Prévia UFC 214: Cormier vs Jones 2

Prévia UFC 214: Cormier vs Jones 2

Evento terá 3 disputas de cinturão e promete ser um dos maiores de todos os tempos.
ufc-214-daniel-cormier-x-jon-jones-2
(Foto: Diego Ribas/ Ag Fight)

Neste sábado, 29, acontecerá o UFC 214: Cormier vs Jones 2, evento que contará com 3 disputas de cinturão. Na luta principal, teremos a tão aguardada revanche entre os meio pesados Daniel Cormier x Jon Jones. O ‘co-main event’ traz o campeão meio médio Tyron Woodley, enfrentando o desafiante Demian Maia. Na antepenúltima luta da noite, uma disputa de cinturão pelos pesos penas femininos, Cris Cyborg x Tonya Evinger. O card principal conta ainda com a superluta entre Robbie Lawler x Donald Cerrone, e ainda o confronto entre os meio pesados Jimi Manuwa x Volkan Ozdemir. Confira agora a prévia com o que de melhor pode acontecer neste que promete ser um dos maiores eventos da história do Ultimate.

Na luta principal, acontecerá a revanche que o mundo inteiro aguardava, Cormier x Jones.

(Foto: MMA Fighting)

No primeiro confronto, no UFC 182, Jones era o campeão, e venceu ‘DC’ por decisão unânime dos juízes, chegando assim a sua 8ª defesa de cinturão consecutiva. Pouco tempo depois, Jones estava com luta marcada contra Anthony ‘Rumble’ Johnson, no entanto acabou se envolvendo num acidente automobilístico, onde fugiu sem prestar socorro a uma mulher grávida que estava no outro veículo, e assim acabou sendo suspenso pelo UFC, e de quebra perdeu seu título. Após pouco mais de 1 ano, retornou e enfrentou Ovince St Preux, valendo o cinturão interino da categoria, e venceu por decisão unânime.

Após Jones ser retirado da luta contra Anthony Johnson e do posto de campeão, Daniel Cormier fora chamado para enfrentar ‘Rumble’, numa luta valendo o cinturão vago da divisão. ‘DC’ fez o que parecia impossível, foi acertado por uma bomba de mão direita enviada por Johnson, depois ainda tomou um chute na cabeça, mas não caiu, resistiu, e depois ainda dominou completamente a luta, conseguindo vencer com um mata leão no 3º round. Defendeu o cinturão mais duas vezes, contra Alexander Gustafsson e contra Anthony Johnson, vencendo respectivamente por decisão e finalização – Johnson fora finalizado novamente com um mata leão, mas agora no 2º round.

Os 2 lutadores deveriam ter feito a revanche na luta principal do UFC 200, no entanto o combate caiu porque ‘Bones’ testou positivo no exame antidoping. ‘DC’ permaneceu no evento, enfrentando Anderson Silva – o brasileiro pegou o combate faltando apenas 2 dias para o evento – e vencendo por decisão unânime, sem a menor dificuldade, e claramente com ‘freio de mão puxado”. Dessa vez a luta está confirmadíssima. Os 2 já bateram o peso e estão prontos para o duelo de logo mais.

O confronto promete mais uma vez pegar fogo. Jones é um striker da mais alta qualidade, onde usa um arsenal com socos, chutes e cotoveladas letais, tudo isso aliado a um bom wrestling, além de ser um mestre na área de manter a distância dos adversários. Por sua vez, DC tem a mão pesada, e um mestre na arte de encurtar a distância, uma vez que durante toda a carreira teve que lhe dar com oponentes de maior envergadura. Tem um bom boxe, e um wrestling que dispensa comentários. No primeiro confronto, o duelo estava equilibrado, ‘DC’ conseguiu encurtar bem a distância no 2º round e acertou bons e fortes socos no clinch. No entanto, a partir do 3º round, Jones começou a sobrar por conta do preparo físico, e aí Cormier não teve mais chances. Dessa vez, pode ser que esse fator não influencie tanto. Jones vem fazendo apenas 1 luta por ano desde 2014, sendo que em 2017 ainda não lutou. Por sua vez, desde 2014, ‘DC’ lutou 7 vezes, e pode ser que essa frequência de combates dessa vez pese a seu favor. Os 2 lutadores se odeiam de verdade, e prometem deixar tudo de si dentro do octógono na noite de hoje.

Por tudo aqui apresentado e por outras mais, o palpite é que Daniel Cormier vença por decisão unânime dos juízes, permanecendo assim campeão meio pesado.

No ‘co-main event’ da noite, Tyron ‘The Choose One’ Woodley coloca seu cinturão em jogo contra o melhor ‘grappler’ da atualidade, o desafiante brasileiro Demian Maia.

(Foto: Evelyn Rodrigues)

Após nocautear Josh Koscheck e Carlos Condit em sequência, acreditava-se que Woodley estava pronto para disputar o cinturão, no entanto, enfrentou o canadense Rory MacDonald e acabou sendo completamente dominado. Depois da derrota, venceu mais duas na sequência, e assim ganhou a chance de enfrentar o campeão Robbie Lawler. De forma brutal, nocauteou Lawler e se tornou o novo campeão. Defendeu o cinturão por duas vezes, ambas contra Stephen Thompson. Na primeira o resultado foi empate majoritário, e assim permaneceu como campeão. Na segunda, venceu por decisão majoritária – 1 dos árbitros deu empate e outros 2 deram vitória de Woodley.

Demian Maia chegou a disputar o cinturão dos peso médios contra o na época campeão Anderson Silva, onde acabou sendo derrotado por decisão unânime. Após posteriormente vir a ser derrotado por Mark Muñoz e Chris Weidman, desceu para os meio médios. Engatou 3 vitórias consecutivas, até ser parado por Jake Shields e Rory MacDonald. Depois disso, já são 7 vitórias consecutivas, sendo 3 por finalização e 4 por decisão, ganhando agora finalmente a chance de disputar o título.

Tyron Woodley é um dos lutadores mais explosivos de todo o UFC. Mão pesadíssimo, muito forte fisicamente, muito bom wrestler. Demian Maia tem hoje o melhor ‘grappling’ (wrestling + jiu jitsu) do mundo. Demian tem mostrado a cada luta que uma vez no chão, o oponente pode até não ser finalizado, mas passará o resto do round inteiro tomando pressão, seja com o brasileiro trabalhado por cima ou então “mochilado”. O combate tem tudo para dificilmente ir para a decisão dos juízes, ambos gostam de ir pra cima no início, e a medida que o tempo vai passando, o rendimento vai caindo. Demian provavelmente tomará a iniciativa de ir pra cima, enquanto Woodley tentará não ir para o chão. O brasileiro já mostrou que após grudar uma vez, possui um arsenal de quedas muito grande, é quase impossível o oponente se manter de pé. Como um bom wrestler, Woodley pode defender bem as quedas, e já aproveitar para lançar contragolpes, e é aí que mora o perigo. O campeão buscará manter a luta em pé, e aproveitar sua força e explosão para nocautear Maia – Demian por sinal só foi nocauteado 1 vez em toda a carreira, na época ainda de peso médio, além de nunca ter sido finalizado.

Por tudo aqui apresentado e por outras mais, o palpite é que Demian Maia saia vencedor por finalização no 2º round.

Na antepenúltima luta da noite, teremos a primeira disputa de cinturão, que será entre as pesos galos femininos, Cris Cyborg x Tonya Evinger. 

(Foto: Evelyn Rodrigues)

Após ser derrotada em sua primeira luta de MMA profissional, em 2005, Cris Cyborg vem assombrando o mundo a cada combate. Desde então já são 18 lutas, 17 vitórias, 15 nocautes, 2 vitórias por decisão, e 1 ‘no contest’, somando já quase 12 anos de invencibilidade. Nesse tempo foi campeã peso pena do Strikeforce e do Invicta FC, e agora, após duas lutas em peso casado pelo UFC, ganhou a chance de disputar o cinturão vago da categoria – a holandesa Germaine de Randamie era a campeã da divisão após vencer Holly Holm, mas preferiu abrir mão do título a enfrentar a brasileira Cris Cyborg.

Tonya Evinger vem numa carreira profissional de MMA desde 2006. Chegou a ser derrotada 5 vezes, mas desde que perdeu para Alexis Davis (2010) e Sarah McMann (2011), nunca mais sentiu o sabor do que é ser derrotada. De lá pra cá já são 11 lutas, 10 vitórias, 4 finalizações, 3 nocautes, 3 por decisão e 1 ‘no contest’. Nesse tempo foi campeã peso galo do Invicta FC. Agora ela sobe de divisão e já chega no UFC lutando pelo cinturão peso pena.

Tonya Evinger é uma das melhores lutadoras do mundo na divisão peso galo. Tem um bom jogo de luta agarrada, gruda bem, aplica boas quedas. No chão, tem um bom controle por cima, aplica um bom ‘ground and pound’, além das finalizações quando as oportunidades aparecem. No entanto ela tem 2 problemas: O primeiro é que Tonya terá que lutar na categoria de cima, peso pena. O segundo é que além estar na categoria de cima, será contra a melhor lutadora da divisão, e que é simplesmente superior em todas as áreas do duelo. Cris tem uma trocação afiada, mãos pesadíssimas, muita força física, além de um bom jogo de grappling, que já lhe rendeu títulos mundiais na “arte suave” e até uma medalha de bronze no ADCC.

Por tudo aqui apresentado e por muito mais, o palpite é que Cris Cyborg não demorará muito a nocautear a corajosa adversária, nocaute este que virá ainda no 1º round, conquistando assim o tão sonhado título do UFC.

Na 2ª luta do card principal, teremos um combate que tem alto potencial inclusive para ser o combate da noite, Robbie ‘Ruthless’ Lawler x Donald ‘Cowboy’ Cerrone.

(Foto: Getty Images)

Durante um bom tempo, Lawler se aventurou na categoria peso médio, onde acumulou inúmeras derrotas e performances não muito boas. Em 2013, ao retornar para o UFC, resolveu também retornar aos meio médios, e então tudo mudou. Foram 9 lutas, sendo 8 vitórias, 4 nocautes e 4 por decisão, e apenas 1 derrota. Neste tempo, sua única derrota foi na disputa pelo cinturão vago dos meio médios, para Johny Hendricks. Na revanche, conseguiu sair como campeão. Fez duas defesas de cinturão espetaculares, vencendo ambas. Suas performances agrada o público, lutas que são verdadeiras guerras, com muita técnica, vontade e sangue. Em seu último combate, acabou sendo nocauteado por Tyron Woodley, perdendo assim seu cinturão.

Donald Cerrone vem de longa data sendo um dos melhores pesos leves do mundo do MMA. Lutador completo, striker e jiu jitsu e alto nível, além de ser bem efetivo ao aplicar seu wrestling ofensivo. Em menos de 2 anos, entre 2014 e 2015, engrenou uma sequência de 8 vitórias consecutivas, sendo 2 finalizações, 3 nocautes e 3 por decisão, com direito a 4 bônus da noite. Após essas 8 vitórias seguidas, enfrentou o então campeão da divisão, Rafael dos Anjos, e acabou sendo nocauteado com apenas 1:06 do 1º round. Depois disso subiu para os meio médios, onde engrenou 4 vitórias consecutivas, sendo 1 finalização, na estreia, e depois vieram 3 nocautes, e ganhando ainda 3 bônus de “Performance da Noite”. No entanto, na última luta, acabou sendo nocauteado por Jorge Masvidal.

Esse duelo traz o #3 (Lawler) contra o #6 (Cerrone), dois bem ranqueados na divisão. O confronto será entre 2 strikers do mais alto nível. Cerrone é mais completo, combina bem os socos e chutes, além de vez ou outra colocar algumas joelhadas ou os cotovelos. Lawler já não coloca muito os chutes, mas as mão são rápidas e pesadas, boxe de nível altíssimo, além de um queixo extremamente duro. Na luta agarrada, Cerrone leva vantagem. Como já dito tem o wrestling ofensivo efetivo, além de um excelente jiu jitsu. Do outro lado, Lawler, que muitos desconhecem mas é oriundo do wrestling, tem uma excelente defesa de quedas. Diante das características apresentadas no grappling, possivelmente o confronto acontecerá todo na parte de trocação. Lawler pode nocautear com o bom boxe e as mão pesadíssimas, mas pode acabar sofrendo com os low kicks ou até mesmo sendo nocauteado com um chute na cabeça, falhas já apresentadas em combates anteriores.

Por tudo aqui apresentado e por outros motivos mais, o palpite é vitória de ‘Ruthless’ Robbie Lawler por decisão unânime dos juízes.

UFC 214: Cormier vs Jones 2

29 de julho, Honda Center, Anaheim, California, EUA

CARD PRINCIPAL

Meio Pesados: Daniel Cormier x Jon Jones
Meio Médios: Tyron Woodley x Demian Maia
Penas Femininos: Cris Cyborg x Tonya Evinger
Meio Médios: Robbie Lawler x Donald Cerrone
Meio Pesados: Jimi Manuwa x Volkan Ozdemir

CARD PRELIMINAR

Penas: Ricardo Lamas x Jason Knight
Peso Casado: Aljamain Sterling x Renan Barão
Penas: Renato Moicano x Brian Ortega
Penas: Andre Fili x Calvin Kattar
Palhas Femininos: Kailin Curran x Alexandra Albu
Moscas: Eric Shelton x Jarred Brooks
Leves: Josh Burkman x Drew Dober

Categorias
LutasMMA InternacionalUFC

Pai, marido, neto, amante da família; filho de Deus; Graduando em Comunicação Social (Rádio e TV) na Universidade Federal do Maranhão; Editor chefe do Nocaute na Rede,; Redator nas seções de MMA nacional e internacional; Apaixonado por rádios, jornais, livros, podcasts, filmes, séries, comidas, esportes em geral; MMA é uma paixão absurda; Praticante de MMA e muay thai; Crítico Social
Sem Comentários

Responder

*

*

cinco × 3 =

RELACIONADO POR