O destruidor de lendas: Fabrício Werdum completa 38 anos nesta quinta feira

Nascido em Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, Werdum começou a treinar Jiu-jitsu brasileiro, e por um motivo no mínimo diferente. O gaúcho foi estrangulado pelo ex-namorado...

Nascido em Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, Werdum começou a treinar Jiu-jitsu brasileiro, e por um motivo no mínimo diferente. O gaúcho foi estrangulado pelo ex-namorado de sua então namorada, com um triângulo, que o deixou inconsciente. Depois disso, Werdum começou a treinar com Márcio Corleta na Academia de Porto Alegre, Winner Behring. Após o sucesso no Jiu-jitsu brasileiro e no Submission Wrestling, ele começou sua carreira no MMA.

Início de carreira no MMA, e PRIDE



Werdum começou sua carreira no MMA em 2002, contra Tengiz Tedoradze, no Millennium Brawl. Após 3 lutas, Werdum foi para o famoso Jungle Fight. Com 2 vitórias em 2 lutas, o brasileiro alçou voos maiores na carreira, e foi para maior evento de MMA da época, PRIDE.

Werdum fez sua estréia no PRIDE em 2005, contra Tom Erikson, vencendo por submissão. Mais tarde naquele ano, ele enfrentou Roman Zentsov no Pride Final Conflict 2005. Depois de 2 belas vitórias, Werdum conheceu a sua primeira derrota no MMA, quando perdeu para Sergei Kharitonov por decisão dividida no Pride 30. Essa derrota não abalou o gaúcho, que conseguiu mais 3 vitórias em 4 lutas, perdendo somente para a estrela em ascensão, Rodrigo Minotauro.

Passagem curta pelo UFC, e vitória histórica no Strikeforce

Com um bom cartel dentro do PRIDE, Werdum assinou com UFC. Com desempenho abaixo do esperado, perdendo 2 lutas em 4 disputadas, o Ultimate não renovou seu contrato, e Werdum acabou indo para o Strikeforce.

Com um início sensacional no Strikeforce, com vitórias sobre Mike Kyle e o grande António Silva, Werdum teve a oportunidade que sempre esperou, desafiando o número um do mundo dos pesados, Fedor Emilianenko.

Getty Images

Getty Images

Para essa luta ele procurou desenvolver a sua capacidade atlética e força de explosão treinando com Kettlebell. Após todo esse trabalho feito para luta, Werdum chocou o mundo, vencendo o favorito Emilianenko, finalizando no triângulo no primeiro round, e obteve a maior vitória de sua carreira até hoje, segundo próprio. Após essa grande vitória, Werdum enfrentou o temido Alistar Overeem, e acabou perdendo por decisão unânime, em uma luta que Werdum foi bastante displicente.


A volta ao UFC, e a Consagração na carreira

Mesmo com a derrota para Overeem, Werdum retornou ao meio evento de lutas de mundo. Sua “reestreia” aconteceu em 2012, quando enfrentou Roy Nelson. Werdum dominou a luta, e assim venceu por decisão unânime (30-27, 30-27 e 30-27). Logo depois o gaúcho nocauteou Mike Russow, ainda no 1º round. Após essa vitória, Dana White anunciou que Werdum seria técnico, junto com Rodrigo Minotauro, da segunda edição do TUF Brasil, . Werdum teria sua chance pela revanche contra Minotauro. Em junho de 2013, a luta aconteceu, e Fabrício venceu por finalização no segundo round, conseguindo ficar bem perto de um possível Title shot.

Por uma chance de disputar o título, Werdum enfrentou o embalado Travis Browne em abril de 2014. Werdum teve uma performance quase perfeita na luta, já que venceu Browne em todas áreas do MMA, ganhando por decisão unânime (49-46, 50-45 e 50-45) após cinco rounds. Com essa vitória, Werdum ganhou a chance de disputar o título, contra Cain Velasquez.

Werdum foi treinador do TUF América Latina, junto com Cain Velasquez. Ambos iriam se enfrentar em novembro de 2014, pelo UFC 180, mas uma lesão tirou Velasquez da luta e o UFC colocou Mark Hunt para disputar o cinturão interino contra Werdum. 

A luta começou ruim para Werdum, levando knockdown no início da luta, e ficando por baixo no chão até o fim do 1º round. Já no 2º, o gaúcho conseguiu se recuperar e encaixou uma joelhada voadora que derrubou Hunt, ele então finalizou a luta com alguns socos no ground and pound, tornando-se assim o Campeão Interino do Peso-Pesado do UFC.

Werdum com cinturão, até então interino / Foto: Nocaute Na Rede

Werdum com cinturão, até então interino / Foto: Nocaute Na Rede

Com título interino nas mãos, Werdum teria a chance de unificar os cinturões, contra Cain Velasquez. Recuperado de sua lesão, a luta foi marcada para o UFC 188, no México. Na semana da luta, Werdum deu uma leve provocada no campeão, que não gostou muito, apimentando mais ainda o combate. E o dia mais importante da vida de Werdum havia chegado. Apesar de todo favoritismo de Velasquez, Altitude, e torcida contra o brasileiro, Werdum não decepcionou. O brasileiro iniciou o primeiro assalto perdendo, após trocação franca com Velásquez, e sendo quedado. No 2º round as coisas já mudaram, graças ao muay thai e sua boa envergadura, fizeram a diferença. Levando um atraso em pé, o Corner de Velasquez exigiu que ele levasse a luta para o solo, o que foi fim. No 3º round, Werdum já estava levando vantagem novamente, e uma tentativa de queda de Velasquez, Werdum conseguiu encaixar uma guilhotina, que obrigou Velasquez a bater, era a consagração na carreira, de um lutador que apesar de estar com 27 anos, mostra que nunca é tarde para um lutador evoluir.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Douglas Barcellos



Categorias
AniversáriosLutasUFC

Douglas Barcellos, gaúcho de Guaiba/RS.
Sem Comentários

Responder

*

*

13 − um =

RELACIONADO POR