MMA Asiático: FORBES elege as cinco organizações asiáticas que mais tiveram sucesso em 2016.

O MMA também inspira sucesso e revolução do outro lado do globo. Veja quais as organizações que mais colheram louros do sucesso este ano.
(Foto: MMA In Asia.com)

A venda do UFC e o constante crescimento do Bellator pavimentaram um 2016 muito exitoso para o MMA nos Estados Unidos. Mas não é só nos EUA que o MMA goza de um período de êxito. Do outro lado do mundo, as organizações da Ásia vêm crescendo exponencialmente e possuem projeções cada vez maiores de manutenção de sucesso para 2017.

A Forbes divulgou um ranking com as cinco organizações asiáticas que mais cresceram neste ano:



01: ONE Championship.

(Foto: One Championship)

(Foto: One Championship)

Apesar de ser uma organização jovem (tem apenas 5 anos), é consensualmente a promoção de MMA mais ilustre e exitosa da Ásia. Parceria com a Fox Sports, transmissões para mais de 100 países e com mais de um bilhão de espectadores, o ONE conseguiu assegurar a primeira colocação neste ranking. O sucesso da organização atraiu nomes como Ben Askren, Brandon Vera, Shinya Aoki, Roger Gracie e veteranos do esporte como Rich Franklin e Matt Hume, que ocupam cargos administrativos.

Feitos notórios deste ano para o ONE foram a realização de 14 eventos este ano (quantia recorde até o momento), primeira realização da HISTÓRIA de um card de MMA na Tailândia, promovido por uma organização de grande porte, card mais assistido na história de Macau e a realização de eventos inéditos nas cidades chinesas de Changsha e Anhui. O ONE também fez história quando coroou a campeã mais jovem da história do MMA, Angela Lee, de 19 anos, campeã peso átomo da organização.

O ONE também assegurou parceria com a holding Temasek Holdings do governo de Cingapura que permitiu investimentos que alcançaram um bilhão de dólares, prometendo expansão global do ONE para 2017.

02: RIZIN Fighting Federation

(Foto: MMANEWS)

(Foto: MMANEWS)

Chamado de “Novo PRIDE”, o RIZIN foi fundado em 2015 por Nobuyuki Sakakibara, ex-presidente do extinto evento japonês. Seu estilo clássico de torneios, lutadores teatrais e caricatos e novos talentos surgindo tornaram o RIZIN uma das organizações de maior sucesso da Ásia no momento. O espírito nostálgico, velhos nomes do esporte revisitando os ringues japoneses com Wanderlei Silva, Fedor Emelianenko, “Mirko Cro Cop” Filipovic, Kazushi Sakuraba e Tsuyoshi Kohsaka e cards repletos de emoção fizeram a audiência para seus eventos ultrapassar os dez milhões de pessoas, seja presencialmente ou pelas telas da Fuji TV do Japão.

Os eventos de final de ano trarão novamente veteranos como Mirko Cro Cop, Shane Carwin e nomes ilustres como Charles Bennett e Kron Gracie, projetando audiências ainda maiores para as finais do torneio peso-absoluto. O RIZIN visa realizar mais eventos em 2017, revivendo a agenda do extinto PRIDE.

03: PANCRASE:

(Foto: Wikipedia)

(Foto: Wikipedia)

O Pancrase mudou suas regras em 2012, adotando as regras unificadas de MMA, e com isso tornou-se a terceira organização mais popular da Ásia. No Japão, é a promoção mais influente do esporte e realiza eventos extensivamente em Tóquio, Sapporo e Osaka. Adotou recentemente o ringue em formato de decágono, similar ao do World Series of Fighting (WSOF) e no momento planeja fazer o primeiro evento da história da organização em solo estadounidense, escolhendo Las Vegas como local.

O Pancrase revelou várias lendas do esporte como Bas Rutten, Ken Shamrock, Carlos Condit, Josh Barnett, Ikuhisa Minowa, Frank Shamrock, Genki Sudo, Nate Marquardt, Guy Mezger, José Aldo, dentre muitos outros. Em 2016, o Pancrase realizará 13 eventos pelo território japonês e já assegurou exibição de seus cards através do serviço de streaming do UFC, o UFC Fight Pass.

04: DEEP / Jewels:

(Foto: MMA Fighting)

(Foto: MMA Fighting)

O DEEP, antes conhecido como DEEP2001, é uma das organizações mais importantes do Japão e este ano, 20 eventos por todo o território japonês são planejados pelo DEEP. Em 2013, o DEEP adquiriu direitos sobre o Jewels, organização de MMA só com mulheres, similares ao Invicta FC e absorveu todo seu plantel de atletas. Entretanto, até 2016, grande parte das atletas migraram para outras organizações de dentro e fora do país, reduzindo consideravelmente o número de lutadoras.

O DEEP já teve nomes como Ryo Chonan, Doo Ho Choi, Chan Sung Jung, Dong Hyun Kim, Don Frye, Milton Vieira, Singh Jaideep, Seo Hee Ham, Ayaka Hamasaki e vários atletas que encontraram fama e projeção internacional em eventos como o UFC, Strikeforce, Invicta e Bellator.

05: Shooto / Vale Tudo:

(Foto: Montagem)

(Foto: Montagem)

O Shooto já era uma organização consideravelmente grande no Japão e agora com a fusão com o Vale Tudo Japan, a projeção de sucesso é ainda maior. Com 22 eventos planejados para 2016, a organização busca manter seu status de “feeder” para outras promoções de fora do país, recentemente cedendo seu campeão de duas divisões Hiromasa Ogikubo ao UFC.

O Vale Tudo Japan realizava eventos todos os finais de ano no Japão até 1999 e retornou em 2009 para eventos especiais, durando até 2013. Seu plantel teve nomes como Rickson Gracie, Megumi Fujii, Darrell Montague, Kyoji Horiguchi, Yuki Nakai, Carlos Newton e muitos outros lutadores de renome.

Menções honrosas a outras organizações asiáticas que também tiveram um bom 2016: Road Fighting Championship (Coréia do Sul), Pacific Xtreme Combat (Guam/Filipinas), Kunlun Fight (China).



IBlackbelt
Categorias
LutasMMAMMA InternacionalOne FCRizin FF

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    2 × 2 =

    RELACIONADO POR