NA REDE DA NOSTALGIA: Relembre Jon Jones vs. Alexander Gustafsson pelo UFC 165!

Há exatos três anos, Jon Jones e Alexander Gustafsson faziam uma luta eletrizante, Jones tinha a luta mais difícil da sua carreira e, em resultado controverso, defendia seu cinturão contra o sueco.
(Foto: Josh Hedges / Zuffa LLC)

21 de Setembro ficará para a história do UFC e do MMA por, em 2013, ter sido o dia escolhido para um evento cuja luta principal foi uma das lutas mais incríveis da história do esporte. O local escolhido foi o Air Canada Centre em Toronto, no Canadá. Um evento que contou com presenças de Brendan Schaub, Renan Barão, Matt Mitrione e Khabib Nurmagomedov tinha também uma muito esperada luta valendo cinturão. Jon Jones era um campeão dominante no UFC. Estava prestes a fazer história e ultrapassar o hoje Hall Of Famer Tito Ortiz em defesas de cinturão dos meio-pesados do UFC e tinha pela frente o sueco Alexander “The Mauler” Gustafsson, que vinha de seis vitórias consecutivas e era considerado um adversário que poderia acabar com o reinado de “Bones” Jones.

Gustafsson vinha embalado, com vitórias sobre Maurício Shogun Rua, Thiago Silva, Cyrille Diabaté, Matt Hamill e Vladimir Matyushenko, pronto para tentar destronar o campeão e chocar o mundo. Jones já havia defendido o cinturão cinco vezes e todos os meio-pesados do UFC não conseguiam furar a guarda do americano, embora vários tenham tentado. O alcance, a largura das pernas, o bom wrestling, a trocação não ortodoxa… Jones tinha TODAS as armas para vencer seus oponentes de forma dominante.

Quando os dois finalmente entraram no octógono e foram para o combate franco, Gustafsson surpreendia Jones com seu também amplo alcance, golpeando e penetrando a guarda do campeão com relativa facilidade. Tinha boa defesa de quedas e boa resistência a golpes, conseguia inclusive tentar quedas e até eventualmente derrubar o campeão… Os fãs presentes no local ficavam atônitos com o que viam… O sueco conseguia fazer o que NENHUM outro lutador havia conseguido até então, apesar da ofensiva e dos bons golpes conectados pelo campeão. Cotoveladas, jabs bem encaixados, tentativas de queda, clinch… Uma luta que tinha TUDO para agradar qualquer fã de MMA.

Jon Jones e Alexander Gustafsson partem para a trocação franca e desferem muitos golpes um no outro. (Foto: CagePotato)

Jon Jones e Alexander Gustafsson partem para a trocação franca e desferem muitos golpes um no outro. (Foto: CagePotato)

Jon Jones nunca havia sofrido tantos golpes em uma luta na sua carreira e passou cinco rounds sobrevivendo ao ataque do sueco. Em contrapartida, tratou de aplicar a mesma surra no desafiante e em um show de golpes giratórios, chutes altos, golpes no clinch e muitos jabs em contragolpe, ia minando a energia de Gustafsson a medida que o tempo passava. A ofensiva de Gustafsson ia enfraquecendo round a round, dando a chance que Jones precisava para recuperar o prejuízo. A luta caminhava para seu terceiro assalto, Gustafsson continuava dando trabalho na luta em pé, sem tanta força mas com a mesma precisão dos rounds anteriores, enquanto Jones mantinha a distância, trabalhava jabs no contragolpe e arriscava quedas, soltando uma cotovelada aqui e ali… Na metade da luta, os dois lutadores já estavam praticamente banhados em sangue e suor.

O quarto round chegava e o mesmo ímpeto mantinha os dois lutadores a todo vapor, apesar do cansaço. Jones tentava pontuar golpeando o abatido sueco, enquanto Gustafsson sem muita força partia para cima e usava seu longo alcance para conseguir pontuar também. “Flashes” de energia tomavam os lutadores ocasionalmente, fazendo-os partir em um rompante para cima um do outro, levantando os espectadores e alimentando a sensação de suspense, de surpresa, de quem sabe em um piscar de olhos, alguém acertar um golpe fulminante e finalizar a luta.

O combate caminhava para seu quinto round e quaisquer resquícios de energia já tinham se esgotado. Ambos lutadores procuravam apenas sobreviver, pontuando quando tinham fôlego para atacar. Jon Jones nunca havia sido tão castigado em uma luta, Gustafsson provava ser uma máquina, tanto na absorção de golpes quando na potência de seu ataque. Fãs assistiam e não podiam estar mais hipnotizados com um combate tão eletrizante quanto aquele… O sinal soa e a luta é levada para a decisão dos juízes. Enquanto órgãos avaliadores, sites especializados, fãs e outros lutadores davam vitória por decisão dividida ao sueco, Jon Jones mantém seu cinturão por decisão unânime, resultado extremamente controverso.

Jon Jones desfigurado após castigo aplicado por Gustafsson (Foto: Bloody Elbow)

Jon Jones desfigurado após castigo aplicado por Gustafsson (Foto: Bloody Elbow)

A luta foi chamada de “clássico instantâneo”, “melhor luta meio-pesado da história do UFC”, “luta do ano” e rendeu aos dois o prêmio de Luta Da Noite do UFC 165. Jones disse depois da luta que Gustafsson deu o maior desafio de sua carreira até hoje e que sua luta contra o sueco foi a melhor até então. Ambos foram levados imediatamente ao hospital após o duelo devido ao estado de seus corpos e rostos e uma famosa foto circulou na internet, mostrando Gustafsson visitando Jones, que se recuperava em um leito (confira a famosa foto aqui).

Até hoje, os fãs consideram esta luta uma das melhores disputas de cinturão da história do UFC. Jones ainda não tem previsão de retorno aos ringues após recentes eventos com doping, com a lei e entraves com o UFC. O sueco faz parte de planos do UFC de casar uma luta contra Rogério Minotouro no próximo UFC em São Paulo, o UFC Fight Night 100, esperado para o dia 19 de Novembro. Assista abaixo este emocionante duelo pelo UFC 165!

https://www.youtube.com/watch?v=BXdg6LbTmEE

 



Categorias
EspeciaisLutasMMAMMA InternacionalNa Rede da NostalgiaUFC

Paulistano, São Paulino, baterista, perito em TI, fanático por lutas e viciado em games. Colunista e redator Nocaute Na Rede.
    Sem Comentários

    Responder

    *

    *

    dezesseis + dez =

    RELACIONADO POR