O New Corpore Extreme promove mais uma super luta, desta vez com um atleta com paralisia cerebral.

Faltando pouco mais de uma semana para a sua segunda edição, o NCE amplia a ação do seu primeiro evento com mais uma luta de inclusão. Os atletas Alan...

Faltando pouco mais de uma semana para a sua segunda edição, o NCE amplia a ação do seu primeiro evento com mais uma luta de inclusão. Os atletas Alan Oliveira e Luciano Magé subirão ao octógono para mais uma vez mostrar que não existe limites para quem tem força de vontade e determinação. 

O carioca Alan Oliveira, além de homônimo do famoso atleta, é um jovem de 24 anos, recentemente graduado à faixa preta de Jiu-jitsu, estudante de Educação Física, amante do bom futebol e vascaíno de coração. Alan poderia ser um rapaz como qualquer outro da sua idade, mas por conta de uma complicação no seu parto, a oxigenação do seu cérebro foi comprometida, o que lhe ocasionou a paralisia cerebral. 



O lutador Alan Oliveira. ( Foto: Arquivo Pessoal )

O lutador Alan Oliveira. ( Foto: Arquivo Pessoal )

O Alan é um exemplo para todos nós. Ele treina religiosamente todos os dias desde 2008. É um faixa preta muito duro. Por conta da paralisia cerebral, ele ficou com algumas sequelas na sua parte motora, mas isso não o impede de ter uma vida normal. Além de um atleta focado, o Alan é um cara extremamente inteligente, se formou em um colégio técnico e está cursando Educação Física. Não há obstáculos que ele não ultrapasse. Superação é o que me vem em mente quando penso no Alan.  – Revela o faixa preta, Jefferson Santos, professor de jiu-jitsu do jovem atleta.

Alan está indo para a sua terceira luta de MMA e se engana quem pensa que a sua deficiência motora é uma limitação. Vindo de duas vitórias por finalização, seu desafio será ainda maior. Alan terá pela frente o oponente mais duro da sua carreira, o multicampeão dos tatames e octógonos, Luciano Magé.

Não estamos lidando apenas com atletas de lutas, estamos mostrando histórias de superação. O Mucunda foi um exemplo e agora o Alan também será. O seu oponente, Luciano Magé também é um atleta excepcional e contar com ele nesta iniciativa é fenomenal. Nos esforçaremos para que em todos os nossos eventos esta bandeira esteja erguida. O tamanho do sonho é equivalente ao tamanho do sucesso. Mais uma vez teremos um grande show dentro do octógono e todos ganharão com isso. Nosso objetivo não é fazer do NCE apenas um evento, queremos ir além disso, queremos mostrar o potencial do nosso esporte. – Decretou um dos organizadores da franquia, Renato Dominguez. 

Refugiado estreia no NCE2

Além da super luta de inclusão, o NCE trará em seu card mais uma história de superação, a do jovem congolês Misenga Popole.  

A Republica Democrática do Congo está afundada em uma guerra civil que já dura quase 20 anos. De acordo com números da ONU, a guerra civil já matou mais de 5 milhões de pessoas. O Brasil atualmente tem uma população registrada de mais de 900 refugiados. Misenga Popole é mais um de muitos órfãos desta guerra. 

Afastado dos seus pais aos 9 anos, Popole foi introduzido em um programa de formação de atletas no Congo, sendo obrigado a treinar e a competir em condições sub-humanas. Mesmo com tantas adversidades, se destacou no seu país e chegou ao Brasil no ano de 2013 para disputar o mundial no Rio de Janeiro. Desclassificado por falta de combatividade logo na sua primeira luta, Misenga aproveitou a oportunidade e fugiu da concentração pedindo asilo no Brasil. 

Após dois anos de muitas lutas fora dos tatames, Misenga se casou com uma brasileira e teve seu primeiro filho.  A pouco mais de 6 meses, viu a oportunidade de enfim retornar aos treinos e com o apoio do Instituto Reação, projeto do também faixa preta Flávio Canto, Popole retornou ao Judô e também ao MMA por intermédio da equipe carioca Brother MMA. Agora Popole finalmente voltará a uma competição oficial estreando nos octógonos do NCE.

A história de superação deste rapaz é muito motivadora. Ter um atleta como o Misenga representando o NCE é incrível. Seu oponente, o Rafael Negão também é um cara muito forte e técnico. Com certeza teremos uma guerra! Decretou Renato Dominguez.

O New Corpore Extreme 2 acontecerá no dia 24 de outubro no CT New Corpore Fight, Praça Nossa Senhora da Apresentação 301–A, Irajá – Rio de Janeiro. Os ingressos já estão à venda nas academias New Corpore por R$30,00, lembrando que os ingressos são limitados. 

Banner do NCE. ( Foto: DIvulgação )

Banner do NCE. ( Foto: DIvulgação )

Confira o card completo, sujeito a alterações. 

Card Preliminar

Até 66Kg – Marlon Baiano (Rio Extreme Fight) x  Ronildo Souza (Art Fighters)

Até 52Kg – Guilherme Chapolin (CMT) x Danilo Tavarez (Brazil 021)

Até 66Kg – Bruno César (Gfteam Anchieta/ União Fight) x Moisés Oliveira (J Soares Team)

Até 52Kg – Nayara Hemily (Rio Extreme Fight) x Kakau Costa (PRVT)

Até 66Kg – Willian Ferreira  (Rio Extreme Fight) x  Gregório Dalsim (Fraternidade da Luta)

Card Principal

 Até 120Kg – Ed Panda (Rio Extreme Fight) x Lucas Urso (PRVT)

Até 57Kg – Paula Back (Rio Extreme Fight) x Tasla Araújo (Nocaute)

Até 57kg – Rodrigo Kina França (Rio Extreme Fight) x Adriano Lima (Brazil 021)

Super Luta – Alan Oliveira (FightSystem/Prana) x Luciano Magé (Black Box JJ/Art Fighters)

Até 84Kg  – Rafael Negão (Rio Extreme Fight) x Misenga Popole  (Brothers MMA) 

Até 48Kg – Thaty Bergamaschi (Rio Extreme Fight) x Beatriz Melo (PRVT)

Até 93Kg – Fabio Monstro (Rio Extreme Fight) x Wesley Mosquito (PRVT)



Categorias
LutasMMA Nacional
Sem Comentários

Responder

*

*

17 − oito =

RELACIONADO POR