Georges St-Pierre completa 34 anos hoje

O canadense Georges St-Pierre está completando hoje, dia 19 de maio, 34 anos. E, como de costume, nós da equipe do Nocaute na Rede viemos prestar homenagens a esse...
St-Pierre em 2007 (Foto: Ryan Mallard)

Georges St-Pierre (Foto: Ryan Mallard)

O canadense Georges St-Pierre está completando hoje, dia 19 de maio, 34 anos. E, como de costume, nós da equipe do Nocaute na Rede viemos prestar homenagens a esse grande lutador, preparando uma matéria especial sobre sua carreira e suas principais conquistas.

Georges St-Pierre nasceu em Saint-Isidore, Quebec, Canadá, em 1981; filho de Roland e Pauline St-Pierre. Vítima de bullying na infância, começou sua tragetória nas artes marciais aos sete anos, no Karatê Kyokushin. Com 12 anos, já Faixa Preta 2º Dan de Karatê, começou a treinar Muay Thai. Aos 16, iniciou no Brazilian Jiu-Jitsu e, aos 18, no Boxe e no Wrestling. Antes de se profissionalizar no MMA, trabalhou como segurança de boates e lixeiro.



Fez sua primeira luta amadora de MMA aos 16 anos, mais ou menos na mesma época em que começou a treinar Jiu-Jitsu, estreando com vitória. Virou profissional com 21 anos, fazendo sua primeira luta no dia 25 de janeiro de 2002, quando derrotou Ivan Menjivar por nocaute técnico no primeiro round, no evento UCC 7. Após conquistar mais três vitórias rápidas em eventos do UCC e outra na organização TKO, que lhe valeram o apelido de “Rush”, fez sua estreia no UFC em 31 de janeiro de 2004, no UFC 46, com vitória por decisão unânime sobre Karo Parysian.

Na segunda luta após sua estréia no UFC, Georges recebeu sua primeira disputa de cinturão, contra o então campeão dos meio-médios, o lendário Matt Hughes, em outubro de 2004, no UFC 50. Foi a primeira derrota profissional de St-Pierre, que foi finalizado pelo campeão com uma chave de braço ainda no primeiro round.

Após a derrota para Hughes, GSP engatou uma sequência de cinco vitórias, derrotando nomes como “Mayhem” Miller, Frank Trigg, Sean Sherk e B.J. Penn, o que lhe rendeu uma segunda disputa de cinturão contra Hughes, no UFC 65, em novembro de 2006. Na revanche, GSP dominou Hughes do início ao fim, conseguindo o nocaute técnico logo no segundo round, e se tornando campeão dos meio-médios do UFC.

Sua primeira defesa de cinturão foi no UFC 69, em abril de 2007, contra o “azarão” Matt Serra. Em uma das maiores “zebras” da história do MMA, Serra nocauteou GSP logo no primeiro round com fortes cruzados de direita, terminando o trabalho no ground-and-pound, e tomando o cinturão do canadense. A derrota para Serra mudou bastante a postura de St-Pierre no octógono, que passou a lutar de forma mais cautelosa e estudada, sendo muitas vezes chamado de “amarrão” por parte dos fãs.

Apesar das queixas, as mudanças deram resultado: após a derrota para Serra, GSP derrotou Josh Koscheck e novamente Matt Hughes (em luta que valeu o cinturão interino da categoria), e recebeu nova chance de disputar o cinturão linear contra Serra, no UFC 83, em abril de 2008. Na revanche, realizada em Montreal (o evento foi o primeiro do UFC em solo canadense), St-Pierre deu o troco em Serra, conseguindo o nocaute técnico no segundo round, para delírio dos fãs locais, e iniciando um segundo reinado como campeão dos meio-médios do UFC.

O segundo reinado de GSP foi um dos mais dominantes da história do evento. Após 6 defesas de cinturão bem-sucedidas, contra lutadores renomados, como Jon Fitch, B.J. Penn, Thiago Alves, Dan Hardy, Josh Koscheck e Jake Shields, um rompimento de ligamento no joelho deixou St-Pierre afastado das competições por um período de 10 meses. Recuperado, tratou de reiniciar sua sequência de vitórias, derrotando o então campeão interino do UFC, Carlos Condit, o ex-campeão do Strikeforce, Nick Diaz, e o primeiro do ranking dos meio-médios, Johny Hendricks.

GSP vence Hendricks (Donald Miralle/Zuffa/Getty)

GSP vence Johny Hendricks (Foto: Donald Miralle/Zuffa/Getty)

Após a vitória sobre Hendricks, considerada polêmica por muitos, Georges St-Pierre anunciou oficialmente, no dia 13 de dezembro de 2013, que precisava de um tempo afastado do esporte e que estava vagando o cinturão dos meio-médios. Apesar disso, fez questão de ressaltar que não estava oficialmente aposentado, e não descartou a possibilidade de voltar a competir.

Considerado o maior meio-médio da história do MMA, com um cartel de 25-2, um dos maiores lutadores peso-por-peso de todos os tempos e detentor de vários recordes no UFC, como o de mais defesas de cinturão entre os meio-médios (9 no total), o de maior número de vitórias em disputas de título (12), o de maior número de vitórias (19) e o de mais tempo passado no octógono (05:28:12), Georges St-Pierre definitivamente deixou sua marca na história do MMA mundial, e, caso decida voltar a lutar, esse legado ainda pode ser expandido. Esperemos pelos próximos capítulos…

 

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

 

Escrito por Daniel Batista Caldas



IBlackbelt
Categorias
EspeciaisLutasMMA Internacional

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

quatro × 1 =

RELACIONADO POR