Matheus Nicolau, ex TUF Brasil 4, bate um papo com Nocaute na Rede

O participante do TUF Brasil 4, Matheus Nicolau, está prestes a enfrentar o também participante do TUF Brasil 4, Bruno Korea. Os dois lutadores se enfrentarão no próximo dia...

O participante do TUF Brasil 4, Matheus Nicolau, está prestes a enfrentar o também participante do TUF Brasil 4, Bruno Korea. Os dois lutadores se enfrentarão no próximo dia 7 de novembro, em São Paulo, no UFC Fight Night 77: Belfort vs Henderson 3.

(Foto: Reprodução/ Combate)

(Foto: Reprodução/ Combate)

Mesmo com o foco no combate e a preparação estando a mil por hora, Matheus achou um tempinho para responder algumas perguntas do Nocaute na Rede. Confiram: 

Você era jogador de futsal do Atlético-MG, quem influenciou você a mudar de esporte?

“Joguei no Atlético, Cruzeiro e América aqui em Minas, além de outras equipes tradicionais, entre campo e salão. Comecei no futebol influenciado pelo meu pai, que era meu maior apoiador. Com o tempo, o Eduardo, meu irmão do meio, iniciou no jiu-jítsu e eu gostei bastante do novo esporte. Comecei, aos 9, na arte suave para ser um complemento ao futebol, na parte de alongamento, disciplina, enfim… Mas logo voltei meus focos apenas para o futebol. Aos 13 anos, com o falecimento do meu pai e já com vontade de voltar para o jiu-jítsu e deixar o futebol, retornei à arte suave e foi um caminho natural até o MMA”.

 Porque você começou nas artes marciais?

“Como disse na resposta anterior, comecei no jiu-jítsu mais como um esporte de apoio ao futebol. E, depois, se tornou uma paixão enorme pela modalidade e toda a sua cultura. Com a migração ao MMA vindo naturalmente”.

 Quem é seu grande ídolo?

“Tenho algumas pessoas que me inspiram bastante. Tem o meu irmão Eduardo, que foi quem despertou este meu interesse pelo jiu-jítsu e me ajudou bastante na transição do futebol ao jiu-jítsu, me levava para as aulas, etc. O Roberto Corvo, na Nova União, é um cara que também admiro muito. Ele despertou minha mente para o boxe, que hoje é algo importante no meu jogo. Ele também teve várias dificuldades na infância, teve um problema sério na perna. Chegaram até a falar que ele nunca poderia ser um atleta, viver do esporte. E hoje ele é um dos melhores lutadores de MMA que conheço e vocês vão ouvir falar bastante dele”.

 O que você aprendeu com a derrota para o Dileno no TUF?

“Foi um combate muito equilibrado e que poderia ter ido para qualquer um dos lados. Foi uma experiência nova pra mim, lutar “praticamente” sem córner e contra um cara que eu já treinei bastante. Então, nenhum dos dois queria se expor. Acabou que a luta chegou na mão dos juízes e a vitória poderia ficar com qualquer um”.

 Você pensa em fazer uma luta com o Reginaldo Vieira no UFC, já que a luta entre vocês dois no TUF foi muito polêmica?

“Meu foco é total no Bruno Korea. É a minha próxima luta e o que penso 100% do tempo. A luta com Reginaldo ficou no passado. Do futuro, não posso prever nada”.

 Como é ser considerado uma das principais promessas da Nova União?

“É uma honra. Na Nova União tem inúmeros atletas de grande qualidade e estar ao lado deles é gratificante. Tenho a oportunidade de treinar com vários lutadores de renome e isso só acrescenta ao meu jogo. Sei que a estrada é muito longa e, mesmo com esses elogios, não me acomodo, pois ainda tenho muito objetivos a alcançar”.

 Em qual aspecto da luta você acha que precisa evoluir?

“O MMA é uma evolução constante. O esporte está sempre se movendo, sempre em desenvolvimento e você tem que estar ligado para nunca perder uma atualização. Então, a cada dia que passa você tem que se reinventar, acrescentar novos elementos ao seu jogo e se tornar o mais completo possível. Por isso, treino de forma intensa e diversificada”.

 O que você a dizer sobre seu oponente Bruno Korea?

“Korea é um atleta da nova safra, um lutador completo e de muito talento. Tem a parte em pé muito boa e também é bastante versátil no chão. Dentro do TUF Brasil 4, foi um dos que mais me aproximei e nos tornamos amigos. Mas no dia 7 de novembro a amizade fica fora do octógono e vamos sair na mão lá dentro do cage (hahaha). Quando acabar a luta, vamos tomar um açaí, nos xingar um pouco por causa da porrada e a amizade vai permanecer”.

 Mande um recado para a galera que torce por você.

“Agradeço ao pessoal do Nocaute na Rede pela oportunidade de contar um pouco da minha preparação para a próxima batalha. Quero mandar um abraço e agradecer a todos aqueles que gostam e acompanham meu trabalho. A energia positiva, as críticas e as palavras de apoio são sempre bem-vindas e nos fazem crescer como lutador e pessoa. Por fim, se quiserem ficar ainda mais próximos da minha rotina de treinos e preparação, sigam minhas redes sociais:  Facebook: Matheus Nicolau MMA, Instagram: MatheusNicolauMMA, Twitter: NicolauMatheus, Snpachat: Matheus.MMA”.

(Foto: Marcelo Viana)

(Foto: Marcelo Viana)

Matheus Nicolau tem um cartel com 12 lutas, 10 vitórias (4 nocautes, 3 finalizações e 3 por decisão), 1 derrota (nocaute) e 1 empate. 

 Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH



Categorias
EntrevistasLutasMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

três + treze =

RELACIONADO POR