O novo e difícil caminho de Benson Henderson nos meio-médios

Benson Henderson é um dos lutadores mais conhecidos no atual plantel do UFC. Ex-campeão dos leves do WEC e do UFC e um dos lutadores com jogo mais sólido...
Benson Henderson (Foto: UFC.com)

Benson Henderson (Foto: UFC.com)

Benson Henderson é um dos lutadores mais conhecidos no atual plantel do UFC. Ex-campeão dos leves do WEC e do UFC e um dos lutadores com jogo mais sólido que já pisou no Octógono. Com seu jeito estiloso, seu cabelo comprido e seu palito entre os dentes, ele é figurinha carimbada para todos os fãs de MMA. Ele sempre foi movido a desafios, enfrentou os melhores de sua divisão de origem e, vencendo ou perdendo, sempre se entregou para o combate. Apesar disso, ele tem uma série de vitórias por decisão. São 12 em 27 lutas. Algumas contestáveis, é verdade, mas, em todas ele tentou impor o seu jogo. O fato de Henderson ser um lutador popular logo se explica pela quantidade de eventos em que ele foi um dos protagonistas das lutas principais: Foram 9 vezes em 12 lutas no UFC.

Desde que sofreu a derrota para Donald Cerrone, em janeiro deste ano no UFC Fight Night: McGregor x Siver, Benson disse que lutaria entre os leves ou entre os meio-médios. Ele vem de vitória em um dos maiores desafios da carreira, quando enfrentou Brendon Thatch em fevereiro e, depois de quase ser finalizado nos primeiros rounds, conseguiu uma reviravolta digna de um campeão e finalizou o oponente no quarto round. A partir daí, ele decidiu que seu caminho era na divisão de cima e, mesmo enfrentando adversários muito maiores do que ele, o objetivo não mudou: Quer ser o campeão. Mas tem uma tarefa dura pela frente.



A batalha na terra natal de sua mãe, a Coréia do Sul, estava inicialmente marcada contra Thiago Pitbull. Porém o brasileiro sofreu uma lesão e foi obrigado a se retirar do card faltando pouco mais de duas semanas para o evento. O substituto é o descentente de cubanos e peruanos Jorge Masvidal, que também subiu dos leves para os meio-médios – e estreou na divisão nocauteando o brasileiro Cezar Mutante.

Para Henderson, o ideal é tentar impor o seu wrestling e o seu jiu-jitsu de faixa preta e tentar manter a trocação na longa distância, utilizando-se de seus chutes de taekwondo, arte a qual ele também é faixa preta. Masvidal também é wrestler e tem um bom jogo em pé, mas não é tão qualificado quanto Benson na trocação, o que pode favorecer o “cabeludo”.

É um novo caminho, uma nova saga, uma nova jornada. Benson Henderson já declarou que quer ser o campeão o mais breve possível. Mas será que ele irá conseguir, em uma categoria cheia de tubarões? A luta contra Masvidal é um grande teste para sabermos o que ele poderá fazer lutando na divisão até 77kg.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH
Escrito por: Lucas Costa


Categorias
EspeciaisLutasUFC

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

doze − três =

RELACIONADO POR