A luta terá duração de 12 rounds, tal qual uma disputa de título mundial. Para esta contenda, o Conselho Mundial de Boxe (WBC) criou um cinturão, a título comemorativo, para ser entregue ao vencedor do duelo. Mauricio Sulaiman é o Presidente da entidade ressaltou a importância da luta:

“Apoiamos eventos que têm um interesse especial. Criamos peças especiais de arte para esses eventos. Eu vejo esse evento como algo que vai atrair muita atenção e eu apoio totalmente isso. O boxe é colocado nos holofotes para todas as pessoas do planeta e isso é bom para o esporte. Quando fazemos troféus comemorativos, um trabalho de arte, é para adicionar um valor especial. Queremos ter certeza de que o boxe está ativo nas mentes das pessoas”.

Multa:

Caso o irlandês se sinta frustrado e cometa alguma penalidade acintosa utilizando técnicas vedadas no pugilismo, a multa a ser aplicada, segundo o contrato, será milionária.

Bolsas Milionárias:

Estima-se que o irlandês irá fazer jus a quantia de 100 milhões de dólares. Considerando valores advindos de publicidade, pay per view, e fontes diversas, há de se considerar que este valor seja muito maior.

No caso de “Money, ao sopesar os valores auferidos na luta contra o filipino Manny Paquiao em 2015, não seria um absurdo afirmar que o americano possa embolsar um valor próximo à meio bilhão de dólares! Seriam importâncias vultuosas de dinheiro e entrariam, facilmente, para a história como as maiores bolsas já pagas no Boxe e no MMA.

Treinamento:

Embora Mayweather esteja oficialmente aposentado desde 2015, fontes próximas ao lutador e os vídeos divulgados na internet, mostram que o lutador está treinando exaustivamente para o combate, além do fato de que “Money” sempre dispôs de uma megaestrutura para seus treinamentos. Ademais, essa característica sempre foi observada no americano, seus treinamentos sempre foram árduos, sua dedicação extrema, ingredientes que o levaram ao patamar de maior pugilista da atualidade.

Ao seu turno, Mcgregor também vem treinando de forma continuada e com pujança. Sua última luta foi em novembro de 2016, ocasião em que tirou o título das mãos do então campeão Eddie Alvarez com um belíssimo nocaute, utilizando, para tanto, seus punhos afiados, numa clara demonstração de refinamento técnico. McGregor contou em seu camp com o auxílio do ex-campeão mundial de boxe meio médio, o sul africano Chris Van Heerden, com o qual o irlandês realizou vários sparrings.

Tempo de Inatividade:

Embora Mayweather esteja parado há quase dois anos e tenha recentemente completado 40 anos (em contraste aos 29 anos do seu rival), acreditamos que tais fatos não irão pesar em desfavor do americano, porquanto o mesmo nunca tenha deixado de se dedicar aos treinamentos e aos sparrings. McGregor está há menos de um ano parado, tendo lutado no final do ano passado, ocasião na qual destronou Eddie Alvarez do título dos leves do UFC.

Marca Histórica:

Com a vitória no confronto contra o irlandês, Mayweather irá ultrapassar o número de vitórias de Rocky Marciano. O peso pesado terminou sua carreira invicto, vencendo suas 49 lutas, 43 delas por nocaute.

Análise Técnica do Confronto:

McGregor irá estrear no boxe profissional contra o maior boxeador da atualidade. Apesar de ser extremamente talentoso, ter a vantagem da idade e do pouco tempo de inatividade, será quase impossível que o irlandês saia triunfante da batalha.

Poster Oficial da luta entra Floyd Mayweather e Conor McGregor.

Mayweather tem uma trajetória vitoriosa na Nobre Arte e debutou no  boxe profissional em 1996. Nessa caminhada, teve êxito em destronar vários ex-campeões mundiais.

Foi 12 vezes Campeão Mundial de Boxe em seis categorias de peso. Além disso, coleciona quase 90 lutas no amadorismo.

Mayweather é dono de um estilo de boxe defensivo e é um contragolpeador nato. Suas habilidades lhe permitiram vencer nomes como Jose Luis Castillo, Arturo Gatti, Oscar de La Hoya, Juan Manuel Marquez, Shane Mosley, Ricky Hatton, Miguel Cotto, Saul “Canelo” Alvarez, Manny Paquiao, entre outros.

Em suma, “Money” já enfrentou boxeadores altamente gabaritados e, não obstante McGregor tenha habilidades incríveis nas artes marciais mistas, sua experiência no boxe é ínfima. Tratando o mote sob um viés técnico, podemos afirmar que dificilmente o irlandês irá oferecer riscos à Floyd e a vitória do americano é tida como certa. Entretanto, numa contenda entre dois guerreiros, tudo pode acontecer e o irlandês já provou que duvidar de suas capacidades é um erro fatal.

Repercussão no Boxe e no MMA – Opinião dos Especialistas:

O “Nocaute na Rede” procurou especialistas do Boxe e do MMA, entre jornalistas e lutadores, para expressarem suas opiniões abalizadas sobre a luta em epígrafe, conforme veremos a seguir:

Eduardo Ohata é jornalista, comentarista e escritor. É uma sumidade quando o assunto é boxe! Responsável pelo “Blog do Ohata”, espaço destinado tanto ao boxe quanto a outros esportes, é um dos maiores especialistas a tratar da Nobre Arte, modalidade abordada com maestria em seus artigos. Dentre tantos feitos, podemos citar uma entrevista realizada com Mike Tyson, em 2005, quando o pugilista esteve no Brasil.

“Acho que o McGregor não tem chance de vencer essa luta, assim como o Mayweather não teria se estreasse no UFC hoje contra o McGregor. Assim como o boxe seguiu normalmente seu curso após o desafio Ali-Inoke, acho que o mesmo acontecerá agora. ”

George Arias é um dos maiores pugilistas peso pesado do país, sendo campeão também na categoria dos cruzadores. Já ocupou a posição de número 2 da Organização Mundial de Boxe e é o maior recordista de defesas do título de campeão nacional. Arias tem o boxe em seu DNA, já que seu pai, Santo Arias, foi um boxeador de renome. Conta com um cartel de 72 lutas, 56 vitórias (42 por nocaute) e 16 derrotas. Formado em Educação Física, Arias ministra aulas de boxe em sua academia, em São Paulo.

“Se tratando de uma luta de boxe, o McGregor não tem chance frente ao Floyd. Acredito que o Floyd nocauteia tranquilamente, mas primeiro vai dar um show com sua movimentação e contragolpes. Não estou desmerecendo o McGregor, ele é bom no MMA, mas se tratando só de boxe e ainda enfrentando o melhor do mundo, não terá chances. Para o mundo do boxe, essa luta não muda nada: os lutadores de MMA treinam boxe além de outras modalidades; os pugilistas lutam e treinam a vida toda somente o boxe, por isso são bons. Se Floyd lutar MMA, também não teria chance. ”

Patrick Teixeira é um dos maiores nomes do pugilismo brasileiro da atualidade atuando no cenário mundial da Nobre Arte. O catarinense que tem contrato com Golden Boy Promotions, de Oscar de La Hoya, é um nocauteador nato: o canhoto tem um cartel invejável de 28 lutas, 27 vitórias (22 por nocaute) e apenas uma derrota e mira o título mundial, oportunidade que surgirá em breve.

“Para o boxe, essa luta não agrega nada. Sabemos que o nível do Floyd é incomparável em relação ao irlandês e essa promoção visa apenas fazer dinheiro. ”

Robenilson de Jesus foi um dos grandes nomes do Brasil no Boxe Olímpico. Com vasta experiência no amadorismo, já disputou três Olimpíadas e já foi campeão Mundial nos Jogos Militares e campeão Sul-Americano. Robenilson se profissionalizou recentemente e estreou com vitória no evento “Boxing For You”. É uma das grandes promessas do boxe profissional em âmbito mundial.

“Não acho que isso seja uma novidade… novidade seria se o Mayweather lutasse MMA. Acho que o McGregor é perigoso pelo fato de ser mais pesado que o Floyd, vai que a mão entra. Outra coisa é o fato do irlandês estrear contra um campeão e não ter nada a perder. Para o McGregor vai ser muito bom, fará jus a um valor que jamais arrecadaria no UFC.”

Wilson Baldini Junior é, junto com Eduardo Ohata, um dos maiores comentaristas e críticos de boxe do país. Baldini iniciou sua carreira no jornalismo esportivo há três décadas, tendo a oportunidade de passar por vários veículos de comunicação. Atualmente, Baldini é o responsável pelo “Blog do Baldini”, onde nos brinda com o seu extenso cabedal de conhecimentos acerca da Nobre Arte!

“Para mim o nome da luta, como está sendo vendida, já diz tudo: ‘The Money Fight’… para mim é um circo, não vale absolutamente nada como luta. Seria como se o meu tio, que brigava muito aqui no bairro Bom Retiro, em São Paulo, na década de 50, desafiasse o Eder Jofre. O boxe do McGregor não é o mesmo boxe do Mayweather, o boxe do MMA é adaptado. Como evento é espetacular, tanto para empresários, lutadores e para a TV que vai transmitir, quanto para nós, jornalistas, que gostamos de luta, uma vez que teremos muita notícia para acompanhar devido à grande repercussão dessa luta. Até quem não acompanha vai querer ver, pois o ser humano vai atrás do bizarro. Se você tiver um acidente na rua, todo mundo para ver, agora se você tem um músico, tocando no metrô, poucos darão bola para ele. Então eu vejo dessa forma: como luta de boxe, não significa absolutamente nada! Acredito até que não deveria ser colocado no cartel do Mayweather. Ele está querendo ganhar essa luta para fazer 50×0, mas, para mim, não valeria nem como luta. O Conselho Mundial de Boxe falou que vai dar um cinturão especial para essa luta… Jesus Cristo! É uma vergonha! Agora se você me perguntar se eu vou assistir a luta, é lógico que eu vou! Eu também paro para ver acidente na rua, também gosto de ver uma catástrofe (risos). Agora, como luta de boxe, isso não passa de uma palhaçada. ”

Goiti Yamauchi é um dos maiores nomes do MMA na atualidade. Dono de um jiu-jitsu de alto nível e de um boxe afiado, o brasileiro nos brinda com grandes lutas pelo Bellator. Conta com 25 lutas no cartel, tendo conquistado 22 vitórias, sofrendo apenas 3 derrotas, todas por decisão. Goiti é um dos nomes mais cotados para, em breve, disputar o cinturão de sua categoria e suplantou atletas do porte de Ryan Couture e Isao Kobayashi

“Eu acho que o Mayweather é o franco favorito, não tem nem o que questionar. Ele é um ícone do esporte, um dos melhores do mundo em todos os tempos, passou por mais de duas décadas vencendo em alto nível e faz por merecer ser chamado de “The Best Ever”. Ele é o melhor, não tem o que falar dele. Ao seu turno, temos o McGregor que é o maior atleta da atualidade, não só do esporte da luta, mas entre todos os esportes. Embora ele tenha perdido 3 vezes, ele é um cara que desafia, que não tem medo, que está trazendo esse conceito para o esporte: ele fala muito, mas realiza tudo o que fala. Ele não tem medo de subir de categoria nem de descer, tampouco de migrar para outro esporte. Eu, como lutador, digo que só de olhar nos olhos dele você consegue ver que ele é destemido. Tem um jogo mental muito acima da média, sabe lidar muito bem com pressão, melhor do que qualquer um, é um exemplo de lutador e atleta, um equilíbrio de tudo, ele realmente entende como se joga o jogo. Mesmo não tendo nenhuma luta de boxe, não se pode duvidar dele. A minha torcida é para o McGregor. Embora seja muito difícil, praticamente impossível ele vencer o Mayweather, eu não duvido dele, ele já calou a boca de muita gente e está se encaminhando para fazer isso de volta. Meu palpite e minha torcida vai para o Conor McGregor. Como vai ser? Eu não sei! (risos). Mas acredito que ele e a equipe tenham um plano para fazer isso acontecer. ”

Victor Haygert é o responsável técnico pelo boxe de Goiti Yamauchi e do pugilista profissional Marlos Simões, lutador que ocupa o primeiro lugar em sua categoria no ranking criado pelo “Round 13”, portal eletrônico especializado em boxe. Treinador experiente, Victor desenvolve seus trabalhos na academia “Boxe Training”, em Curitiba/PR, formando atletas de destaque que atuam no cenário do Boxe Olímpico nacional.

“McGregor é um excelente lutador de MMA e um pegador, mas no boxe, mesmo contra um Floyd Mayweather voltando de aposentadoria, não dá. Ou vocês acham que Floyd Mayweather Junior nunca lutou contra atletas pegadores? Lutas assim sempre atraem multidões curiosas e sempre deixam um legado, para o bem e para o mal. ”

Raphael Zumbano é um dos grandes nomes do pugilismo internacional. Campeão Brasileiro e Latino Americano da categoria dos Pesos Pesados, tem 55 lutas no cartel, acumulando 39 vitórias (32 por nocaute), 15 derrotas e um empate. Raphael está envolvido na preparação do campeão peso-pesado pelo Conselho Mundial de Boxe, Deontay Wilder e sonha em disputar o cinturão mundial em sua categoria. É neto do lendário pugilista Ralph Zumbano e primo do maior boxeador brasileiro de todos os tempos e o maior peso galo da história do boxe mundial, Eder Jofre. Raphael tem o boxe correndo por suas veias desde muito cedo e é o 28º lutador da família, eternizando a frase; “Sempre haverá um Zumbano sobre o ringue”.

“Difícil saber o que o Floyd vai querer, se ensinará ‘boas maneiras’ e humilhar o falastrão, ou se vai querer ‘matar’ logo. Mas tem que se cuidar, assim como ele vai bater, McGregor também irá, embora a chance de acontecer algo contra o americano seja praticamente impossível. A chance de Floyd perder é ínfima, mas se trata de boxe, tudo pode acontecer. Acredito que o Floyd vai judiar, brincar, bagunçar o falastrão e nocauteará no 5º ou 6º round, isso se McGregor não parar antes de ser nocauteado. ”

Andreia Bandeira destaque do boxe olímpico em âmbito mundial, Andreia tem uma grande bagagem: conquistou vários títulos importantes, entre eles a medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos em Medelin, na Colômbia, no ano de 2010, além de oito campeonatos nacionais. Andreia é uma das lutadoras mais experientes da seleção brasileira de boxe olímpico, sendo considerada uma das atletas mais importantes do país.

“Bom não sou fã de MMA não entendo do esporte. Esse confronto e puro marketing, só dinheiro. Se acontecer mesmo esse evento o boxer ganha fácil. Não entendo o porquê de a galera querer comparar os esportes. Boxe é boxe. Bom para quem gosta de circo, será um bom espetáculo (risos). Respeito todos os esportes, mas não devemos confrontar as duas modalidades”.

Edson “Foreman” César Antônio é um grande nome do pugilismo mundial em atividade. Profissional desde 1999, Edson foi Campeão Mundo-Hispano na categoria cruzador, campeão brasileiro, bi-campeão paranaense e já protagonizou excelentes combates, tanto no Brasil como na América Latina e Europa, enfrentando lutadores renomados. Único paranaense a chegar entre os dez maiores pugilistas de sua categoria, o atleta, que já morou na Alemanha, fez a sua última luta em 2016 e projeta grandes desafios para o futuro. Edson “Foreman” comanda a academia “Foreman Boxing”, situada em Curitiba, capital paranaense, local onde realiza seus treinamentos, promove vários eventos de boxe, a exemplo do Campeonato Paranaense de Boxe nesse ano, e forma grandes atletas, tanto no boxe profissional quanto no boxe olímpico. Seu cartel profissional conta com 49 lutas, 44 vitórias, um empate e apenas 4 derrotas.

“Essa luta, como entretenimento, está parando o mundo. Todos estão falando dessa luta. O próprio Dana White falou que poucos estavam falando sobre Cormier e Jon Jones, estão falando pouco de Canelo e GGG, estão falando pouco de Ortiz e Deontay Wilder, justamente por conta desta luta. Como entretenimento é espetacular, mas como luta de boxe, não tem nada, não acrescenta muito, eu nem faço muita questão de falar sobre isso na página da minha academia ou na minha página pessoal em redes sociais. Não acrescenta nada ao boxe. Quem tem a ganhar com isso são só duas pessoas, e financeiramente falando: Floyd e McGregor. Não dá para falar muito tecnicamente. Eu acho até que eles até tinham que combinar algo para deixar a luta mais competitiva, pois tecnicamente não vai ter graça. Se o Mayweather colocar o boxe dele para valer, não dá dois rounds, meu amigo. Pra quem é lutador de boxe, é fácil distinguir o boxe tradicional do boxe adaptado do MMA. O McGregor não luta boxe! É diferente… muita gente vai comprar o Pay Per View… não é o meu caso”.

José Luis Rodrigues “Snoopy” foi um dos grandes pugilistas produzidos em nosso país. “Snoopy” foi campeão brasileiro de boxe e, após se destacar no cenário nacional foi convidado a ir para os Estados Unidos da América, residindo por três anos na meca do boxe, Las Vegas, onde realizou várias lutas. O pugilista já afiou o boxe de grandes nomes do MMA como Anderson “Spider” Silva, Cris Cyborg e Maurício “Shogun” Rua. Além dos grandes feitos nos ringues, “Snoopy” é responsável por vários programas sociais, dentre eles podemos citar o projeto intitulado “A Magia do Boxe”, responsável por dar oportunidade para que crianças e adolescentes em situação de risco consigam oportunidades na vida através do esporte.

“O McGregor é um cara malandro, ele não virá pra cima do Mayweather com tanto ímpeto, porque ele sabe que vai tomar um atraso. E o Floyd Mayweather também vai respeitar ele, os caras não vão trocar porrada assim. Agora, o Mayweather vai enrolar ele o segundo, terceiro round, e no quarto round bota pra dormir. Esse que vai ser o papo. O Floyd Mayweather vai botar esse cara pra dormir no terceiro ou quarto round. O irlandês não vai aguentar, não passará disso. O McGregor vai se enrolar, não irá pra cima com tudo, pois ele é um lutador e tem consciência que irá cansar se for pra cima com tudo, mas mesmo assim não tem condição de aguentar mais do que quatro rounds.

 



Categorias
Boxe Nacional e InternacionalLutasMMA Internacional

Entusiasta da Nobre Arte e do MMA desde tenra idade. Posso me gabar de ter nascido em uma geração que acompanhou as lutas de Mike Tyson, Maguila, Holyfield, Foreman, Roy Jones Jr, Popó, entre outros e de ter acompanhado os primórdios do MMA (antigo Vale Tudo), desde o chute de Gerard Gordeau em Teila Tuli, o massacre que Rickson Gracie promoveu no Japão, até os dias de hoje, com atletas marciais completos como Jon Jones. Nasci em Curitiba, terra da Chute Boxe e de valorosos guerreiros e espero trazer um pouco dessa experiência para os leitores do Nocaute na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    dezoito − 1 =

    RELACIONADO POR