O reinado de Klitschko chega ao fim: Tyson Fury é o novo campeão mundial nos pesados.

Fazendo uma analogia com os impérios, que por mais que sejam grandes e estruturados não são perenes, Wladimir Klitschko (64-4, 53 KOs) viu o seu trono ser desbancado pelo...

Tyson Fury ostenta os cinturões que outrora pertenceram a Klitschko. (Fonte: www.dailyrecord.co.uk)

Tyson Fury ostenta os cinturões que outrora pertenceram a Klitschko. (Fonte: www.dailyrecord.co.uk)

Fazendo uma analogia com os impérios, que por mais que sejam grandes e estruturados não são perenes, Wladimir Klitschko (64-4, 53 KOs) viu o seu trono ser desbancado pelo britânico Tyson Fury (25-0, 18 KOs). Com a conquista, Fury passou a ser o novo campeão mundial peso pesado e agora detém os cinturões da AMB, FIB e OMB. A luta foi realizada em Düsseldorf, na Alemanha e representou o fim da invencibilidade de 11 anos do ucraniano. Fury constantemente provocou Klitschko na pré-luta, entretanto a maioria dos fãs da Nobre Arte não previa que o britânico pudesse se sagrar vencedor do confronto. Ledo engano. Não obstante o pensamento majoritário, Fury detinha características físicas que poderiam incomodar o até então campeão Klitschko: o gigante de 2,06m superava os 1,98 do ucraniano e detinha mais envergadura, vantagens estas que foram bem exploradas pelo britânico e foram determinantes para que o mesmo alcançasse a vitória. A luta, que começou equilibrada, teve uma mudança a partir do 5º round, momento em que Fury passou a esquivar mais e frustrar o ucraniano que tentava se aproximar, sem sucesso, pois tinha seus ataques rechaçados pelo britânico. Klitschko apresentou uma tímida vantagem no 10º round, porém foi completamente dominado no round seguinte, mesmo com o árbitro descontando um ponto de Tyson Fury pelas sucessivas vezes que acertou Klitschko na nuca.



Os contendores posam em fotografia tirada para promover a luta (Fonte: berjob.pp.ua)

Os contendores posam em fotografia tirada para promover a luta (Fonte: berjob.pp.ua)

O último round foi vencido pelo ucraniano mas aí já era tarde: vitória de Tyson Fury nas papeletas (115×112, 115×112 e 116×111). Ao final, os espectadores viram um Tyson Fury emocionado que, em lágrimas, cantou de forma entusiasmada a música “I Don’t Want to Miss a Thing”, da banda Aerosmith, em homenagem a sua esposa. Grandes nomes podem abreviar o reinado de Fury, entre eles o de seu compatriota David Haye, o campeão dos pesos pesados pela CMB, Deontay Wilder ou o britânico Anthony Joshua, que venceu suas 14 lutas por nocaute ou nocaute técnico.

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqek
Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Escrito por Luiz Fernando Knoll Junior



Categorias
Boxe Nacional e InternacionalLutas

Entusiasta da Nobre Arte e do MMA desde tenra idade. Posso me gabar de ter nascido em uma geração que acompanhou as lutas de Mike Tyson, Maguila, Holyfield, Foreman, Roy Jones Jr, Popó, entre outros e de ter acompanhado os primórdios do MMA (antigo Vale Tudo), desde o chute de Gerard Gordeau em Teila Tuli, o massacre que Rickson Gracie promoveu no Japão, até os dias de hoje, com atletas marciais completos como Jon Jones. Nasci em Curitiba, terra da Chute Boxe e de valorosos guerreiros e espero trazer um pouco dessa experiência para os leitores do Nocaute na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    seis + dezenove =

    RELACIONADO POR