Treinando com Sonnen, Guilherme Bomba promete agressividade em estreia no UFC

Na semana do estelar card do UFC 175, entrevistamos mais um lutador brasileiro que irá compor o card do evento. Guilherme Bomba vai enfrentar no próximo sábado o norte...

Na semana do estelar card do UFC 175, entrevistamos mais um lutador brasileiro que irá compor o card do evento. Guilherme Bomba vai enfrentar no próximo sábado o norte americano Luke Zharich, e precisa de uma vitória para continuar sua caminhada no maior evento de MMA do mundo. Guilherme Bomba é um renomado lutador de Jiu jitsu, e ficou conhecido do grande público ao participar do TUF Brasil 3. O lutador começa nos falando sobre a chance de lutar no UFC 175, considerado o maior evento do ano do Ultimate:

“Olha, na verdade a oportunidade de lutar no UFC eu já esperava, mas no card do UFC 175 a principio foi uma agradável surpresa, já que este card está cotado para ser o melhor do ano e terá 2 disputas de cinturão. É uma honra poder estrear num card como este e eu espero não decepcionar. O convívio com o Sonnen está sendo ótimo. Ele é um excelente profissional, muito técnico, além de ser uma ótima pessoa.”

The Ultimate Fighter Brazil

Guilherme Bomba no TUF Brasil (Foto:Luz Pires / Zuffa LLC / UFC)

Participando do TUF Brasil 3, Guilherme foi integrante da equipe de Chael Sonnen, que foi mais que um treinador de Bomba e que inclusive levou o brasileiro para treinar com ele nos Estados Unidos. Guilherme aguardava a chance de lutar no UFC, mas com uma ligação, Chael Sonnen conseguiu uma oportunidade para Bomba nesse estelar card. Sonnen se aposentou á poucos dias por conta de problemas com o doping, notícia que pegou até o amigo do norte americano de surpresa que diz o que achou da decisão de Sonnen:

“Acho que ele fez o que o coração dele mandou. Como é uma decisão pessoal, temos que respeitar. Com certeza ele fará falta. Sobre a notícia, também me pegou de surpresa.”

Já no TUF Brasil Guilherme Bomba foi derrotado nas quartas de final por Ricardo Demente, onde fez um grande combate, e por pouco não venceu a luta. Guilherme mostrou muita raça na luta e fala um pouco sobre como foi a sua experiencia no reality:

“O TUF foi uma experiência muito intensa, mais difícil do que eu imaginava. Tudo que eu vivi lá dentro foi muito marcante. Foram experiências únicas. Acredito que fiz uma boa participação e embora não tenha saído vencedor, pude mostrar o meu talento e minhas habilidades como lutador e por isso estou hoje no UFC.”

Apesar de ter sido eliminado logo na sua segunda luta no programa, o lutador deixou uma boa impressão. Sendo um dos lutadores mais queridos da casa, minero, Bomba foi um dos lutadores que passaram maior tranquilidade na casa.

The Ultimate Fighter Brazil

Guilherme Bomba em luta contra Luiz Pires no TUF Brasil  (Foto: Josh Hedges / Zuffa LLC / UFC)

Seu adversário no próximo sábado, Luke Zhachrich, possuí um cartel com 13 vitórias, e 3 derrotas, fará sua segunda luta no UFC, e em sua estréia na organização foi nocauteado pelo brasileiro Caio Magalhães. Guilherme é menos experiente no MMA, possuí um cartel com apenas 3 vitórias, e uma derrota, mas se mostra confiante para o combate com seu jogo:

“Procuro não ver muito, meus treinadores cuidam disso por mim (sobre jogo do adversário). Coincidentemente vi o Luke estrear no UFC contra o Caio Magalhães e acredito que consigo vencê-lo fazendo o meu jogo.”

Nos Estados Unidos, Uriah Hall, Yushin Okami e outras estrelas do UFC são seus companheiros de treinos, Guilherme vem evoluindo constantemente na trocação, e nos conta como que foi essa preparação intensa para tentar estrear com o pé direito no UFC:

“Os treinos estão indo muito bem. Pesados como sempre. Treinamos em média 5/6 vezes na semana, alternando entre treinos técnicos, sparing, submission e cardio. Tenho aproveitado muito a troca de experiências com meus parceiros de treino.”

Guilherme fez sua estreia no MMA em 2012 na categoria dos meio médios, quando lutou com nada menos que Wendell Negão, um dos melhores lutador do país, e venceu por finalização no segundo round. Depois perdeu para o veterano Daniel Acacio, mas venceu Abner Teixeira, e em seguida Elizeu Zaleski no Jungle Fight 54. Atuando na categoria dos médios no TUF e agora em sua estréia no UFC, Guilherme nos fala se pretende voltar para a categoria dos meio médios no futuro:

“Vamos ver o que vai acontecer depois, mas eu pretendo sim descer para a categoria de 77kg, que é a categoria na qual eu sempre lutei.”

Encerrando a entrevista com o ex lutador do TUF Brasil 3, Guilherme Bomba deixa um recado aos fãs, do que podem esperar do lutador no combate contra Luke Zhachrich no UFC 175:

“Os fãs podem esperar uma luta muito movimentada e um Guilherme Bomba muito mais agressivo.”

Siga o Grupo MundoMMA no Facebook: https://on.fb.me/143Aqk

Curta Nocaute na Rede no Facebook: https://on.fb.me/18HEkvH

Sem título

Escrito por Victor Nunes



Categorias
EntrevistasLutasUFC

Criado em 14 de agosto de 2013, o Nocaute na Rede tem como principal objetivo FORTALECER o crescimento do esporte pelo Brasil e mundo a fora, é por isso que desde o início divulgamos os pequenos eventos e atletas que estão começando no cenário nacional.
Sem Comentários

Responder

*

*

18 + 20 =

RELACIONADO POR