Prévia UFC 211: Miocic vs Dos Santos

Neste sábado, 13, acontece o UFC 211: Miocic vs Dos Santos 2. Na luta principal, o campeão Stipe Miocic coloca o cinturão em jogo pela segunda vez e faz...
(Foto: Dave Mendel/ Sherdog)

Neste sábado, 13, acontece o UFC 211: Miocic vs Dos Santos 2. Na luta principal, o campeão Stipe Miocic coloca o cinturão em jogo pela segunda vez e faz sua revanche pessoal contra o último lutador que o derrotou, Júnior Cigano. O ‘co-main event’ vem também com uma disputa de cinturão, entre a campeã peso palha, Joanna Jedrzejczyk, e a desafiante brasileira Jéssica Bate-Estaca. O card principal contará ainda com Demian Maia x Jorge Masvidal, Frankie Edgar x Yair Rodriguez e Krzysztof Jotko x David Branch. O card preliminar terá ainda Eddie Alvarez x Dustin Poirier, além de vários bons nomes na Organização. Confira agora a prévia de mais um grande evento do UFC.

(Foto: Dave Mendel/ Sherdog)

Na luta principal, teremos a revanche entre Stipe Miocic x Júnior Cigano. O lutador brasileiro foi o último lutador a bater o hoje campeão dos pesos pesados. De lá pra cá, Miocic já possui 4 vitórias consecutivas (Mark Hunt, Andrei Arlovski, Fabrício Werdum e Alistair Overeem), todas por nocaute (com exceção de Hunt, que fora nocauteado no 5º round, todos os outros nem terminaram o 1º), e conquistou o cinturão. 

Por sua vez, Júnior Cigano não tem tido uma boa sequência de combates. A luta contra Miocic aconteceu em 2014, e de lá pra cá Cigano só esteve em ação em apenas duas oportunidades, sendo nocauteado por Alistair Overeem e posteriormente vindo a dar fim na grande fase vivida por Ben Rothwell, vencendo-o por decisão unânime numa luta de 5 rounds.

Na primeira luta entre eles, o lutador brasileiro vinha de um longo tempo de inatividade, quase chegando a 1 ano e 2 meses, enquanto Miocic já havia lutado e vencido duas vezes naquele mesmo ano de 2014. Quando o combate chegou, Miocic tentou fazer com o Cigano um jogo parecido com aquele feito por Cain Velasquez, jogo este que garantiu duas grandes vitórias de Cain sobre Cigano. No entanto, o gás do americano não foi suficiente. Nos dois primeiros rounds deu bastante trabalho para o ex campeão da categoria, mas no 3º já não era mais o mesmo, e assim Júnior sobrou, levando a luta por decisão unânime.

O momento agora é outro. Cigano viveu um momento não muito bom, chegando a se apresentar de forma irreconhecível contra Overeem. Pra última luta voltou a treinar com o treinador que o levou a conquistar o cinturão do Ultimate, Luiz Dórea, e se apresentou bem, lutando bem estrategicamente contra Ben Rothwell. Fisicamente, como o próprio declarou, nunca esteve tão bem, e a julgar pela aparência corpórea, é bem verdade. Enquanto isso, Miocic veio crescendo desde então, cada vez mais preciso, cada vez mais implacável, cada vez mais confiante. 

A luta entre os dois promete ser boa novamente. Os 2 tem como maior qualidade o jogo de boxe, e adoram a trocação. Ambos venceram 12 lutas na carreira por nocaute. Além da trocação, Miocic tem um muito bom wrestling, e pode em determinando momento mudar de nível e colocar a luta para baixo. Por sua vez, o brasileiro tem um wrestling defensivo muito bom, dando muito trabalho aos oponentes para colocá-lo para baixo. A vantagem que Cigano tem e deve aproveitar é justamente no fator “gás”. O preparo físico do brasileiro é muito bom, e assim como aconteceu no primeiro confronto, se a luta se estender demais, as chances de vitória vão aumentando.

O palpite desse que vos escreve é, por tudo aqui dito, Júnior Cigano vence por decisão unânime dos juízes e o Brasil volta a ser dono do cinturão peso pesado do UFC.

(Foto: Sherdog)

No ‘co-main event’, uma luta valendo o cinturão dos palhas femininos. A campeã Joanna Jedrzejczyk coloca seu cinturão em jogo pela 4ª vez, a segunda contra uma lutadora brasileira. Além do cinturão, a campeã pretende aumentar a sua invencibilidade para 14 vitórias em 14 lutas.

A desafiante de Joanna será a brasileira Jéssica “Bate-Estaca” Andrade. Quando ainda era peso galo, Jéssica era só mais uma lutadora, mas ao descer para a divisão de 52 kg se tornou uma verdadeira “monstra”. Foram 3 lutas e 3 vitórias avassaladoras, sendo 1 nocaute, 1 finalização e 1 por decisão. As performances sensacionais garantiram a ela o ‘tittle shot’.

Desde que enfrentou Claudinha Gadelha na luta que valia um ‘tittle shot’, Joanna Jedrzejczyk só vem melhorando suas performances. Agressiva, caminhando sempre pra frente, mostrando um muay thai de primeira linha, com uma grande precisão nesses golpes, ela vem passando como um trator por cima de quem quer que atravesse seu caminho. 

Jéssica Andrade tecnicamente pode não ser a melhor oponente que Joanna irá enfrentar na carreira, mas deve ser a que mais dará trabalho. A brasileira tem caminhado pra frente, indo pra cima com grande agressividade e brutalidade. Aliás, brutalidade é a palavra que combina com ela. A mão pesa uma tonelada, e se conseguir acertar a polonesa, pode complicar. 

As duas lutadoras gostam de caminhar pra frente, buscam o combate o tempo todo. Verdade aqui seja dita, sabemos que tudo pode acontecer quando a porta do octógono se fecha, mas teoricamente Jéssica tem pouquíssimas chances. Na trocação, Joanna é melhor e bem mais completa. Jéssica pode se aproveitar do seu jiu jitsu e buscar colocar a luta para o chão. No entanto, não é tarefa das mais fáceis colocar a campeã no solo – que o diga Carla Esparza e Claudinha Gadelha, especialistas em grappling que tentaram esse jogo. Uma vez no chão, Jedrzejczyk também não tem mostrado ser presa fácil, e conseguiu escapar até mesmo da tricampeã de jiu jitsu Claudinha Gadelha. E ainda soma-se isso ao fato de pelo menos até o momento Jéssica não ter mostrando um bom jogo nessa área. A chance da brasileira vencer é acertar aquele “pombo sem asa” e levar a rival ao nocaute. Fora isso, esse que aqui vos escreve aposta em vitória de Joanna Jedrzejczyk por decisão unânime.



Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

14 − 3 =

RELACIONADO POR