Gabriel “Napão” Gonzaga anuncia aposentadoria do MMA, critica o UFC e diz que só lutaria de novo por mais de 100 mil dólares.

O veterano peso-pesado reclama da política de pagamento dos atletas, diz que cuidará de sua academia, só lutará torneios de jiu-jítsu e que só retorna ao MMA se oferecerem valores justos.
(Foto: Bleacher Report)

Parece que o plantel de lutadores desgostosos com o UFC só aumenta. Recentemente, o peso-pesado Gabriel “Napão” Gonzaga anunciou, via entrevista ao site MMA Fighting (confira), que está aposentado do MMA e que só retomaria sua carreira no UFC caso ofereçam mais de 100 mil dólares como pagamento. Napão criticou a postura recente do UFC em relação à promoção dos eventos e à forma como o negócio vem se tornando maior que o esporte em si e ainda alfinetou Conor McGregor:

“Não planejo voltar. Agora, estou cuidando da minha nova academia Squared BJJ. Se quiserem me oferecer algo, que seja uma boa oferta… Caso contrário, continuarei competindo em torneios de jiu-jítsu contra pessoas da minha idade e peso. Já me considero aposentado. Só aceitaria voltar a lutar caso me façam uma boa oferta, financeiramente falando. Mas duvido que alguma organização esteja interessada em mim…”

(Napão ao site MMA Fighting).

Será o fim para Gabriel Napão? (Foto: BJPenn.com)

Será o fim para Gabriel Napão? (Foto: BJPenn.com)

Napão é um veterano do esporte e ostenta um cartel de 17 vitórias e 11 derrotas, já tendo vencido nomes como Ben Rothwell e Mirko “Cro Cop” Filipovic. Ele ainda tem contrato com o UFC mas crê que não realizará mais nenhuma luta pela organização, principalmente devido à nova política de pagamento aos atletas. Napão reclamou da nova política e aproveitou para alfinetar o UFC e a forma como o evento trata lutadores e como vê que o negócio está acima do esporte em si.

“Eu não luto por menos de 100 mil dólares. Eu tenho 37 anos e não quero arriscar minha saúde nem perder tempo e dinheiro para sofrer desse jeito. Não preciso mais disso. Deus me deu uma excelente oportunidade na vida e eu não preciso das coisas desta forma. Meu valor é esse. Por menos de 100 mil, sequer darei o trabalho de pisar em um ringue novamente.

O UFC se tornou um show, não se trata mais de um esporte de combate. Eu me sinto envergonhado em ver caras como (Conor) McGregor tornarem-se ídolos e de estar num esporte onde um cara desse é considerado ídolo. Se você não gostaria que seu filho fosse como o ídolo de um esporte, é porque algo está errado. Eu mesmo não acredito que tem quem queira que seu filho seja como um (Conor) McGregor… Os esportes estão aí para criar modelos para uma sociedade como um todo. Se o ‘modelo’ do UFC é um sujeito que fala asneira, ofende um lutador ou uma comunidade inteira, tornando-se um ‘exemplo’ para gerações futuras de atletas que querem ingressar no esporte, eu não vou querer um filho meu lutando MMA e portando-se dessa maneira.”

(Napão sobre política de pagamento aos atletas e aos novos rumos que o UFC está tomando)

Gabriel Napão em seu melhor momento pelo UFC, nocauteando Mirko "Cro Cop" no UFC 70 (Foto: Daily Mirror)

Gabriel Napão em seu melhor momento pelo UFC, nocauteando Mirko “Cro Cop” no UFC 70 (Foto: Daily Mirror)

Caso venha a definitivamente concretizar a sua retirada dos ringues, Napão afirma que sai com a cabeça erguida e feliz com sua carreira. O carioca, que hoje reside em Ludlow, Massachussetts, diz que apesar de não ter sido campeão do UFC, sente que cumpriu seu dever e deixou uma marca na história do MMA e do Ultimate.

“Graças à Deus, tive uma boa carreira neste esporte. Não fui o melhor do mundo, nem o campeão de uma grande organização, mas sempre estive lá. Fui um dos Top-10 do UFC e do MMA por uma década, tenho o segundo nocaute mais rápido da organização, mais de 20 lutas pela maior organização de MMA do mundo e acredito que esteja empatado com Frank Mir com maior número de finalizações da divisão…Não é para qualquer um. Sei que poderia ter sido melhor, mas poderia ter sido bem PIOR.”

(Napão sobre sua carreira)



Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Um Comentário
  • Leo_creed
    29 setembro 2016 at 22:41
    Responder

    Com certeza napao teve seus momentos!

  • Responder

    *

    *

    5 + 20 =

    RELACIONADO POR