Hendo Eterno

New Orleans, junho de 2015… O que você faz em 30 segundos? Dá tempo de beber um copo d’água, de atravessar a rua ou de procurar no Google algumas...

New Orleans, junho de 2015…

O que você faz em 30 segundos? Dá tempo de beber um copo d’água, de atravessar a rua ou de procurar no Google algumas opções. Em 28 segundos, Dan Henderson nocauteou Tim Boetsch no evento principal do UFC Fight Night 68. Nada mau pra um senhor de 44 anos que já ouvia gente “cornetando” a sua aposentadoria. Hendo não deu ouvidos a eles e não é a primeira vez que contraria as possibilidades.



dan-henderson

São Paulo, junho de 1997…

No final dos anos 90, o MMA ainda era o “vale-tudo”. Bom, valia quase tudo. Nessa época, lutadores brasileiros ainda tinham uma considerável vantagem em relação aos gringos, uma vez que o jiu-jitsu ainda era uma novidade que fazia diferença dentro do ringue (ou do octógono). E em um evento sediado no Brasil, a vantagem verde e amarela era ainda maior.  Com boas possibilidades de tomar uma surra, Dan Henderson resolveu tentar a sorte em São Paulo, onde faria a sua primeira luta profissional. Era um novato contra um brasileiro faixa-preta da arte suave. Hendo foi para o combate sabendo que nem a sua própria mãe apostaria nele.

O oponente era Crézio de Souza Filho, uma fera com o jiu-jitsu no DNA da família, e a luta começou movimentada. Naquele tempo, a estratégia era bem simples: entrar no ringue e bater no adversário. Simples assim. E os dois buscaram a trocação, mas Crézio tentou logo mostrar a especialidade da casa. Para a sua surpresa, o gringo defendeu bem as suas quedas e ainda tinha a mão pesada. Em certo momento, prevaleceu a técnica brasileira e a luta foi para o chão. Crézio passou a guarda e montou. O ginásio foi à loucura. Só que o estreante tinha calma de veterano e escapou da posição ruim. Caiu por cima e fez chover bordoadas no brasileiro. Convenhamos que nenhum soco entrou justo, mas o juiz se convenceu que não havia mais condições de luta. Vitória de Dan Henderson, novato casca-grossa que brilharia nos maiores eventos de pancadaria do mundo.

Dali para frente, Hendo encarou a elite do MMA no Pride, no Strikeforce e no UFC. O gringo enfrentou Rodrigo Minotauro, Murilo Bustamente, Renato Babalu, Fedor Emilianenko, Wanderlei Silva, Anderson Silva, Lyoto Machida, Renzo Gracie e mais uma “cacetada” de monstros. O primeiro confronto contra Shogun ainda é considerado um dos melhores de todos os tempos e o seu nocaute contra o falastrão Michael Bisping é antológico: o voo e o soco devastador. Parecia uma cena de “Cavaleiros do Zodíaco”.

18 anos depois daquela luta em São Paulo, o cara permanece na Série A do MMA e o seu queixo ainda é um dos mais duros da história. Em 44 lutas, Vitor Belfort foi o primeiro a lhe nocautear e isso já em 2013. A decretada aposentadoria ainda não é uma prioridade, pois, mais do que vencer os adversários, o quarentão Hendo continua vencendo o tempo.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Douglas Nogueira



Categorias
LutasUFC

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Um Comentário
  • As Crônicas ganham um espacinho no Nocaute na Rede | Crônicas do Tatame
    11 junho 2015 at 19:39
    Responder

    […] Hendo fez a sua primeira luta profissional em São Paulo. O texto completo, você lê lá no bom Nocaute na Rede. A luta, você pode conferir no vídeo […]

  • Responder

    *

    *

    cinco × três =

    RELACIONADO POR