UFC e USADA anunciam que não vão mais punir lutadores por uso de maconha

Decisão da agencia não inclui comissões atléticas estaduais, que possuem seus regulamentos próprios
USADA não vai mais punir resultados positivos para uso de maconha no UFC. (Foto: Divulgação USADA/UFC

A Agência Antidoping dos EUA (USADA), entidade responsável por controlar e fiscalizar o uso de substâncias proibidas, e o UFC anunciaram o fim da punição para  atletas que testem positivo para maconha, especificamente THC (tetrahidrocanabinol). A partir de agora, a punição será aplicada apenas em casos que demonstrem que a substância foi usada pra melhora de performance.

Anunciada nesta quinta-feira (14), exclui as comissões atléticas estaduais e as comissões atléticas locais espalhadas pelo mundo, uma vez que estas possuem regulamentos próprios. A decisão também não exclui por completo a realização de exames antidoping para a substância por parte da USADA.



O regulamento anterior da USADA previa testes nos atletas para detectar o uso de maconha apenas no período de competição (desde a pesagem até o exame pós-luta), e a punição era aplicada caso fosse identificado o nível de THC a 180 ng/ml presente no sangue. Agora, sem o limite pré-estabelecido, os lutadores serão punidos apenas em casos que comprovem que uso da maconha com o objetivo de ter uma melhora de desempenho.

Jeff Novitzky, diretor de saúde e performance do UFC, falou sobre o assunto ao site MMA Fighting. “Como tudo que fazemos neste programa, é baseado na ciência. Especialmente nesta era de pandemia, tivemos todos esses problemas com lutadores aceitando lutas de última hora e terminando com resultados positivos para maconha e sempre investigamos depois. “Quando você usou?” E sempre o uso tinha sido dias ou semanas antes da luta. (…) O que a ciência mostra é que há tantas variáveis nos níveis de THC no sangue e na urina que não há correlação científica entre esse número e um impedimento. E a única coisa que nos importamos na luta de uma perspectiva antidoping é se o lutador está prejudicado”, declarou.

Em 2019, O UFC havia anunciado uma parceria com a empresa Aurora Cannabis para estudar como a maconha medicinal ajuda no tratamento de lesões. Além disso, lutadores como Cris Cyborg, Amanda Nunes e Gilbert Durinho, são patrocinados por marcas que utilizam o canabidiol (CBD) em seu produtos.



Categorias
Lutas
Sem Comentários

Responder

*

*

11 + 1 =

RELACIONADO POR