Na Rede Da Nostalgia: Há exatos 22 anos, o UFC realizava sua terceira edição!

Ainda nos moldes antigos, o UFC realizava seu terceiro evento que teve desde campeão desistindo a vencedor que só fez uma luta!
(Foto: MMACore)

Hoje, 6 de Setembro, a cidade de Charlotte na Carolina do Norte via o UFC realizando sua terceira edição no ano de 1994. O Grady Cole Center via uma multidão de 3 mil pessoas adentrar o pequeno espaço e assistir mais uma noite de pancadaria que culminaria em um lutador ser condecorado como campeão em formato de torneio de 8 homens.

Não haviam categorias de peso, luvas, limite de tempo, nada disso. Tudo da forma mais crua e brutal possível… Lutadores testavam suas forças defendendo diversos tipos de artes marciais, visando provar ao mundo qual era a arte mais eficaz e quem era o lutador mais durão.



Pôster do UFC 3 (Foto: MMAWeekly)

Pôster do UFC 3 (Foto: MMAWeekly)

Os oito lutadores escolhidos para competir no evento, batizado de UFC 3: The American Dream:

Royce Gracie – vencedor dos dois primeiros UFCs, membro da ilustre família Gracie, ás do jiu-jítsu. Entrava como grande favorito e já tinha experiência em torneios deste tipo.

Ken Shamrock – já era um veterano das artes marciais, representava o Shootfighting e o wrestling e já tinha experiências anteriores lutando pelo Pancrase.

Kimo Leopoldo – o imponente peso pesado que representava o taekwondo e havia tentado a sorte como jogador de futebol americano em Huntington Beach.

Harold Howard – experiente karateka (modalidade goju-ryu), tinha um background no jujutsu (jiu-jítsu mais tradicional, ainda no molde japonês) e era instrutor de artes marciais em Ontario no Canadá.

Christophe Leininger – judoca americano duas vezes campeão nacional de judô e duas vezes campeão do aberto de judô nos EUA. Veio de família de judocas e já participou de três edições dos Jogos Olímpicos (1984, 1988, 1992).

Keith Hackney – com experiência no boxe, taekwondo e no karatê kenpo, representou também o tang soo do nos ringues do UFC.

Emmanuel Yarborough – o finado “Manny” era um homem alto e imponente (2.03m de altura e 270kg) e representava além do judô e do wrestling, o sumô. Manny faleceu em 2015 aos 51 anos, devido a uma parada cardíaca.

Roland Payne – o lutador local representava o muay thai e era instrutor de muay thai e kickboxing na Carolina do Norte.

O evento contava com dois lutadores suplentes, que entrariam em ação caso algum dos oito iniciais se lesionasse gravemente ou fosse impossibilitado de prosseguir no torneio por algum motivo. Os lutadores eram Steve Jennum, policial de Omaha no estado de Nebraska que além de seu trabalho defendendo a lei, era instrutor de artes marciais para policiais e soldados do Exército americano, e Felix Mitchell, lutador de Nashville no Tennessee com vasta experiência em kung fu Shaolin.

Um dos combates da noite: Keith Hackney contra o gigante Emmanuel Yarborough (Foto: Cage Potato)

Um dos combates da noite: Keith Hackney contra o gigante Emmanuel Yarborough (Foto: Cage Potato)

Nas quartas de final, Keith Hackney protagonizou um combate digno de comparação com Davi e Golias e venceu Emmanuel Yarborough por nocaute técnico à marca de 1m59s. Ken Shamrock também nocauteou Christophe Leininger, despachando seu adversário aos 4m49s. Harold Howard também nocauteou seu adversário e derrotou Roland Payne de forma devastadora com uma sequência de socos que levou Payne à lona em 46 segundos. O campeão dos UFCs I e II Royce Gracie fez outro combate digno de Davi e Golias e após um castigo na luta em pé, finalizou Kimo Leopoldo com uma chave de braço aos 4m40s (vale lembrar que Gracie utilizou de puxões de cabelo para ganhar posição, o que HOJE nas regras do MMA é ilegal).

As semifinais estavam montadas: Harold Howard encararia Royce Gracie e Ken Shamrock encararia Keith Hackney. Mas a estratégia de salvaguarda do UFC teve de ser aplicada… Royce Gracie após um combate muito intenso contra Kimo Leopoldo teve crises de tontura, cansaço e desidratação… Royce ainda quis lutar mas não conseguia se manter em pé, o que forçou o clã Gracie a removê-lo do evento e Howard acabou sagrando-se finalista do evento por W.O. (desistência) de Royce. Keith Hackney foi outro lutador que teve de abandonar o evento devido a lesão e em seu lugar entra Felix Mitchell que logo de cara encararia uma pedreira em Ken Shamrock.

O puxão de cabelo de Royce em Kimo Leopoldo que lhe rendeu a posição para finalizá-lo. (Foto: Cage Potato)

O puxão de cabelo de Royce em Kimo Leopoldo que lhe rendeu a posição para finalizá-lo. (Foto: Cage Potato)

Ken Shamrock levou 4m34s para finalizar Felix Mitchell com um mata-leão e com a vitória credenciou-se para disputar a final do torneio contra Harold Howard… Mas, NOVAMENTE a estratégia de salvaguarda do UFC teve de ser usada: Ken Shamrock alegou ter lesionado seu joelho em sua luta contra Mitchell e pediu dispensa do evento (mais tarde, ele mesmo revelou que além da lesão, abandonou o torneio por saber que Royce teria desistido. Shamrock queria vingar sua derrota para o brasileiro). Steve Jennum automaticamente se credencia para a final contra Harold Howard sem ter feito NENHUM combate naquela noite!

O combate foi disputado, ambos trocando muitos golpes e tirando muito sangue um do outro, mas toda a ação durou pouco. Howard começou o combate a todo vapor, desferindo golpes fortes, quase finalizando o adversário e indo para cima do policial de Nebraska como um caminhão desgovernado. Infelizmente, o ímpeto durou pouco, já cansado do combate anterior, Howard perdeu o vigor dos golpes e o fôlego, o que facilitou que Jennum golpeasse e derrubasse o quase entregue Howard e em um brutal ground and pound, forçasse o adversário a desistir. Com apenas 1m27s de combate, Jennum se sagrava CAMPEÃO do UFC 3 e voltava para Nebraska com 60 mil dólares na conta!

O campeão Steve Jennum [de calção preto] se esquiva de soco de Harold Howard [de quimono] (Foto: Cage Potato)

O campeão Steve Jennum [de calção preto] se esquiva de soco de Harold Howard [de quimono] (Foto: Cage Potato)

Após vitória de Jennum sem ter participado de nenhuma outra luta do torneio, o UFC decidiu mudar um pouco o formato de seus torneios, exigindo que os lutadores façam pelo menos UM combate para poder participar do torneio. Outro fato curioso sobre Jennum é que sua vitória inspirou o ex-campeão dos meio-médios do UFC Georges St. Pierre a tornar-se um lutador de artes marciais!

Campeão com apenas UMA luta, fãs surpresos que Royce Gracie não era uma máquina, evento inspirando ex-campeão a ser o que é… TODOS estes, merecidos ingredientes para figurar mais um Na Rede Da Nostalgia… E hoje, 22 anos depois, o esporte ficou ainda maior do que os nervos e a coragem destes 10 homens que adentraram aquele ringue.



IBlackbelt
Categorias
EspeciaisJiu JitsuKarateLutasMMAMMA InternacionalMuay ThaiNa Rede da NostalgiaUFCwrestling

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    sete − três =

    RELACIONADO POR