Mike Perry aprova ideia de enfrentar Nate Diaz

O americano Mike Perry venceu Mickey Gall no último sábado, 27, por decisão unânime e deu fim a incômoda sequência de 2 derrotas consecutivas (Vicente Luque e Geoff Neal)....

O americano Mike Perry venceu Mickey Gall no último sábado, 27, por decisão unânime e deu fim a incômoda sequência de 2 derrotas consecutivas (Vicente Luque e Geoff Neal). Agora, ele já mira um novo adversário, por sinal bem lucrativo.

Em entrevista à ESPN, Perry foi perguntado se aprovaria um duelo com Nate Diaz e a resposta foi positiva.



“Acho que ele é magro, fraco, pequeno, como Mickey Gall. Eu respeito o que ele fez neste esporte. Ele joga o jogo de guarda, do jiu-jitsu. Ele acha que pode encaixotar com aqueles pequenos socos fracos que ele tem. Ele não tem chance de me bater forte o suficiente”, afirmou.

“Platinum” disse ainda que “amassaria” Diaz no solo e que a luta seria interessante pelo fato do rival aguentar pancada.

Opinião:

Perry é um cara interessante, que luta de forma agressiva, buscando o ataque e lançando golpes com muita potência. Uma luta com Diaz poderia ser positiva e ele teria boas chances de sair com a vitória. No entanto isso seria em condições normais.

Digo isso porque na última semana Perry foi o assunto do momento devido a sua história de não querer ninguém em seu corner com exceção de sua namorada. Isso mesmo, o cara foi pra luta levando apenas a namorada e ainda revelou que treinou muito menos do que se divertiu durante a preparação.

O resultado foi positivo e a vitória aconteceu. No entanto, fisicamente vimos um Perry bem abaixo do normal, inclusive cansando mais rápido que de costume. E é aí justamente que, numa luta contra Nate, mora o perigo.

O mais novo dos “Diaz Brothers” adora correr, pedalar, nadar, enfim, o cara é um verdadeiro triatleta. A resistência descomunal, o chamado queixo de pedra, unido ao ótimo gás e a boa técnica principalmente no solo fazem de Nate um oponente duro, que precisa ser respeitado e que não a toa já bateu bons nomes como Conor McGregor, Donald Cerrone, Michael Johnson, Anthony Pettis, Gray Maynard, Jim Miller no auge e por aí vai. Ah, alguém pode questionar o tempo de inatividade de Diaz. Ele não é um cara que, pelo menos nos últimos anos, vem engatando boa sequência de trabalho. No entanto segue um estilo de vida considerado saudável, pelo menos no que diz respeito a alimentação e treinamento, o que colabora muito para que o cárdio permaneça em alto nível e corresponda de forma positiva quando exigido. 

Somando essas questões, dificilmente Perry vai conseguir manter a fórmula e o resultado. Ele é um cara do jeito que o UFC adora, que fala muito fora do cage e que quando entra no octógono vai pra matar ou morrer. Só que justamente pra essa mesma empresa, UFC, você precisa muito mais matar do que morrer. E se mantiver a decisão de permanecer com a fórmula da última luta, o resultado quase certo será “morte” (leia-se demissão).

E você, o que acha do casamento dessa luta? Quem venceria?

 

Texto e edição: Kaio Lima



Categorias
Kaio LimaLutasMMA InternacionalOpiniãoUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede, sonha em seguir carreira na área esportiva; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral (principalmente MMA, futebol e basquete); Praticante de MMA e muay thai;
Sem Comentários

Responder

*

*

um + 2 =

RELACIONADO POR